Litoral Virtual últimas notícias do litoral
Segunda-feira, 17 de dezembro de 2001 - Nº 438 Edições Anteriores
BIL - Bolsa de Imóveis do Litoral Modulo

Busca por palavras no Litoral Virtual:

Principais Manchetes:

Litoral tem serviços de emergência precários
Faltou médico para vítima de derrame
Em Ilhabela, UTI é ambulância
Litoral Norte tem um único aparelho de tomografia
Transporte aéreo para atendimento médico custa R$ 3.000
Para o governo, cidades devem ter consórcios
Fluxo intenso já afeta viagem do paulistano
Perigos do ecoturismo nas trilhas do litoral
Estudantes só queriam bater fotos
UNIVAP, seja bem-vinda!
Projeto de Ubatuba ganha prêmio
Protesto fecha Rio-Santos por 2 horas
Litoral Norte planeja montar incubadora
Litoral Norte tenta fortalecer comércio
30 crianças veêm o mar pela 1ª vez
São Sebastião terá mudança no trânsito
Turismo entra no currículo de ensino fundamental em Ubatuba
CDHU entrega 64 casas populares em Ubatuba
Tripoli lança diretrizes para o mergulho em parque marinho
Homem é morto após assaltar farmácia
Carta do Leitor



Litoral tem serviços de emergência precários

Principais destinos turísticos de São Paulo sofrem com falta de médicos e equipamentos para atendimentos complexos

Litoral Norte - O mestre-de-obras Iraci Martins Vitoriano, 57, divide as oito horas de trabalho no hospital Stella Maris, o único com atendimento público em Caraguatatuba, no litoral norte paulista, entre as tarefas de manutenção e a assistência a pacientes do pronto-socorro.
Entre um e outro serviço de reparo, ele chega a tirar pacientes de ambulâncias e helicópteros, instalando-os em macas e cadeiras de rodas. Às vezes, carrega bolsas de soro e fica com os doentes.
O mestre-de-obras não é o único funcionário a fazer as vezes de auxiliar de enfermagem no Stella Maris. Durante o verão, quando aumenta o movimento no pronto-socorro, é comum funcionários de outros setores do hospital auxiliarem no atendimento.
Cerca de 9.000 pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) passam por mês pelo pronto-socorro nos meses de baixa temporada. Nos três meses de verão, o número de atendimentos chega a 36 mil -12 mil por mês.
A situação do Stella Maris ilustra a precariedade dos serviços de urgência e emergência do litoral paulista. A dificuldade de acesso às unidades de atendimento que têm condições para atender os casos graves, aliada a um crescimento explosivo da população durante a temporada, trazem grande preocupação às prefeituras, que já enfrentam dificuldades para atender os moradores.
A população de 1,4 milhão de pessoas dos municípios do litoral sul chega a quadruplicar na temporada. No litoral norte, a população de 223.914 habitantes atinge 1,2 milhão de pessoas no auge do verão. Os atendimentos de urgência e emergência quintuplicam em alguns locais do litoral.
Em municípios como Peruíbe, no litoral sul, são necessários cerca de 90 km de estrada com frequentes congestionamentos para chegar aos serviços mais qualificados para atender os casos graves, em Santos. No litoral norte, moradores e turistas da costa sul (Juqueí, Maresias, Boiçucanga), têm de enfrentar até 180 km para alcançar serviços mais sofisticados, em São José dos Campos.
Mesmo o turista que tem condições de pagar pelo atendimento pode passar por dificuldades, já que há pouca oferta de hospitais privados. São sete desses serviços no litoral sul e nenhum no norte.
Os serviços de urgência e emergência oferecidos por esses pequenos e médios municípios não conseguem resolver casos graves, já que, em geral, são deficientes, com déficit de equipamentos e necessidade de especialistas, principalmente nas áreas de UTI, neurocirurgia e cirurgia vascular.
Buraco negro - Nos hospitais, faltam leitos para atender aos casos graves. Este é o caso da Santa Casa de Praia Grande, único hospital do município, cujos 100 leitos já são insuficientes para a população fixa de 200 mil habitantes.
"Estamos em um "buraco negro", longe de tudo", diz Regina Helena Ramos, presidente da Federação Pró-Costa Atlântica e dona de uma casa em Juqueí.
"Por mais que a gente se prepare para uma temporada, é lógico que sempre está em risco. Mas estamos tentando minimizar", diz a secretária da Saúde de São Sebastião, Cláudia Batocchio.
A cidade não conseguiu terminar a reforma da unidade básica de saúde de Boiçucanga, que atende urgências, mas investiu na compra de kits de emergência para atendimentos de acidentados na estrada.
O Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) não tem um raio-X completo e atualizado dos serviços, mas visitou 18 unidades de atendimento hospitalar durante o segundo semestre deste ano e constatou que eles têm sérias dificuldades. "É um atendimento precário e demanda um serviço de transferência", afirma a presidente do conselho, Regina Ribeiro Parizi Carvalho.
No litoral norte, há três ambulâncias das prefeituras para transferências -em Ubatuba, Caraguatatuba e São Sebastião. Mongaguá e Peruíbe são os municípios do litoral sul que não têm ambulâncias com UTIs próprias -em caso de necessidade, precisam pedir emprestado.
O Corpo de Bombeiros não tem uma única ambulância com UTI no litoral. Nos casos mais graves, aciona um dos dois helicópteros que costumam ficar de plantão.
"O melhor hospital é o helicóptero da Polícia Militar para levar a gente para São Paulo", diz Fernando Gonçalves da Silva, presidente da Sociedade de Amigos de Barra do Una, em São Sebastião. (Fonte: Folha Cotidiano)

Faltou médico para vítima de derrame

Litoral Norte - O economista José Eduardo Kazniakowski, 61, participava de uma reunião em um prédio da Prefeitura de São Sebastião em Maresias, em julho de 99, quando teve uma crise de tontura e dor forte na cabeça. Em seguida, desmaiou. O economista tinha um aneurisma e sofrera um derrame.
"Puseram-me em uma ambulância caindo aos pedaços e me levaram ao pronto-socorro de Boiçucanga - na verdade uma unidade básica de saúde que atende urgências e emergências". No local, apesar de o economista ter recebido atendimento básico, não havia -e não há- condições para uma cirurgia.
José Eduardo foi levado em uma Kombi para São Sebastião. Lá, ficou, em vão, em uma maca à espera do médico de plantão. Não havia. "Ele tinha passado por um problema", relata.
A família conseguiu que um médico da cidade emprestasse uma ambulância, e o economista foi levado para São Paulo, onde recebeu o tratamento adequado cerca de quatro horas após o incidente. Ele não ficou com sequelas.
Para o administrador Jamon Vargas Fernandez, 53, cunhado do economista, o serviço de atendimento inicial, em Boiçucanga, foi satisfatório.
A falta de estrutura no atendimento médico no litoral norte provocou a morte de um turista que visitava o Parque Estadual da Ilha Anchieta, em Ubatuba, em 1999. Segundo o responsável pelo local, Manoel de Azevedo Fontes, um homem de aproximadamente 50 anos se sentiu mal e caiu durante uma caminhada em uma das trilhas da ilha.
Nenhum médico presta atendimento aos visitantes do parque estadual, que, até novembro, já havia registrado a passagem de cerca de 70 mil turistas.
A administração do parque espera receber cerca de 30 mil pessoas somente em janeiro.
A travessia entre a marina do Saco da Ribeira e o parque estadual é feita por escunas comerciais e leva 30 minutos.
De acordo com Fontes, a reserva ecológica tem uma lancha que faz o transporte emergencial da ilha para Ubatuba. O turista sofreu uma parada cardíaca e morreu a caminho do hospital. (Fonte: Folha Cotidiano)

Em Ilhabela, UTI é ambulância

Ilhabela - Com o fechamento da Santa Casa, em fevereiro de 1999, e com o Hospital Municipal ainda em obras, os cerca de 200 mil turistas que devem passar por Ilhabela no verão deverão ir até São Sebastião, de balsa, caso precisem de atendimento hospitalar.
Além de adaptar um pronto-socorro, a Secretaria da Saúde da Prefeitura de Ilhabela busca outras alternativas para garantir a assistência médica a quem passa pela cidade.
Segundo o secretário da Saúde, Antônio Luiz Colucci, uma das sete ambulâncias existentes no município funciona como UTI (Unidade de Terapia Intensiva). "Em outras três ambulâncias temos respiradores e balões de oxigênio", disse o secretário.
O atendimento emergencial é feito em um pronto-socorro que foi adaptado em uma das seis UBSs (Unidade Básica de Saúde) existentes na cidade.
Mesmo em condições precárias, o pronto-socorro faz cerca de 150 atendimentos por dia. Nos meses de verão, a média diária sofre um acréscimo de cerca de 60%.
A UBS localizada na praia do Curral, uma das mais procuradas por turistas, vai funcionar das 9h às 19h durante o verão. A unidade foi adaptada em uma escola desativada e tem sala de observação e de curativos.
"Temos consciência das precariedades, mas estamos preparados para receber um fluxo maior de pessoas durante o verão", disse Colucci. Segundo o secretário, ambulâncias têm preferência na balsa até São Sebastião. (Fonte: Folha Cotidiano)

Litoral Norte tem um único aparelho de tomografia

Litoral Norte - Um único tomógrafo -aparelho que serve para detectar e analisar lesões internas- de uma clínica particular de Caraguatatuba atende à demanda de pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde), de convênios e particulares de todo o litoral norte de São Paulo.
Segundo os secretários municipais de saúde da região, que chega a concentrar 1,2 milhão de pessoas no verão, não é economicamente viável que os hospitais mantenham um equipamento tão caro como o tomógrafo em suas instalações.
Para operar o aparelho, que custa US$ 400 mil, os hospitais precisariam dispor de uma equipe específica de pelo menos quatro profissionais -um médico radiologista e três técnicos especializados na operação e no diagnóstico de tomografias (espécie de radiografia que mostra imagens de órgãos e ossos a partir de um determinado plano).
De acordo com o radiologista responsável pelo Tomocenter, Marcelo Hilário, a clínica realiza 350 exames por mês -150 são de pacientes do SUS. "Os hospitais que pedem mais de 200 tomografias por mês deveriam dispor do equipamento em suas instalações", disse Hilário.
Postos de saúde - Uma comissão de vereadores de Caraguatatuba encontrou irregularidades nos 12 postos de saúde da cidade. Precariedade dos prédios, falta de médicos e medicamentos, remédios vencidos e pacientes com doenças infecto-contagiosas dividindo os mesmos setores com outros pacientes foram as irregularidades mais frequentes detectadas pela Comissão de Assuntos Relevantes da Saúde da Câmara.
"Os médicos do PSF [Programa de Saúde da Família] devem trabalhar oito horas diárias, mas é comum irmos aos postos e não encontrar os profissionais", afirmou o presidente da comissão, Aurimar Mansano (PTB).
A comissão está há 120 dias realizando as investigações e ainda deve visitar a Santa Casa e alguns setores do Posto Central.
De acordo com a secretária da Saúde, Myrlene Veneziani da Silva, um projeto para a construção de um centro de especialidades está sendo estudado. (Fonte: Folha Cotidiano)

Transporte aéreo para atendimento médico custa R$ 3.000
O transporte aéreo é uma alternativa usada por alguns turistas para agilizar o atendimento médico durante o verão

Litoral Norte - Algumas empresas de táxi aéreo cobram, em média, R$ 3.000 para fazer a locomoção de pacientes por meio do transporte aeromédico. O serviço é feito por helicópteros ou aviões bimotores, que, em cerca de uma hora, transportam os pacientes do litoral norte para São Paulo.
As aeronaves são equipadas com UTI, onde são transportados o paciente, dois médicos e o piloto. Segundo a gerente de transportes aeromédicos da Líder Táxi Aéreo, Raquel Belisário de Andrade, a maior dificuldade encontrada pelas empresas são as pistas de pouso, geralmente pequenas, existentes no litoral norte.
Neste ano, a empresa foi responsável pelo transporte de três pacientes -um de Caraguatatuba e dois de Ilhabela- para hospitais de São Paulo. (Fonte: Folha Cotidiano)

Para o governo, cidades devem ter consórcios

Litoral Norte  - Os serviços de urgência e emergência do litoral de São Paulo estão adequados às necessidades locais, dizem os diretores regionais da Secretaria de Estado da Saúde responsáveis por essas áreas.
De acordo com eles, é necessário que os municípios, principalmente os pequenos, comecem a organizar consórcios para suprir necessidades que aparecem principalmente na temporada de verão, como equipes para neurocirurgia e equipamentos para exames mais complexos, como tomografia e ressonância magnética.
A iniciativa de um consórcio já é discutida nas duas regiões. No litoral norte, as negociações parecem estar mais avançadas. Prefeituras e Estado discutem um projeto que será encaminhado às Câmaras Municipais.
Apesar de grande parte dos serviços no litoral norte serem chamados de prontos-socorros, funcionam como prontos-atendimentos, afirma Fernando Semeghini, diretor técnico do Departamento de Saúde da Diretoria de Saúde (DIR) de São José dos Campos.
De acordo com Semeghini, em todo o Vale do Paraíba, onde a região está localizada, apenas os prontos-socorros dos hospitais municipais de São José dos Campos e Taubaté têm equipes multidisciplinares com anestesistas, cirurgiões, clínicos, cardiologistas, pediatras e ortopedistas permanentes, conforme exige resolução do Conselho Federal de Medicina.
Todos os casos mais graves são encaminhados para São José, Taubaté e até Jacareí.
Na temporada, são cerca de 45 por mês. Segundo o diretor regional de Saúde da Baixada Santista, José Ricardo Martins Di Renzo, os serviços que existem na região não são os ideais mas estão de acordo com os princípios de hierarquização do Sistema Único de Saúde.
"Não há como colocar um serviço altamente especializado em um pequeno município", explica. "Mas as soluções devem ser localizadas. Uma equipe de profissionais de UTI é cara para uma pequena cidade, mas passa a ser aceitável se o custo for dividido entre três."
Para o secretário da Saúde de São Vicente, José Roberto Rodrigues de Lima, é necessário criar centros de estabilização regionais dos pacientes.
"Os serviços da região são fracionados e não conseguem resolver os casos graves. Seria bom que existisse um local completo", avalia.
"O importante é melhorar a referência", afirma Semeghini. "É caro manter uma equipe em um município pequeno." (Fonte: Folha Cotidiano)

Fluxo intenso já afeta viagem do paulistano
Trajetos normalmente feitos em pouco mais de 1 hora podem durar até 3 horas

Litoral Norte - O excesso de movimento nas estradas estaduais e até mesmo os congestionamentos durante as férias já se transformaram em realidade para muitos paulistanos. No último fim de semana, as chuvas que atingiram a capital prejudicaram a volta de quem tinha viajado para a praia e retornado na tarde de domingo. Trajetos de pouco mais de uma hora chegavam a ultrapassar três. "Foi pior do que feriado", afirmou a publicitária Márcia Horie Moreira, de 24 anos.
Márcia tinha viajado para Indaiá, perto da Riviera de São Lourenço, no litoral norte. No sábado pela manhã, quando saiu de São Paulo, demorou apenas 1h30 para chegar ao destino. "A praia mesmo estava vazia", disse. No retorno, contudo, uma péssima surpresa a aguardava. A publicitária foi obrigada a enfrentar um engarrafamento de aproximadamente três horas.
"Acumulou todo mundo subindo no domingo à noite e ainda juntou a chuva", explicou. "Foi um susto."
A professora Dulcinea Marmiroli Lioni, de 51 anos, viveu o mesmo drama de Márcia. Ela estava em Santos e resolveu voltar para a capital no fim da tarde de domingo. "Peguei um movimento violento", destacou. O trajeto pela Rodovia dos Imigrantes demorou 2h30 até a capital. "Avisei um sobrinho, que também ia voltar, para seguir pela Anchieta", disse. A dica não funcionou: o rapaz acabou ficando preso na lentidão da outra estrada.
Sorte - Como escolheu o primeiro fim de semana do mês para ir para o litoral, a publicitária Carla Parretti, de 25 anos, teve um pouco mais de sorte e não enfrentou problemas na volta. "Nem para ir nem para voltar", garantiu. Acostumada a viajar pelo menos duas vezes por mês, ela esteve em Ubatuba. Ao longo da estrada, Carla pôde notar um movimento de veículos mais intenso do que o normal. "Aumentou uns 20%, mais ou menos." (Fonte: Estado de S.Paulo)

Perigos do ecoturismo nas trilhas do litoral
Esta semana dois estudantes ficaram perdidos 78h na Serra do Mar, reacendendo discussão sobre o assunto

Litoral Norte - O resgate de dois estudantes que ficaram perdidos por 78h no Parque Estadual da Serra do Mar, em Ubatuba, no último final de semana, chamou a atenção para a falta de preparo da maioria dos que entram na mata.
São poucos os locais do Litoral Norte com mecanismos de controle das pessoas que se aventuram nas trilhas. Na maioria, o turista entra em algum ponto da mata e segue em direção às cachoeiras ou lugares altos, onde a vista da região é melhor.
A principal recomendação de quem trabalha com ecoturismo é que a pessoa que não conheça a região procure entrar na mata acompanhado de um monitor. "Essas pessoas são preparadas e sabem se defender ou encontrar caminhos alternativos em caso de necessidade", disse o tenente Davi de Sousa Silva, comandante da Polícia Ambiental no Litoral Norte.
Em Ubatuba, um dos locais mais procurados pelos trilheiros é o caminho para o Pico do Corcovado, de onde é possível avistar todo o litoral, além de cidades do Vale do Paraíba.
CONTROLE - O maior problema para essa caminhada é que existem três entradas que levam ao pico a 1.160 metros de altitude. Em apenas uma delas, que fica no núcleo Santa Virgínia, existe controle de entrada.
Lá, a pessoa precisa deixar o nome, telefone de contato e dizer o que está levando para dentro da mata. O mesmo ocorre em trilhas que levam à cachoeiras de Ilhabela. A maioria é considerada de difícil acesso, segundo a diretora municipal de Planejamento, Cristiana Ísola, que faz parte do grupo que elabora projeto de ecoturismo para a cidade.
Em São Sebastião, o controle é um pouco mais rigoroso. O programa de ecoturismo já foi implantado e é necessário que, quem for fazer trilha, informe ao Centro de Informações Turísticas quem é o monitor responsável e a previsão de entrada e retorno.
DICAS IMPORTANTES - Para não se perder, como no caso dos estudantes quer ficaram 78h perdidos na Serra do Mar, a Polícia Ambiental recomenda que o turista se prepare antes de entrar na mata, tome muito cuidado e, principalmente, não abra mão da companhia de um monitor. Os lugares mais procurados no litoral são as cachoeiras e os pontos altos, de onde a vista é privilegiada. (Fonte: ValeParaibano)

Estudantes só queriam bater fotos

Ubatuba - Os amigos Ricardo Vieira Prata Silva, 21 anos, e Fabiano Vilas-Boas Cardoso, 26 anos, ficaram perdidos por 78h no Morro do Corcovado, na Praia Dura, em Ubatuba, esta semana.
Eles entraram na mata na manhã do dia 8. Queriam apenas bater algumas fotos e observar a vista do lugar. Quando quiseram voltar, não encontraram mais o caminho.
Depois que foram resgatados, confessaram ter ficado desnorteados com a densa neblina. O aparelho celular que um deles levava foi o que os salvou. As ligações foram importantes para que a polícia os encontrasse.
Eles se comunicaram com a família, que acionou a Polícia Ambiental e o COE (Comando de Operações Especiais).
A exemplo da grande maioria dos que se aventuram na serra do Mar para percorrer trilhas e se banhar em cachoeiras, Silva e Cardoso estavam desacompanhados de um monitor. Eles só foram localizados na manhã de terça-feira, dia 11.
Eles disseram que aprenderam a lição. Não entram mais na mata sem guia e sem comunicar as autoridades competentes. (Fonte: ValeParaibano)

UNIVAP, seja bem-vinda!

O Módulo teve o pioneirismo de instalar uma escola particular na Região e depois o de criar uma Faculdade. Enquanto mantínhamos o monopólio do ensino fundamental e médio, éramos uma escola pequena, lutando com muitas dificuldades. Cada vez que uma nova escola era instalada, corria o boato de que o Módulo iria acabar.
Mas o tempo tem mostrado o contrário. Quando começamos, tínhamos 24 alunos que formavam o universo da escola particular. Hoje somos aproximadamente 32 escolas que abrigam no mínimo 5.000 alunos. Foi o Módulo quem fez isso? É claro que não! Quem fez, e faz, isto é a somatória dos profissionais que trabalham em todas as escolas particulares.
Ninguém tem, faz ou julga qualidade de forma isolada, mas sim comparativa. A concorrência leal é benéfica em todos os sentidos. Os pais podem optar pela escola cuja proposta e/ou preço estejam mais adequados a seus interesses, e as escolas não podem se acomodar, precisam constantemente melhorar os serviços prestados. Algo semelhante ao que ocorre com o comércio.
Agora fala-se na vinda da UNIVAP e novamente os boatos tomam a dianteira. Nossas relações com o Prefeito estão abaladas por causa disto? Quer o Módulo manter o monopólio do ensino superior?
Não são verdades! A vinda da UNIVAP para Caraguatatuba seria simplesmente mais uma etapa do progresso e desenvolvimento de nossa Cidade e Região. A UNITAU já está instalada em Ubatuba, com vários cursos superiores e não deixamos de ter alunos de lá.
Não tememos a concorrência honesta, muito menos pretendemos manter o monopólio. Não vai longe o tempo em que as lojas eram poucas e comprávamos quase tudo nos grandes centros, as escolas eram raras, faculdades não havia e éramos obrigados a mandar nossos filhos estudar fora. Ia nosso dinheiro como iam nossos filhos colaborar com o crescimento de outros lugares.
A soma de esforços dos muitos que optaram por investir aqui deu expressão a “Nossa Caraguá” e faz com que cada um sinta orgulho da participação que lhe cabe. “Nossa”, queremos crer, significa do povo, pelo povo e para o povo. Grupo algum, escudado por tal slogan, pode dela dispor como bem entender.
Nossa indignação deve ser a mesma dos demais mantenedores de escolas particulares e não menos intensa que a dos muitos comerciantes que há anos vêm investindo, pagando seus impostos, enfrentando dificuldades de toda ordem, contribuindo, com grande sacrifício, para o desenvolvimento local. Desenvolvimento tão significativo que hoje atrai o interesse das empresas de grande porte que só se instalam onde os lucros são garantidos. É justo que estas empresas recebam regalias tais como doação de grandes áreas, isenção de impostos, benfeitorias (asfalto, água, esgoto, luz, etc.) no local? Qual a lógica que orienta dirigentes a acreditarem que oferecendo tais benefícios estão pensando no bem da população? Que interesses determinam tais atitudes? A quem estão representado?
A vinda de novas faculdades ou universidades para a nossa Região, sempre soubemos, é simplesmente uma questão de tempo - assim como a vinda de comerciantes de grande porte - não há nada que os impeça, mesmo porque nossa Região é uma das que mais crescem no País. Repito: a concorrência leal é benéfica em todos os sentidos. A somatória e a competição fará, ano após ano, aumentar o número de alunos nas faculdades. Trará alunos de fora, se tivermos a competência de fazer um ensino com qualidade.
As portas da “Nossa Caraguá” estão abertas. Mas venham em igualdade de condições. Unam-se a nós, sejam bem-vindos e contem conosco.

Angelo Nogueira


Projeto de Ubatuba ganha prêmio

Ubatuba - O projeto de coleta e tratamento de esgotos da Praia Grande, em Ubatuba, foi o vencedor do concurso Melhores Práticas, da Secretaria de Recursos Hídricos, Saneamento e Obras do Estado de São Paulo.
O estudo sobre o manancial do Rio Grande de Ubatuba, desenvolvido pelo Instituto Florestal, classificou-se em 4º lugar no concurso. No total, foram 44 inscritos.
Segundo o Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte, o projeto foi escolhido pela iniciativa pioneira da comunidade.
O trabalho começou a ser desenvolvido em 1992, pela Coambiental (Cooperativa de Saneamento Ambiental da Praia Grande). Em 1996, a estação foi inaugurada, com capacidade para atendimento de 300 casas.
No início, os recursos vieram dos próprios moradores. Pelo menos R$ 5 milhões já foram investidos no sistema, desde 1995. "Como a iniciativa deu certo, resolvemos ampliá-la ainda mais", disse o presidente da Coambiental, Álvaro Campos de Oliveira.
A estação foi ampliada para atender 28 mil unidades habitacionais, superior ao número de moradias da Praia Grande, de 2.569.
O projeto foi financiado pelo Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos), que emprestou R$ 363 mil. A dívida deve ser paga em cinco anos. (Fonte: ValeParaibano)

Protesto fecha Rio-Santos por 2 horas
Morador de Caraguá reclama de falta de segurança e pede lombadas; abaixo-assinado será entregue ao prefeito

Caraguatatuba - Moradores do bairro Porto Novo, região sul de Caraguatatuba, fecharam anteontem a rodovia Rio-Santos (SP-55) por cerca de duas horas. O congestionamento foi de 20 quilômetros. A população reivindicava a colocação de lombadas e melhorias no acostamento.
O protesto começou por volta das 10h, quando os moradores colocaram cavaletes com cartazes próximos à ponte sobre o rio Juqueriquerê, uma das alternativas de passagem entre Caraguá e São Sebastião.
A Polícia Rodoviária Estadual esteve no local, mas não foi possível impedir a ação dos manifestantes, que fecharam as duas pistas. Carros, ônibus e caminhões tiveram que parar enquanto o grupo exigia do prefeito Antônio Carlos da Silva (PSDB) medidas urgentes para a segurança dos bairros.
O protesto foi definido após a morte da aposentada Marinha da Penha Camilo, 71 anos, atropelada na noite da última quarta-feira. O neto da vítima, Ulisses Camilo da Paula, 42 anos, disse que a avó desceu do ônibus e estava no acostamento, quando foi atingida por um veículo que trafegava em alta velocidade. A aposentada morreu no local.
O presidente da Sociedade Amigos de Bairro do Porto Novo, Isaías de Souza Filho, disse que este ano 18 pessoas, entre pedestres e ciclistas, morreram atropeladas na região sul. O bairro é um dos mais populosos de Caraguá, com mais de 30 mil moradores.
Segundo Souza Filho, é a terceira vez que o protesto é realizado nos últimos três anos e a adesão foi maior porque as promessas anteriores não foram cumpridas. Em março de 99, os moradores bloquearam a pista após a retirada das lombadas.
Ontem, foi assinado um termo de compromisso entre a entidade e representantes da Polícia Rodoviária Estadual, DER (Departamento de Estradas de Rodagem), Polícia Militar e Câmara Municipal, que será entregue ao prefeito amanhã.
No documento, é pedida a colocação das lombadas da cabeceira da ponte sentido Caraguá e para o lado de São Sebastião, sinalização de faixa de pedestre, retirada dos blocos de concreto no meio a pista, sinalização horizontal e vertical e melhoria do acesso em frente à subprefeitura.
O gerente de conservação do DER no Litoral Norte, Joel de Oliveira, disse que os locais serão analisados para verificar a possibilidade da instalação das lombadas.
O movimento dividiu os motoristas que ficaram parados na pista. O engenheiro Francisco João da Costa, 41 anos, seguia para São Sebastião e ficou mais de uma hora a meia parado. Ele disse que não sabia do protesto e que acha que as autoridades deveriam colocar as lombadas.
Para o comerciante André Ribeiro Silva, 35 anos, de Santos, o movimento não deveria atrapalhar quem estivesse em trânsito. As pistas foram liberadas às 11h45. (Fonte: ValeParaibano)

Litoral Norte planeja montar incubadora

Litoral Norte - O lançamento de uma incubadora agro-industrial para o desenvolvimento do Litoral Norte foi um dos principais pontos aprovados por prefeitos, representantes de associações comerciais e industriais e da sociedade civil da região durante o Fórum de Desenvolvimento Regional realizado em Caraguatatuba.
O diretor técnico do Sebrae (Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas), Sérgio Perroni, a região tem potencialidade para o desenvolvimento de atividades que têm interação com o turismo.
Como exemplo, ele cita o artesanato, comercialização de produtos, hotelaria e a expansão da maricultura (criação de mariscos) e da malacocultura (criação de moluscos).
Para o desenvolvimento dessas atividades os prefeitos de Caraguatatuba, São Sebastião, Ilhabela e Ubatuba, assinaram anteontem um convênio com a Universidade de São Carlos. (Fonte: ValeParaibano)

Litoral Norte tenta fortalecer comércio

Litoral Norte - As associações comerciais e industriais do Litoral Norte estão lançando campanhas para incentivar as vendas junto aos consumidores locais. O fortalecimento do comércio, através do bom atendimento, além do preço competitivo, são algumas das vantagens oferecidas pelos comerciantes.
Em São Sebastião, a Aciss (Associação Comercial e Industrial), lançou a campanha "Atendimento Nota 10".
Segundo presidente da entidade, Artur Ramirez Balut, o objetivo é promover o bom atendimento e prestigiar o consumidor, atendente e proprietário.
Para isso, serão entregues cupons para os consumidores darem uma nota à atenção recebida indicando o vendedor e o estabelecimento. Esses cupons podem ser preenchidos até o dia 3 março quando será feita a apuração.
A campanha foi dividida em cinco setores --hotéis, bares e pousadas, transporte em geral, supermercados, bancos e lojas e estabelecimentos de saúde. Os vencedores de cada categoria serão premiados.
Em Caraguatatuba, a Acic (Associação Comercial e Industrial) está intensificando a campanha "Natal 2001".
O presidente da associação, Jorge Camargo, disse que os comerciantes estão trabalhando com preços equivalentes aos praticados no Vale do Paraíba, além de oferecer condições de pagamento. (Fonte: ValeParaibano)

30 crianças veêm o mar pela 1ª vez

Ubatuba - Trinta crianças carentes atendidas pela Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza), de São José dos Campos, realizaram um sonho na última sexta-feira. Pela primeira vez, elas conheceram o mar. O destino foi a praia do Perequê-Açu, em Ubatuba.
Na chegada, a alegria de quem só sabia o que era a praia pelas imagens da televisão. Dione Andressa dos Santos Pinto, 11 anos, moradora no Morro do Regaço, era uma das mais empolgadas.
Mesmo embairo de chuva, ela não queria sair da água. "Eu não tenho medo e quero nadar bastante. Essa foi a segunda tentativa da Fundhas para realizar a excursão com esse grupo de crianças.
Por isso, Dione trocou o biquini que iria usar na excursão anterior, para ver se dava mais sorte.
Como a chuva não deu folga, as crianças optaram por aproveitar o banho de mar mesmo assim.
Os irmãos João Paulo e Marcos Roberto Machado, 12 e 11 anos respectivamente, também ficaram deslumbrados com a água. "Ela é salgada", disse João, satisfeito com a descoberta.
Para a estudante Priscila dos Santos Pereira, 12 anos, o único inconveniente era a areia. "Eu não gostei de ficar suja."
A assessora da Fundhas, Quitéria de Melo, disse que o passeio foi uma forma de levar as crianças de baixa renda para um local diferente. Também foram premiados os melhores alunos nas escolas. (Fonte: ValeParaibano)

São Sebastião terá mudança no trânsito

São Sebastião - A circulação viária na região central de São Sebastião será totalmente reformulada nos próximos dias, anuncia a prefeitura. A previsão é de que sejam trocadas mãos de direção e liberado o tráfego nas principais artérias da cidade. A rua da Praia receberá atenção especial.
O cruzamento da avenida São Sebastião, que sai da balsa, com a avenida Guarda-Mor Lobo Viana, vai ser alterado. Quem segue em direção à região sul ou vai fazer retorno terá que usar uma rotatória. O acesso para a balsa será feito pela via que hoje é utilizada como alternativa para escoamento de veículos.
O sentidos de direção das ruas Marechal Deodoro da Fonseca e Duque de Caxias serão invertidos.
Uma das principais alterações ocorrerá na saída da balsa, onde foi aberta uma nova rua que vai terminar da Rua da Praia. O diretor de Planejamento, José Ivanildo da Silva, disse que isso vai facilitar o acesso de um maior número de pessoas ao centro histórico, expectativa dos comerciantes do local. (Fonte: ValeParaibano)

Turismo entra no currículo de ensino fundamental em Ubatuba

Ubatuba - A partir do próximo ano letivo, os 10 mil alunos do ensino fundamental da rede pública municipal de Ubatuba terão aulas de turismo incluídas no currículo. De acordo com a Secretaria Municipal da Educação, o tema deve ser abordado em todas as disciplinas. A inclusão da matéria já foi aprovada pela Secretaria de Estado da Educação. "Vamos relacionar questões sobre ambiente, ética e cidadania com o turismo, que é a principal fonte de renda da cidade", disse o secretário da Educação, Cursino Aliste Mezquita.
Segundo o secretário, os alunos devem ter palestras ministradas por monitores e professores de turismo de universidades. "É de suma importância discutir turismo em sala, mas a implantação do tema deve ser articulada com a proposta pedagógica da escola", afirmou Mezquita.
De acordo com o secretário, o turismo deve estar inserido na realidade das crianças. "Devemos discutir turismo de forma leve e agradável para que a criança possa ser um agente multiplicador das informações adquiridas", afirmou o secretário.
Para o presidente da Comtur (Companhia Municipal de Turismo de Ubatuba), Luiz Bischof, a medida pode ampliar o setor. "Para que o cidadão cresça com plena consciência de nossa vocação turística, é o caminho mais adequado", afirmou.
Parcerias - A prefeitura pretende firmar parceria com a Unitau (Universidade de Taubaté), que mantém uma unidade em Ubatuba.
"Vamos estudar uma forma para que professores e alunos das universidades da região possam pôr seus conhecimentos em prática em palestras e debates com as crianças", afirmou Mezquita.
De acordo com o secretário, os monitores ambientais que já trabalham no município durante a temporada de verão também deverão ser convidados pela prefeitura para discutir o turismo ecológico com os alunos do ensino fundamental.
"Com essas parcerias, além de incentivarmos o turismo, vamos poder desenvolver nas crianças a importância de preservar o ambiente, que está intimamente relacionado com as atividades turísticas", afirmou o secretário.
Sem notas - De acordo com o secretário da Educação, as aulas de turismo também serão oferecidas aos 280 alunos matriculados nos cursos profissionalizantes. A Secretaria da Educação não pretende avaliar os alunos com provas e notas. (Fonte: Folha Educação)

CDHU entrega 64 casas populares em Ubatuba

Ubatuba - A Prefeitura de Ubatuba e o governo estadual entregaram no último sábado as chaves das 64 casas populares da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano), no bairro do Taquaral.
Esta foi a segunda fase da entrega das casas. Em 1995 foram sorteadas 96 unidades. O sorteio foi realizado em 19 de setembro com a presença do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).
O financiamento das casas populares é de 25 anos com prestações a partir de R$ 27,00 para a família que ganha até um salário mínimo e não precisa de avalista. Para concorrer, o inscrito tem que ter a faixa salarial de um a dez salários e não possuir imóvel próprio. (Fonte: O Globo) 

Tripoli lança diretrizes para o mergulho em parque marinho

Ubatuba - O secretário Ricardo Tripoli lançou no dia 8 de dezembro, no Parque Estadual da Ilha Anchieta, as novas diretrizes estaduais para a prática de mergulho recreativo, turístico e de lazer em parques marinhos e áreas costeiras, consolidadas no documento "Carta da Ilha Anchieta", elaborada pelos participantes do Workshop sobre mergulho em unidades de conservação, realizado entre os dias 23 a 25 de novembro em Ubatuba.
O documento, inédito na história do mergulho e da conservação marinha no Brasil, servirá de base para o estabelecimento de uma resolução da Secretaria do Meio Ambiente que definirá normas e procedimentos sobre o assunto. "Estaremos preenchendo uma lacuna existente na regulamentação do mergulho em áreas protegidas, uma vez que as unidades de conservação são os locais mais procurados para a prática deste esporte e não existia, até agora, um padrão - nacional ou internacional - que fornecesse um embasamento para que os administradores dessas unidades pudessem normatizar esta atividade de visitação", afirmou o secretário Tripoli.
Como atividade regulamentada de forma transparente e participativa, o mergulho passará, a partir desta resolução, a ter "um papel fundamental como ferramenta de envolvimento dos visitantes com o meio marinho, ao invés de ser uma prática geradora de impactos ambientais que acabava por não apenas interferir na preservação da biota marinha, como também desestimular a captação de recursos financeiros e os investimentos de longo prazo neste setor", observou Mabel Augustowski, diretora do Parque Marinho da Laje de Santos e uma das principais organizadoras do Workshop.
O evento também marcou o lançamento do projeto de implantação da primeira trilha interpretativa subaquática no Estado, contando com a presença de representantes da Federação das Empresas, Empresários e Empreendedores de Mergulho Recreativo. A trilha, com 300 metros de extensão, iniciando o mergulho defronte à sede do parque e percorrendo os costões até a Prainha do Engenho, está sendo implantada pelo professor Flávio Berchez, da área de biologia marinha da USP. "Placas indicativas conterão informações sobre a fauna e flora subaquática; os mergulhadores poderão presenciar, por exemplo, lírios do mar, ouriços e algas de importância econômica, entre outras espécies marinhas", afirmou o biólogo.
O secretário Tripoli visitou os novos tanques do Projeto TAMAR - programa desenvolvido pelo IBAMA para preservação das tartarugas marinhas ameaçadas de extinção - e também inaugurou os novos espaços criados no parque, como o Recanto da Criança, onde o público infantil poderá desfrutar de brinquedos de madeira; e o Rancho Chão da Amizade, onde os visitantes poderão utilizar desde fornos para pizza até churrasqueiras, tudo visando a maior integração do turista com o meio ambiente.

Homem é morto após assaltar farmácia

Caraguatatuba - O desocupado Jocemir da Cruz, 20 anos, morreu sexta-feira à noite com um tiro nas costas, após assaltar uma farmácia em Caraguatatuba. A Polícia não sabe de onde partiu o disparo que atingiu o assaltante. O roubo aconteceu por volta das 21h30. O proprietário da farmácia, A.M., contou que três rapazes entraram no estabelecimento armados com facas anunciando o assalto. Logo depois ouviu-se um tiro. A Polícia Militar foi acionada e levou Cruz para a Santa Casa, onde ele chegou sem vida. (Fonte: ValeParaibano)

Carta do Leitor

Fiscalização do Trabalho - Prezado Editor. Inicialmente queremos cumprimentar pela brilhante proposta de informar que vem realizando, divulgando o Litoral Norte e trazendo as informações. A pedido do vereador Edvaldo Reimberg Amarantes - PPS de São Sebastião, encaminho copia do arquivo referente ao Pedido de Providencia que o mesmo protocolou no dia 12 de dezembro no Ministerio do Trabalho e Emprego, através de sua delegacia de São Sebastião, o qual solicita a publicação.
Antecipadamente, agradecemos.
Parabéns.

Luizinho
São Sebastião - SP
luisfaria@uol.com.br


Faça uma criança feliz neste Natal - A SOMAR e o GRUMA- Grupo de Mulheres (de boa vontade...) com o apoio da Prefeitura Municipal, estarão realizando no dia 23 de dezembro, à partir das 14:00 hs na praça de Maresias, uma Festa Natalina com distribuição de brinquedos e doces para as crianças do bairro. 800 crianças estão inscritas para receber os presentes.
Quem puder ou quizer fazer doação de doces, calçados, roupas infantis, brinquedos, ou dinheiro para este fim, queira por gentileza contatar a sede da Sociedade Amigos, via fone: 465.6800 ou via email: somar@iconet.com.br. O Ano Internacional do Voluntáriado está finalizando, feche-o com chave de ouro. Participe desta confraternizaçãoa e faça mais uma criança feliz. Nossos sinceros agradecimentos.

SOMAR
São Sebastião - SP
somar@iconet.com.br


Legal - Realmente não estava sabendo de nenhuma dessas noticias. Só tomei conhecimento atraves de seu site. Ótimo, porque na correria nem sempre temos oportunidade de tomar conhecimento do que acontece no nosso litoral.
Valeu muito.

Bel Dergham
Ubatuba - SP
derghan@iconet.com.br


Protestos
- Lamentável a colocação de que a praia Brava da Fortaleza tem a sua limpeza feita pelo pessoal da "Barraca da Palmira". Aquelas pessoas sómente sujam a praia e não preservam absolutamente nada. Os moradores e proprietarios no local não querem a barraca e, não compram nada naquele local. Como é possivel vocês escreverem tudo isso no site.
É preciso pesquisar antes de citar alguma coisa como boa, sendo que a mesma somente causa problemas e sujeira. Vejam o exemplo da rede de esportes colocada em um local tão pequeno sómente para favorecer uns poucos espertos que não se preocupam com o espaço dos outros. Vocês estão absolutamente errados.
Meu protesto está lançado.

Edivaldo José de Jesus
Ubatuba - SP
edivaldo@febraban.org.br


Costão Verde - Emilio. Como amo esta região e vejo tanto verde perto do mar, gostaria que quando você falasse do Litoral Norte, acrescentasse sempre as palavras COSTÃO VERDE. Isto porque a Mata Atlântica acompanha o contorno de nossa região e Litoral Norte sugere estados do norte, como Pará, Maranhão e Amazonas. Além do que, minha tia que tem quase 92 anos, tia Béca, me disse que numerologicamente, COSTÃO VERDE é magnífico, trazendo projeção para a região e muito sucesso. E espero ardentemente que nosso COSTÃO VERDE, sob a batuta dos nossos representantes traga muita qualidade de vida boa para seus quase 300.000 habitantes (que chegam a 2.500.000 ) no verão.
De sua colega empreteca

Lilila
São Sebastião - SP
lilila@uol.com.br


Anuncie Aqui Chalés Maranduba

 Faça seu comentário, crítica, opinião ou sugestão:
Clique Aqui.

 

Receba as Últimas Notícias do Litoral via e-mail!
e-mail:
Obs.: Você poderá cancelar o recebimento das notícias a qualquer momento.

Leia também as colunas:
Para Refletir
Para Refletir
Margareth Bravo

Opinião

Ronaldo Dias

Conheça as cidades do Litoral Norte Paulista:
Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

Litoral Virtual
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet
Sugestões, críticas e informações, entre em contato:
info@litoralvirtual.com.br


©1995/2001 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor