Litoral Virtual últimas notícias do litoral
Sexta-feira, 11 de janeiro de 2002 - Nº 453 Edições Anteriores
BIL - Bolsa de Imóveis do Litoral Modulo

Busca por palavras no Litoral Virtual:

Principais Manchetes:

Ubatuba ganha a primeira agência do Banco do Povo
Bonete terá água e esgoto tratados
Fiscal é executado com 12 tiros dentro da prefeitura em Ubatuba
Irmão diz que Rubici sofreu atentado antes
Vítima trabalhava como temporário
Acusado de assassinato de agentes de trânsito se entrega
São Sebastião treina monitores de trilhas
Julião planeja abrir PDV em São Sebastião
Litoral contrata mais 92 salva-vidas
Surfista vira salva-vidas em Caraguá
Pescadores de Caraguá cultivam mexilhão na Ilha do Tamanduá
Ocas começam a serem construídas na Aldeia Indígena em S. Sebastião
A Paz encontra morada na aldeia do Ribeirão Silveiras
A demarcação de Terras
A Tradição Indígena
Prefeitura promove coleta de lixo 24 horas
SSM faz balanço do primeiro mês da temporada de verão em Caraguá
Vereador quer horta sob torre de alta tensão
Valmir da Colônia chama Alckmin de "Caiçara"
Balanço das atividades da Câmara de Caraguá em 2001
Vereador faz pedido via ofício ao Governador Alckmin
“Coreto em Sol” traz shows para a praça
Exposição de Arte Ubatuba 2002 Verão & Arte
Dança e forró pela amizade
Etapa de Campeonato de Vôlei de Praia em Caraguá será na Tabatinga
Carta do Leitor



Ubatuba ganha a primeira agência do Banco do Povo

Ubatuba - O secretário do Emprego e das Relações de Trabalho, Walter Barelli, esteve ontem em Ubatuba para inaugurar a primeida agência do Banco do Povo, que vai oferecer empréstimos de R$ 200 a R$ 5.000 para empreendedores formais, informais, autônomos ou cooperativas. A agência contou com um investimento de R$ 300 mil do governo de Estado. O Banco do Povo está funcionando na sede da Associação Comercial e Industrial de Ubatuba, que fica à rua Dona Maria Alves, 587, Centro. O telefone para contato é o (12) 432-1449. (Fonte: ValeParaibano)

Bonete terá água e esgoto tratados

Ilhabela - A comunidade da praia do Bonete, em Ilhabela, uma das mais tradicionais do Litoral Norte, com cerca de 300 pessoas, vai ganhar um sistema de captação e tratamento de esgoto e de água. O projeto piloto foi desenvolvido pelas Câmaras Técnicas de Planejamento e Saneamento do CBH/LN (Comitê das Bacias Hidrográficas do Litoral Norte).
Segundo o diretor de Meio Ambiente e membro do comitê, Edward Boehringr, o objetivo é manter a qualidade dos recursos hídricos da comunidade e proteger o ecossistema. "O projeto poderá ser aplicado em outras comunidades com características semelhantes", disse Boehringr.
Foi feito um levantamento e constatou-se a utilização da água diretamente das cachoeiras e que o esgoto é lançado sem tratamento na natureza. (Fonte: ValeParaibano)

Fiscal é executado com 12 tiros dentro da prefeitura em Ubatuba
Polícia suspeita de vingança, pois a vítima estaria sendo ameaçada por telefone

Ubatuba - O fiscal Rubici Ferretti, 36 anos, foi morto na madrugada de ontem dentro do Paço Municipal de Ubatuba. Ele prestava serviço temporário como fiscal da Comtur (Companhia Municipal de Turismo) no combate aos ambulantes clandestinos.
Por volta de 0h10, quando voltava de uma ronda junto com o chefe da fiscalização e outro fiscal, recebeu 12 tiros de revólver calibre 38 de dois homens encapuzados. Os suspeitos fugiram num Gol vermelho.
Segundo Francisco de Assis Cardoso, chefe de Rubici, o crime aconteceu na sala da Comtur que fica embaixo de uma rampa no prédio. A vítima foi atingida nas pernas, braços, cabeça e costas. Cardoso, que chegou a ser ameaçado, fugiu para a sede da Guarda Municipal, que fica ao lado da prefeitura.
Horas antes do crime, Rubici havia feito rondas na região central de Ubatuba, Itaguá e Praia Grande. Na ronda da noite ele não registrou nenhuma ocorrência. A polícia acredita em vingança, pois o fiscal estaria recebendo ameaças por telefone e já tinha sofrido um atentado antes.
O fiscal trabalhou quatro anos na prefeitura e foi dispensado no dia 31 de dezembro de 2001, juntamente com outros 159 funcionários. Ferretti estava trabalhando temporariamente. Seu contrato iria até o Carnaval.
SEM PISTAS - O delegado de Ubatuba, José Eduardo Cembranelli, disse que a polícia está investigando o caso, mas não tem pistas dos assassinos.
O delegado informou que Ubatuba não registrava homicídios há quase seis meses. A vítima não tinha passagem pela polícia, mas havia sofrido tentativa de homicídio há três meses, quando voltava para a casa, no bairro Sumaré (leia nesta página).
Segundo a irmã da vítima, Sandra Ferretti, Rubici era um homem tranquilo e não se envolvia em brigas. "Ele era um homem bom. Gostava de passear com a filha que ainda vai completar um ano", disse.
O corpo de Rubici Ferretti foi liberado pela perícia de Taubaté por volta das 4h30 da manhã de ontem e levado para o IML (Instituto Médico Legal) às 6h. O velório começou por volta das 10h na casa da família. O corpo será enterrado hoje no cemitério municipal. (Fonte: ValeParaibano)

Irmão diz que Rubici sofreu atentado antes

Ubatuba - Segundo o irmão da vítima, Luciano José Ferretti, de 29 anos, Rubici já havia sofrido uma tentativa de homicídio em outubro do ano passado, quando voltava do trabalho para a casa. Ele contou que, na ocasião, dois homens de moto dispararam várias vezes contra seu irmão, que foi atingido na perna.
Luciano afirmou que a vítima teria contado a ele que um dos homens era policial militar em Ubatuba. Sem registrar o nome nem o motivo do atentado, o irmão da vítima garante que vai usar de todos os recursos disponíveis para investigar o caso e ajudar a polícia a achar os responsáveis. A Polícia Militar afirmou que desconhece o fato e vai aguardar as investigações.
Segundo Luciano José, a polícia já havia procurado Rubici em casa, suspeitando de tráfico de drogas. A família nega a possibilidade da vítima ter se envolvido com entorpecentes e afirma que nunca houve provas sobre isso. (Fonte: ValeParaibano)

Vítima trabalhava como temporário

Ubatuba - A Prefeitura de Ubatuba quase dobrou o número de fiscais para trabalhar durante a temporada na cidade. De 10 contratados, o efetivo subiu para 18. Rubici Ferretti, vítima do assassinato da madrugada de ontem, era um dos contratados temporariamente.
Segundo o prefeito Paulo Ramos (PFL), o crime não foi contra a fiscalização da prefeitura, já que os assassinos desviaram do chefe da equipe para acertar a vítima. Temos certeza que não tem nada a ver com a prefeitura. O caso está sendo investigado, mas sabemos que não há envolvimento direto com a administração.
O prefeito afirma que Ubatuba está conseguindo manter uma segurança acima do esperado, principalmente em época de temporada. Apesar de lamentar o acontecido, Paulo Ramos afirma ter sido uma fatalidade e diz que não tem nem idéia de algum suspeito. (Fonte: ValeParaibano)

Acusado de assassinato de agentes de trânsito se entrega

Caraguatatuba - O policial militar reformado Wilson Roberto Martins, acusado de matar dois agentes de trânsito em Caraguatatuba no dia 28 de dezembro, se entregou ontem à tarde em São Paulo. Ele foi levado para o presídio Romão Gomes, da Polícia Militar.
Segundo o delegado Fábio de Carvalho Joaquim, o acusado se entregou em uma delegacia especializada em crimes de estelionato depois de descobrir que seria preso por uma equipe de policiais civis de Caraguá.
O delegado afirmou que os policiais foram para São Paulo na madrugada de ontem para capturar o suspeito.
"Vou pedir uma escolta para fazer sua transferência para Caraguá, onde será ouvido sobre o crime", disse o delegado.
CRIME -- Os agentes de trânsito Ivo Gonçalves Relva, 41 anos, e Milton Alves Corrêa, 47 anos, foram baleados e mortos quando autuavam um carro estacionado irregularmente na Prainha.
Segundo testemunhas, eles foram mortos por Martins, que é dono de um quiosque na praia, depois de uma discussão. O carro seria de um dos fregueses de Martins.
Relva foi atingido com um tiro na cabeça e morreu no local. Corrêa foi baleado no abdômem e morreu no hospital.
O delegado afirmou que a polícia não tem dúvidas de que o policial reformado seja o autor do duplo homicídio. (Fonte: ValeParaibano)

São Sebastião treina monitores de trilhas

São Sebastião - A Prefeitura de São Sebastião credenciou esta semana 52 monitores ecológicos para atuarem como guias em trilhas do Parque Estadual da Serra do Mar.
O grupo passou por 300 horas de treinamento teórico e 100 horas de estágio. Eles vão atuar em cinco trilhas que têm o percurso vetado a passeios independentes --Boiçucanga, Sítio Arqueológico do bairro São Francisco, Limeira na praia da Enseada, praia Brava e Guaecá.
Segundo o diretor de Turismo de São Sebastião, Daniel César Augusto, além de uma oferta a mais de emprego, o programa também favorece à preservação do meio ambiente.
Segundo a prefeitura, somente a cachoeira de Boiçucanga já teve mais de 1.000 agendamentos de grupos.
Augusto disse que os monitores agendam as visitas diretamente junto às agências de turismo ou com grupos interessados. (Fonte: ValeParaibano)

Julião planeja abrir PDV em São Sebastião
Prefeito diz que máquina está inchada e planeja promover reestruturação administrativa em 2002

São Sebastião - O prefeito de São Sebastião, Paulo Julião (PSDB), não quer ser lembrado como um tocador de grandes obras. Ele quer deixar sua marca como um dos responsáveis pelo desenvolvimento da cidade.
Em entrevista exclusiva concedida ao ValeParaibano, Julião considerou o primeiro ano de sua terceira gestão "muito difícil".
O tucano disse ainda não se arrepender de ter deixado a Assembléia Legislativa para retornar à prefeitura. "Mas achava que voltando a ser prefeito minha vida seria mas calma."
Ele afirmou ter herdado a máquina administrativa inchada e sem organização e adiantou que pretende abrir um PDV (Plano de Demissão Voluntária) para tentar enxugar a máquina. "Só não abro mão de médicos e professores."
Frustrado por não ter implantado a Guarda Municipal em 2001, Julião afirmou que gostaria que a corporação funcionasse pelo menos na forma de estágio antes de ser efetivada.
Se dizendo preocupado com a população carente da cidade, o prefeito idealiza um amplo projeto de inclusão social.
Com lágrimas nos olhos, Julião contou que ainda se recorda de quando era candidato em 88 e um morador disse que a melhor coisa que tinha feito era era fazê-lo sentir-se como gente. "É isso que quero para a minha administração."
Julião se emociona ainda ao falar do tempo dedicado à política e a ausência junto à família. "Um dia sei que terei de prestar contas, mas minha preocupação é fazer com que as pessoas que acreditaram em mim não se decepcionem."

ValeParaibano - O senhor já foi prefeito, deputado estadual e novamente volta a administrar São Sebastião. O que mudou nesse período?

Paulo Julião - A grande diferença é que o município cresceu. Esse é meu terceiro mandato e peguei a cidade com 12 mil, 32 mil e 62 mil habitantes. Deixei a prefeitura em 92 com 1.250 funcionários e hoje está com quase 3.000.

VP - Após um ano frente à prefeitura, o senhor se arrepende de ter deixado a Assembléia?

Paulo Julião - Não me arrependo. A imprensa e a população às vezes têm uma visão equivocada da questão política. A gente não vai para lá e pra cá porque quer. Ninguém é candidato de si mesmo. Eu representei o Vale do Paraíba e Litoral Norte por um mandato inteiro e concorri a um segundo mandato sem nenhuma intenção de voltar para a prefeitura de São Sebastião. As circunstâncias vão acontecendo. Eu sou um homem de partido e acho que se não fosse candidato aqui, a gente não tinha chance de ganhar.

VP - Qual a avaliação o que o senhor faz desse primeiro ano de mandato?

Paulo Julião - Foi um ano difícil com um ritmo de trabalho muito grande. Achava que voltando a ser prefeito minha vida seria mais calma que na Assembléia, mas, na prática, se trabalha mais. Tem muito por fazer, mas a cidade mudou muito, principalmente pela auto-estima, pela confiabilidade maior na administração, muito embora falhas existam e muita coisa precisa ser consertada.

VP - O que o senhor fez de concreto, baseado no projeto de governo?

Paulo Julião - Prometemos moralizar a prefeitura no sentido de não ter uma cabide de emprego. Por sorte, antes de sair, o outro prefeito (João Siqueira) demitiu cerca de 400 funcionários. Acertamos a questão da educação e investimos em saúde quase 25% do orçamento, temos tido uma relação importante com o Estado na busca de recursos.

VP - Alguma coisa que o senhor gostaria de ter feito neste primeiro ano que não pode ser realizada. Qual o motivo?

Paulo Julião - Já queria que estivesse funcionando em regime de estágio a Guarda Municipal, mas questões de ordem financeiros impediram que ela fosse instalada. Acho que há um problema ambiental, que é minha angústia. A vontade em resolver isso é muito grande, mas é um passivo que vem de décadas. A culpa é da sociedade como um todo que não previu o crescimento desordenado. Criamos uma autoridade muito mais séria nas questão das casas construídas irregularmente e em área de parques.

VP - Quais as prioridades para 2002? Qual obra pretende fazer para marcar essa nova gestão?

Paulo Julião - As marcas do meu trabalho não são grandes obras. Não estou preocupado em ter placas, mas estar no coração das pessoas. Para esse ano é evidente que educação e saúde continuam sendo prioridades. Não quero criança fora da escola. Temos o Programa da Saúde instalado em todo o município e vamos gastar mais que os 24% no orçamento. Mas o maior desafio no município é juntar o turismo de alto nível da costa sul da cidade com o centro histórico, onde existem os oito quarteirões tombados pelo patrimônio histórico.

VP - O que o deixou mais triste nessa administração?

Paulo Julião - Nada me deixa triste. Administrar é sempre uma angústia porque há incompreensão. Aprendi que só erra quem faz.

VP - O que o senhor considera como uma vitória para um administrador público?

Paulo Julião - Acho que é tratar a coisa pública como pública e não uma coisa sua. Prefeito não é ditador, não é imperador, não é rei. Só existe porque tem povo e essa é minha preocupação.

VP- O que a administração está fazendo para melhorar o saneamento básico que é precário no litoral?

Paulo Julião - Fizemos uma parceria inovadora com a Sabesp para investimento de R$ 20 milhões. Apesar de ser obrigação do Estado, para adiantar cronograma vamos entrar com R$ 10 milhões que posteriormente será cobrado da população na base de plano comunitário financiado pela Caixa Econômica Federal e vamos resgatar esse passivo ambiental na área de saneamento básico. Até meados de 2003 vamos ter 90% do esgoto coletado no município.

VP - O que o senhor espera para solucionar o problema da violência na cidade?

Paulo Julião - Essa não é uma questão simples. Se você olhar a violência no Litoral Norte, ela não vem de conflito social, mas de tráfico de drogas. Quem consome não é o povão, mas quem tem dinheiro para comprar. O pequeno acaba induzido por essa rede. Esse é o grande mal que pretendemos combater, mas ao mesmo tempo o poder público tem obrigação de fazer ações concretas que resulte em uma inclusão social. Vamos criar a Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer, criar mecanismo que devolva às pessoas o sentimento de que elas são gente. (Choro) Uma frase que me marcou muito foi quando era candidato em 88 e fui visitar uma casa com quatro pessoas. O morador disse que não precisava fazer nada porque em oito meses da gestão anterior o mais importante é que eu os tinha feito se sentirem gente.

VP - O senhor disse que iria enxugar a máquina nesta gestão, mas isso ainda não foi feito. Essa medida será aplicada?

Paulo Julião - A máquina está inchada. Vamos encaminhar um projeto para a Câmara propondo o PDV (Plano de Demissão Voluntária). Só médico e professor a gente não pode cortar. O resto a gente vai ter que adequar.

VP - O senhor considera São Sebastião uma cidade privilegiada em relação ao Litoral Norte por ter um orçamento muito maior? Isso faz diferença na hora de administrar?

Paulo Julião - Isso é um mito de gente que não tem caráter e tenta minimizar o trabalho que se faz. Eu fui prefeito em 85 com o terceiro orçamento do Litoral Norte. Isso mudou em 91 no terceiro ano do meu mandato, quando conseguimos incluir a movimentação de petróleo. A questão não é dinheiro, mas de como ele é aplicado. Não é privilégio. Temos orçamentos e demos que dar qualidade de vida. Implantamos dois pronto-socorros na cidade graças a esse recurso.

VP - No final do ano o senhor conseguiu aprovar na Câmara o reajuste de até 400% para o IPTU. Considera essa medida antipática?

Paulo Julião - Temos que fazer justiça social. O reajuste foi sobre o valor da propriedade. A planta genérica tem que ser revista todo o ano e isso não foi feito nos últimos anos. Toda a área central tem os impostos dentro do valor real, o que não ocorre na costa sul. Estou preocupado em devolver isso em obras, trabalho e melhorias na qualidade de vida da população.

VP - O senhor é um homem público há vários anos. Isso, de alguma forma prejudica o relacionamento familiar? Como o senhor faz para conciliar a política e a família?

Paulo Julião - Esse é um mistério de Deus, com certeza. Quando falo que não sou político, as pessoas dão risada. Criei duas filhas meio ausente. Mas acho que hoje, minha família compreende que tenho papéis a cumprir na vida. Tenho certeza absoluta que terei que prestar contas um dia, mas minha maior preocupação é fazer com que as pessoas que confiaram em mim não se decepcionem.

VP - O senhor apóia a pré-candidatura da sua mulher, Elsa Julião, para a Assembléia Legislativa?

Paulo Julião - Evidente que a apóio. Nosso partido acha o Litoral Norte tem que ter um candidato. (Fonte: ValeParaibano)

Litoral contrata mais 92 salva-vidas
Número de afogamentos caiu 50% desde que os temporários começaram a trabalhar nas praias, em 97

Caraguatatuba - O Corpo de Bombeiros das quatro cidades do Litoral Norte reforçou o efetivo para esta temporada. Mais 92 homens estão trabalhando temporariamente --até o final do Carnaval-- com o objetivo de aumentar o número de salvamentos e diminuir as mortes por afogamento.
Desde a atuação dos salva-vidas temporários, em 97, o número de mortes por afogamento durante esta época do ano diminuiu 50%. Em 2000, foram registradas 30 mortes em toda a costa norte de São Paulo, 10 a mais do que o ano passado. O Litoral Norte registrou 4 mortes desde o último feriado de Natal, sendo duas em São Sebastião, uma em Ubatuba e uma em Caraguá.
Em contrapartida à diminuição do número de mortes, o Corpo de Bombeiros registrou um aumento no número de salvamentos. Em São Sebastião, os salvamentos registrados no ano passado aumentaram em quase 70%, se comparados com 2000.
Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros de São Sebastião, Igor Serguei Klein, o objetivo é eliminar as ocorrências de mortes por afogamento. "Aumentamos o efetivo e buscamos distribui-lo estrategicamente entre as praias, principalmente as mais movimentadas."
O tenente afirma ainda que a equipe está próxima de atingir a meta e, para isso, conta com o apoio das prefeituras para a manutenção dos equipamentos e aquisição de novos materiais.
Os 92 homens de reforço do Corpo de Bombeiros fazem parte da parceria entre as prefeituras das quatro cidades e a Petrobras, que investiu R$ 600 mil no aumento do efetivo.
PERFIL - Os guarda-vidas são, geralmente, caiçaras, com faixa etária média de 20 anos e praticantes de esportes náuticos. Para trabalhar durante a temporada, eles foram submetidos a um teste de natação e corrida (leia mais nesta página).
Atualmente, o Corpo de Bombeiros do Litoral Norte conta com 6 Ursas (Unidades de Resgate e Salvamento Aquático), 6 botes infláveis, 5 jet-skis e o apoio de um helicóptero.
Segundo o tenente Klein, após o feriado de Carnaval será apresentado um projeto de melhoria do salvamento marítimo à Prefeitura de São Sebastião. "Faremos uma parceria entre a prefeitura, os bombeiros e as Sabs (Sociedades Amigos de Bairro) para desenvolver cursos de guarda-vidas durante o ano todo." (Fonte: ValeParaibano)

Surfista vira salva-vidas em Caraguá

Caraguatatuba - O surfista Nailton Ferreira da Silva, 22 anos, abandonou a prancha de verões anteriores para trabalhar como salva-vidas na praia da Lagoa Azul, em Caraguatatuba, nesta temporada. Esta é a segunda vez que Silva reforça a equipe responsável pelo salvamento nas praias da região.
Silva não se queixa do trabalho porque, além de ganhar um dinheiro extra, ele ainda fica o dia todo na praia. "Gosto muito de praia e esse serviço é gratificante também pelo fato de poder salvar vidas", afirma.
O salva-vidas, que está tirando uma média de R$ 530 por mês, conta que nesta temporada várias vezes já precisou levantar da cadeira onde fica para ajudar banhistas a saírem da água. "No caso mais grave, levei mais de meia hora para tirar um turista que estava a 500 metros da praia", afirma.
O estudante Elias Barbarossi de Oliveira, 20 anos, também desempenha a mesma função pela segunda vez. Ele e mais três temporários são responsáveis pelo salvamento na praia Martin de Sá, a mais movimentada de Caraguatatuba. "Somente hoje (ontem) ajudei três banhistas que não estavam conseguindo sair do mar por causa de uma forte correnteza", disse. (Fonte: ValeParaibano)

Pescadores de Caraguá cultivam mexilhão na Ilha do Tamanduá
Entre as atividades pesqueiras realizadas no Litoral Norte está o cultivo de Mexilhão, que em Caraguatatuba acontece na Ilha do Tamanduá, auxiliando na sobrevivência da comunidade pesqueira da região

Caraguatatuba - O cultivo de mexilhão que antes era uma atividade pouco freqüente, está acontecendo em larga escala na Ilha do Tamanduá, em Caraguatatuba, sob a organização da comunidade pesqueira local.
De acordo com os proprietários do cultivo, Sérgio Paulo Líbano da Silva (César), Paulo Henrique da Silva Oliveira e André Trujillo, a atividade vem sendo explorada na ilha há cerca de 2 anos.
Segundo o pescador Sérgio Paulo, mais conhecido como César, o desenvolvimento do mexilhão acontece em meias de algodão, onde os mariscos são depositados quando filhotes, permanecendo nessas meias próximo às encostas para o crescimento e desenvolvimento dos mesmos.
“Uma rede de mexilhões pode pesar entre 10 e 15 kg, ou de 20 a 25kg. Antes era mais difícil comercializar o mexilhão, mas agora está sendo mais fácil vender o cultivo. Prova disso é que o sustento de minha família provém desta atividade. Antes eu tinha um barco de pesca, mas com a dificuldade financeira tive de vendê-lo. Entretanto, com os mexilhões ganho mais do que antes, com a pesca. E a diferença é que aqui também vendemos peixe e camarão. Nossos fregueses vêm à Ilha buscar nosso produto”, explicou César.
Uma teia de mexilhões leva de 7 a 8 meses para se desenvolver, e os pescadores do local, além de comercializar o produto fresco, fazem também cozidos para os turistas que freqüentam o local, comercializando o produto a preços populares. (Fonte: PMC)

Ocas começam a serem construídas na Aldeia Indígena em S. Sebastião

São Sebastião - O prefeito de São Sebastião, Paulo Julião, lançará na próxima segunda feira, dia 13, a partir das 13 horas, em solenidade especial, o início das obras do conjunto habitacional de Moradias Indígenas, projeto pioneiro que está sendo realizado em parceria com o governo do Estado, através da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) e com o apoio da Funai, que ajudou na caracterização das casas que serão construídas, a fundo perdido, na Aldeia do Rio Silveiras, localizada em Boracéia, Costa Sul do município.
O projeto habitacional indígena é único no Brasil, afirma o chefe do posto da Funai, Márcio Alvim, que destaca os resultados da parceria entre Governo do Estado, prefeitura de São Sebastião e Funai, que "dará melhores condições de vida a 56 familias, num total de 264 pessoas, ao mesmo tempo respeitando seus costumes e tradições". Na solenidade, que tem prevista a presença do secretário da Habitação do Estado, Francisco Prado de Oliveira Ribeiro, e do presidente da CDHU, Luis Antonio Carvalho Pacheco os índios guaranis da Aldeia do Rio Silveiras devem apresentar cantos e danças rituais.
Idealizado na administração passada pela equipe da prefeitura municipal, numa ativa parceria com os índios, o projeto foge totalmente dos padrões convencionais estabelecidos pela CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano, que, usualmente, utiliza na construção das casas populares blocos de cimento, tijolo baiano e telhas de barro.
As novas residências dos índios de São Sebastião terão piso de cimento liso, as paredes serão construídas com madeira de eucalipto tratado ( autoclave) e o teto será de piaçava. Outro diferencial é o formato circular, como ocas, e a localização das casas que, ao invés de serem construídas em um único lugar ( tipo geminadas) serão dispostas à distância umas das outras, como na aldeia.
De acordo com o gerente regional da CDHU em Taubaté, Francisco de Assis Vieira Filho, a construção do conjunto habitacional indígena em São Sebastião tem o caráter de um projeto-piloto, "que deve influenciar não somente as outras aldeias indígenas do Estado de São Paulo, que serão a seguir certamente atendidas pela CDHU, como terá repercussão sobre todas as comunidades indígenas do Brasil":
- O projeto teve início no ano 2000, quando o atual prefeito era deputado, e atuou no Legislativo para resolver essa questão específica de São Sebastião. Há inclusive projeto tramitando na Assembléia Legislativa, visando reservar uma parcela dos recursos que o Estado de São Paulo destina à habitação popular para as Moradias Indígenas. A diretoria da CDHU - explicou - percebeu rapidamente que não adiantaria propor uma solução construtiva tradicional, de alvenaria, e o projeto acabou sendo consolidado pela opinião da comunidade indígena.
O conjunto de ocas, salienta Francisco de Assis Vieira Filho, não transformará os índios da Aldeia do Rio Silveiras em mutuários do sistema de habitação estadual, pagando prestações mensais, uma vez que os recursos alocados pela CDHU e pela contrapartida do município serão contabilizados a fundo perdido. O projeto tem um custo de aproximadamente R$ 980 mil.
O projeto habitacional teve preocupações específicas, principalmente em relação ao saneamento básico e infra estrutura em geral, e prevê a construção de um total de 50 moradias, sendo 12 casas denominadas “tipo 1” – com aproximadamente 49 metros quadrados, com um dormitório, sala, cozinha, banheiro e varanda – e mais 38 unidades, denominadas “tipo2”, com 60 metros quadrados, tendo o mesmo número de comodos.
As casas serão construídas em fundação direta (sapata corrida), com piso de cimento liso, com entorno revestido de madeira de eucalipto tratado (autoclave), com banheiros em alvenaria com lavatório, ducha e acesso apenas pelo lado externo, exigência feita pelos líderes da aldeia, e adotada pela CDHU, respeitando a cultura indígena. O teto será também de madeira de eucalipto, com feixes de piaçava tratada.
A parte elétrica será elaborada de acordo com as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), com caixas de entrada independentes. Já as instalações hidráulicas terão caixas d`água com capacidade de 500 litros cada e distribuição em tubulação de PVC rígido.
Um dos aspectos de maior preocupação foi em relação às instalações sanitárias do conjunto. Para evitar danos ao meio ambiente numa região de Mata Atlântica, serão instalados tubos coletores de PVC rígido, com caixas de inspeção e gordura em alvenaria, tendo seu tratamento final em filtros biológicos, anaeróbios e valas de infiltração. A obra não vai implicar em desmatamento da área da Reserva do Rio Silveiras, uma vez que as obras serão executadas, no prazo de 180 dias, em locais onde já existem as atuais habitações, preservando a Mata Atlântica. (Fonte: PMSS)

A Paz encontra morada na aldeia do Ribeirão Silveiras

São Sebastião - O projeto de construção das 50 ocas na aldeia guarani do Ribeirão Silveiras, localizada no bairro de Boracéia, divisa de São Sebastião – Bertioga, no litoral norte de São Paulo, além de beneficiar a comunidade indígena, mostra que é possível a coexistência da tradição e dos costumes com as modernidade do novo tempo.
A burocracia tão comum aos órgãos públicos se curvou em respeito à cultura do índio que, acostumado a ser excluído do progresso habitual e do desenvolvimento econômico do país, dessa vez, teve sua opinião considerada.
O projeto, concebido pela arquiteta da prefeitura municipal, Fernanda Palumbo, em parceria com os índios, foge totalmente dos padrões convencionais estabelecidos pela CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano que, usualmente, utiliza na construção das casas populares blocos de cimento, tijolo baiano e telhas de barro.
A nova casa dos índios terá piso de cimento liso, as paredes serão construídas com madeira de eucalipto tratado ( autoclave) e o teto será de piaçava. Outro diferencial é a forma de localização das casas que, ao invés de serem construídas em um único lugar ( tipo geminada) serão dispostas com pontos de distância.
Porém, não foi somente o "homem branco" que teve seus padrões reavaliados. Da mesma forma, os índios tiveram a oportunidade de integrar à sua cultura determinados costumes, visando melhorar a qualidade de vida da aldeia.
Um exemplo marcante é a construção de banheiros nas ocas. Essa "modernidade" foi agregada ao projeto com uma adaptação: o acesso será pelo lado externo da construção, uma exigência do cacique.
Segundo o gerente regional da CDHU, Francisco de Assis Vieira Filho, esta é a primeira vez que um projeto foge do padrão da companhia e isso só foi possível porque será realizado com recursos provenientes de um "Fundo Perdido", ou seja, não haverá retorno de financiamento, por meio de prestações mensais. "É uma forma de resgatar uma antiga dívida com os índios".
Com uma voz que está tentando se fazer ouvir desde meados da década de 60, os índios lutam para resgatar seus direitos e procuram formas de se representar na sociedade. Na última década, algumas conquistas foram alcançadas pelos guaranis da aldeia do Ribeirão Silveiras e a construção das ocas é uma delas. (Fonte: PMSS)

A demarcação de Terras

São Sebastião - A demarcação das terras, na década de 80, muito embora sendo ultrapassada pela autodemarcação, que deixou saldos trágicos como o do massacre dos Yanomami em 1993, no Amazonas, é uma realidade conquistada com muita luta pelos guarani da aldeia do Ribeirão Silveira.
Depois de muitos anos de aflição, temerosos de perderem a terra que ocupam há dezenas de anos, aterrorizados por invasões, ameaças e processos judiciais, eles conquistaram o direito de viver e trabalhar sossegados.
Em 948,40 hectares de terra – demarcados através da homologação do decreto federal 94.568, de 8 de julho de 1987, sendo que 50% é área da Serra do Mar, vivem cerca de 270 índios guarani, a maioria crianças, porém, segundo o técnico agrícola da Funai – Fundação Nacional dos Índios –, Márcio Alvim, essa área é insuficiente.
Ele explica que quando a terra foi demarcada, existiam apenas 30 pessoas residindo no local, mas com a instalação do Posto de Saúde, mantido pela prefeitura de São Sebastião, responsável pela queda da taxa de mortalidade infantil, a aldeia alcançou aumento populacional de 7% ao ano. "A prefeitura de São Sebastião mantém diariamente uma enfermeira, uma auxiliar de enfermagem, três agentes de saúde e um dentista, além de dois médicos que se revezam na visita à aldeia", explica o técnico da Funai, Márcio Alvim.
Há dez anos que os índios guarani requerem a reidentificação da área que, caso aprovada, poderá ser ampliada em até dez vezes". Conforme o diretor da Funai - Brasília, Alceu Cotia, um antropólogo contratado pela Unesco está encarregado de fazer um levantamento e apresentar um relatório de identificação da terra.
Conforme o CTI ( Centro de Trabalho Indigenista), organização não governamental formada por estudiosos, antropólogos e agrônomos, a identificação da terra indígena sempre esbarra em muitas lacunas, devido à característica de mobilidade espacial inserida no modo de ser e de viver do indígena e a demarcação de terra ganha o significado de confinamento.
Há registros etnológicos sobre a ocupação dos guarani em São Sebastião que datam de 1820. A aldeia do Ribeirão Silveira é uma das mais antigas do Estado de São Paulo e em seu território estão enterrados três caciques que a chefiaram, fato que para os indígenas têm um significado incalculável. Nesta comunidade moraram quase todos os líderes que mais tarde formaram outras aldeias guarani. (Fonte: PMSS)

A Tradição Indígena

São Sebastião - Os índios guarani são os únicos que voltaram ao litoral depois da chegada dos "homens brancos". Ao contrário das outras tribos que fugiram em direção ao oeste do país, eles moram sempre perto das comunidades brancas, mas em locais de difícil acesso, o que vem permitindo manterem em parte sua identidade cultural.
Uma cerca e uma pequena ponte de madeira separam os índios da reserva do Ribeirão Silveira da civilização. Apesar do esforço para manter suas tradições, algumas modernidades já estão inseridas no cotidiano da aldeia, como os postes de iluminação e os tubos da Sabesp.
A escola indígena Nhembo’E’A’Porã ( Lugar de Aprender) de Educação Infantil, localizada na reserva do Ribeirão Silveira é um exemplo de integração cultural. Segundo a coordenadora do Núcleo de Educação Indígena, Deusdith Bueno Velloso, a escola atende 35 alunos, de 1ª a 4ª séries, e tem inserido no currículo aulas da língua guarani, ensinada pelos próprios índios.
A forma de sobrevivência do guarani, além da pesca e da caça, se baseia na venda de artesanatos, de helicônias, planta nativa da Mata Atlântica e do palmito pupunha comercializados à beira da estrada. Pode-se dizer que a aldeia do Ribeirão Silveira é um exemplo a ser seguido não somente pelos esforços e lutas dos índios em manter suas tradições, mas também pelo apoio demonstrado pela comunidade local e administração pública. (Fonte: PMSS)

Prefeitura promove coleta de lixo 24 horas

Ubatuba - Para atender o aumento da demanda na produção de lixo em Ubatuba, a Prefeitura intensificou os serviços criando a coleta 24 horas. O turno do dia tem início às 6 horas e encerra às 17 horas. Já o turno da noite opera das 18 horas até às 6 horas da manhã. São 16 caminhões, 48 funcionários e 70 contaneirs distribuídos pelas praias e bairros. Com isso, a coleta está totalmente regularizada.
No primeiro dia do ano de 2002 foram coletas 256 toneladas. Já no dia 2 de janeiro foram quase 400 toneladas. Em média, nos demais dias foram coletadas cerca de 300 toneladas de lixo por dia. Fora da temporada a cidade recolhe cerca de 90 toneladas/dia. Para fortalecer ainda mais a coleta, o setor de Coleta de Lixo da Prefeitura está aguardando mais 50 novos containers que estão sendo adquiridos.
A coleta seletiva implantada recentemente já está apresentando resultados com cerca de 15 toneladas/mês. No bairro do Itamambuca é realizada em parceira com a Associação de Moradores que destina o alumínio para a escola municipal. No bairro Parque Vivamar a Prefeitura recolhe, processa na usina, vende e destina o recurso para o Fundo Social de Solidariedade de Ubatuba. Nos bairros do centro, Estufa, Toninhas, Perequê-Açu e Mirim a Prefeitura também mantém um caminhão específico para a coleta seletiva . As garrafas pets são todas doadas para a APAE. A coleta seletiva recolhe papel, plástico, vidro e metal. (Fonte: ACS-PMU)

SSM faz balanço do primeiro mês da temporada de verão em Caraguá

Caraguatatuba - A SSM (Secretaria de Serviços Municipais de Caraguatatuba) fez o balancete geral da coleta de lixo no mês de dezembro, primeiro da temporada de verão. Segundo o setor, foram coletados 1000 toneladas de lixo por dia, sendo que a maior coleta foi no último dia 31 de dezembro, com uma média que ultrapassou 300 toneladas diárias.
Estão atuando pela SSM 25 caminhões da empresa Pioneira, sendo que são 15 caminhões coletores e 10 vasculantes. Há também atuando em Caraguá duas varredeiras que percorrem toda cidade, com maior incidência no verão.
A Secretaria pede que os veranistas coloquem o lixo dentro das mais de 30 caçambas e containers instalados nas praias, principalmente na Martim de Sá, que tem o maior número de freqüentadores. Segundo o órgão, a conscientização é o passo mais importante para que as praias de Caraguá e a cidade fiquem sempre limpas. Em janeiro, segundo a SSM, foram coletados até agora (último dia 10) 190 toneladas de lixo diariamente.
Caminhões Coletores tem horários específicos - Os caminhões de coleta de lixo da SSM estão priorizando os serviços entre os bairros que compreendem o Jardim Aruãn e Martim de Sá (todos situados próximo a região central de Caraguá.) Nos bairros de menor quantidade de visitantes, os veículos atuam em horários alternados. (Fonte: PMC)

Vereador quer horta sob torre de alta tensão

Caraguatatuba - O Vereador Nilson Lopes da Silva (PPS), mais conhecido como Nézão, está solicitando da CTEEP (Companhia de Transmissão de Energia Elétrica de São Paulo), através de ofício, a utilização das áreas sob as linhas de alta tensão, que passam pelo bairro do Rio do Ouro. O Vereador quer efetivar o cultivo de Hortas Comunitárias no local.
Com o intuito de beneficiar a população mais carente do bairro, o Vereador Nézão está solicitando da CTEEP o uso das áreas que ficam abaixo das linhas de alta tensão no bairro do Rio do Ouro, localizado na zona oeste da cidade, destino para São José dos Campos.
Segundo o Vereador, a criação de Hortas Comunitárias no local seria a idéia mais lógica e prática. "Se pudermos desenvolver algo que além de gerar empregos, possa reduzir a carestia do povo mais pobre do bairro, estaremos oferecendo uma melhoria no nível de vida desse povo", disse.
Ainda segundo Nézão, será a grande chance da CTEEP fazer algo pelo social na cidade. "Desde que esta nova empresa assumiu, nada tem sido feito pelo social. Acho que essa é a hora, o grande momento de uma maravilhosa parceria", frisou.
As áreas que ficam sob as linhas de alta tensão são desapropriadas pelas empresas transmissoras de energia elétrica e são consideradas como "área de servidão", ficando proibidas a construção ou qualquer coisa que ultrapasse 3 metros de altura. (Fonte: Câmara Municial de Caraguatatuba)

Valmir da Colônia chama Alckmin de "Caiçara"

Caraguatatuba - O clima na visita do Governador Geraldo Alckmin à Caraguatatuba estava tão ameno e alegre que o presidente da Câmara Municipal, Valmir Gonçalves (PSDB), chamou o Governador de "Caiçara", alusão essa pelo fato do Chefe do Executivo Paulista ter ganho um título de Cidadão.
A visita do Governador Geraldo Alckmin movimentou toda a classe política de Caraguatatuba e do Litoral Norte, as portas do Reveillon.
A cordialidade transparecia de tal maneira que o presidente da Câmara conseguiu dar um pequeno discurso durante a visita de Alckmin. Esse discurso só ocorreu graças a intervenção do Chefe da Casa Civil do Governo do Estado, João Caramez e da liberação do Governador em pessoa. Normalmente o Cerminonial do Palácio dos Bandeirantes não permite que Vereadores falem durante uma visita do Governador.
Valmir Gonçalves, mais conhecido como Valmir da Colônia elogiou o Governador Alckmin e o agradeceu por tudo que fez por Caraguatatuba até o momento. Ao mesmo tempo sentiu-se honrado por participar de um momento tão raro e grandioso da política local, citando a sintonia do prefeito Antonio Carlos da Silva, de Caraguatatuba para o Executivo Paulista.
Na ocasião, Gonçalves citou que Alckmin é detentor de um título de Cidadão Caraguatatubense e por causa disso, poderia chamá-lo de "Caiçara". "Agora posso dizer que o senhor pertence a nossa família e pode comer do mesmo prato de peixe com farinha", disse, arrancando um sorriso do Governador.
A data para a entrega do Título de Cidadão ao Governador ainda deverá ser marcada. (Fonte: Câmara Municial de Caraguatatuba)

Balanço das atividades da Câmara de Caraguá em 2001

Caraguatatuba - A Câmara Municipal de Caraguatatuba divulga um balanço de suas atividades em 2001, com relação as proposituras apresentadas, aos Requerimentos, Indicações e Moções, bem como suas atividades sociais e políticas. O primeiro ano da administração Valmir Gonçalves a frente do Legislativo movimentou o setor e a classe política da cidade.
Em termos de proposituras, foram elaboradas 62 Moções, 1091 Indicações, 301 Requerimentos, 67 Projetos de Lei, 23 Projetos de Resolução e 7 Projetos de Decreto Legislativo. No ano passado o Legislativo encaminhou 24 Projetos de Lei e a Mesa Diretora da Câmara elaborou 1 Projeto de Lei, 4 Projetos de Resolução e 1 Projeto de Decreto Legislativo.
O sistema de telefonia gratuita, de número 0800-7721233, que atende de segunda à sexta-feira, das 12 às 17 horas, registrou 298 ligações no ano passado, sendo criado somente em abril e que em junho registrou o maior número de ligações, 48 no mês.
Quanto as visitas diárias de eleitores ao prédio da Câmara, foram registrados um total de 6470 pessoas durante o ano, com uma média de 539.1 pessoas/mês. O mês de maior movimento de visitas foi o de maio, com 844 pessoas.
Já com relação as presenças em sessões, foram no total 2439 pessoas, com uma média de 203.2 pessoas/mês ou 36.4 pessoas/sessão. A Câmara Municipal realizou 14 Sessões Solenes, 40 Sessões Ordinárias e 13 Sessões Extraordinárias, incluindo as Sessões de Prestação de Contas do Prefeito Municipal em 2001.
Se na parte política o Legislativo teve destaque no caso da prisão indevida do Presidente da Câmara, pela Polícia Civil, da Moção de Repúdio ao Dirigente Regional de Ensino, Laércio Albaricci e outra Moção, também de Repúdio, nesse caso ao Comus, mostrou-se inovador ao implantar o projeto "Conheça o seu Vereador", indo nas escolas municipais da cidade para ser entrevistado pelos alunos da 3ª e 4ª séries do Ensino Fundamental. Outra questão que mostra novidade na atividade política foi a presença dos alunos de Ensino Médio, das escolas estaduais e da EJA (Escola de Jovens e Adultos), que além de conhecerem as dependências do Legislativo, puderam aprender como se realiza uma Sessão Ordinária da Câmara.
O quesito esporte foi a grande novidade do Legislativo de Caraguatatuba este ano. Com o patrocínio da Praiamar Transportes Ltda., empresa concessionária dos transportes coletivos no município, a Câmara formou um time de futebol de campo, com funcionários, Vereadores, Assessores e filhos de Vereadores que realizou 8 partidas, com 3 derrotas, 1 empate e 4 vitórias. O time de Futsal, formado por funcionários e expoentes do ramo na cidade e região conquistou o torneio municipal, realizado pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.
A promoção de eventos foi outra grande marca da Câmara para o ano de 2001. O Congresso Nacional de Vereadores, realizado em abril, em parceria com o IMB (Instituto Municipalista Brasileiro) e o 4º Encontro da Avesp (Associação das Vereadoras do Estado de São Paulo), em novembro, difundiram o nome da cidade e trouxeram personalidades e formadores de opinião em meses considerados de "baixa temporada", o que incrementou o turismo. (Fonte: Câmara Municial de Caraguatatuba)

Vereador faz pedido via ofício ao Governador Alckmin

Caraguatatuba - O Vereador Aurimar Mansano (PTB), de Caraguatatuba, aproveitou a visita do Governador Geraldo Alckmin a Caraguatatuba, em 29 de dezembro último, para entregar em mãos, um ofício com pedidos para a área da Segurança Pública. O Governador prometeu estudar o caso.
O Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, esteve em Caraguatatuba no último dia 29 de dezembro, para a entrega de 10 ambulâncias às cidades do Litoral Norte e Sul do estado. Na ocasião o Governador assinou o envio de verbas para o Projeto Verão em Caraguatatuba, além de prometer outras melhorias para a cidade. O prefeito Antonio Carlos também recebeu um lote de remédios do programa "Dose Certa".
O encontro de Aurimar com o Governador se deu logo na calçada da avenida da praia e na chegada ao local onde o Alckmin realizou a entrega das ambulâncias. No ofício Mansano pede a instalação da Delegacia de Polícia Civil na zona norte, que está criada desde 1992 e por falta de verba ainda não foi efetivada.
Ao mesmo tempo o Vereador pede que a Delegacia a ser criada seja munida de efetivo humano e equipamentos. Aproveitando o ensejo, Mansano pediu também que a Delegacia de Polícia Civil da zona sul, instalada no bairro do Porto Novo e inaugurada em abril de 2001, receba 2 viaturas para os deslocamentos e rondas policiais.
O Governador recebeu o ofício e prometeu analisar o caso para as providências cabíveis. (Fonte: Câmara Municial de Caraguatatuba)

“Coreto em Sol” traz shows para a praça

Caraguatatuba - A Fundação Cultural de Caraguatatuba também estará realizando shows musicais nos corêtos da Praça Cândido Mota, no centro da cidade, Massaguaçú e Perequê-Mirim. A partir do próximo dia 12 a banda Cheiro de Mato e no dia 13 a banda Ciando no Choro estarão se apresentando centro enquanto a cantora Samantha e a dupla sertaneja João Marcos e Juliano farão show no coreto do Massaguaçú.
Já no coreto do Perequê, a banda Cafézinho do Nordeste e Bichos da Costeira estarão executando clássicos do Forró, Reggae, Blues e Rock. No Porto Novo, também no dia 12, a Banda Carlos Gomes fará a apresentação. (Fonte: PMC)

Exposição de Arte Ubatuba 2002 Verão & Arte

Ubatuba - Será aberta amanhã as 21 horas a exposição de arte Ubatuba 2002 Verão & Arte, no Espaço Cultural Ubatuba Iate Clube, Av. Plínio de França, 378 - Saco da Ribeira, Ubatuba.
Horários da Exposição:
Sábados e domingos das 15 às 21 h
2ª, 3ª, 5ª e 6ª das 15 às 18 h
Artistas de Ubatuba:
Adriana Rodrigues, Malu Ramos, Antônio Coutinho, Juan Falcón, Carlos Brito, Lucimar Pereira, Fernando Reis, Benzamim Gonzales, Jussara Cordeiro, Lenina Mariano, Pauli Gil, Vasconcelos Miranda, Paula Poyares, Ana Paula Moran, Ruth Cavalheiro, Dênico Pavan
Artistas Convidados:
Iracema de Almeida, Ju Corte Real, Mary Santiago Bilbao, Mira Melchior Caristo, Sauro del Col e Yeda Pieroni.
Maiores informações através do telefone (12) 442.1234 ou no site www.ubatuba.art.br

Dança e forró pela amizade

Caraguatatuba - Acontece no dia 27 de janeiro de 2002, no Centro Esportivo Municipal Ubaldo Gonçalves, Festival de Dança Beneficente, uma noite de dança, forró e muita amizade a partir das 20 horas.O ingresso estará sendo vendido a R$3,00.
Estarão se apresentando neste encontro, grupos de jazz, ballet e dança de rua entre outros, e como encerramento, um show com a Banda de Forró Sola Gasta, promovendo um rasta pé danado de bom, angariando fundos para tratamento médico de Idalina Dias dos Santos e Célio Roberto.A organização do evento é de Sarão Moisés Benedito e Josimar André dos Santos, e contam com o apoio da Fundacc - Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba. (Fonte: PMC)

Etapa de Campeonato de Vôlei de Praia em Caraguá será na Tabatinga

Caraguatatuba - Será realizado nos próximos dias 12 e 13 de janeiro, às 9h, na Praia da Tabatinga, mais uma etapa do campeonato de vôlei da Liga de Vôlei do Litoral Norte. A etapa acontecerá entre os quiosques “Vida Mansa” e “Quero Mais”. As inscrições custam R$ 10 e o participante recebe uma camiseta no ato do pagamento.
A premiação é de R$ 200 para o 1º lugar e R$ 100 para o 2º colocado. A realização deste evento é feita pela Liga de Vôlei de Praia do Litoral Norte e com apoio da Secretaria de Esportes e Recreação da Prefeitura de Caraguatatuba.
É importante lembrar que cada etapa do campeonato é realizado em uma praia. Nos próximos dias 19 e 20 a disputa ocorrerá na praia Cocanha.
Mais informações podem ser adquiridas através do telefone (0**12) 9767-5121 ou na Secretaria de Esportes de Caraguá (0**12) 422-1165 e 427-5922.
Visita da Equipe do Banespa - A equipe de voleibol do Banespa estará presenta no próximo dia 9 de fevereiro na arena de competições ao lado da pista de Bicicross de Caraguá, no bairro do Indaiá. (Fonte: PMC)

Carta do Leitor

Parabéns! - Tenho acompanhado de perto o informativo "Últimas Notícias do Litoral" e sinceramente, percebo que ele ganha corpo a cada dia.
Aumentam as cartas dos leitores, criando um verdadeiro "Fórum" de debates sobre asuntos relevantes nos municípios do Litoral Norte.
Espero que as autoridades também o leiam com a mesma atenção.
Parabéns pelo excelente trabalho!!!
Grande abraço,

Wanderley Barreto Pereira
Caraguatatuba/SP
wanderleybarreto@uol.com.br



Um pouco mais do que somente críticas - Reconheço a necessidade e a importância das críticas ao serviço em geral ao consumidor e ao turista, porém, as boas ações, muitas vezes, acabam passando despercebidas.
Quero parabenizar os policiais rodoviários que praticaram exatamente o descrito em uma mensagem que recebi hoje e que dizia o seguinte:
"Uma pessoa ganhadora se sente responsável por algo mais que somente o seu trabalho. Uma pessoa perdedora não se compromete e sempre diz: 'faço o meu trabalho' (...) ser parte da solução e não parte do problema". (autor desconhecido)
Sei que a intenção dos voluntários pode não ter sido única e exclusivamente a de melhorar o tráfego, a segurança e diminuir o número de vítimas, mas também uma forma de protesto cheia de virtudes e muito mais produtiva do que o simples cruzar os braços.
Uma vez que um bom exemplo aos nossos filhos diz muito mais do que mil palavras, essa atitude demonstrou o caminho a ser seguido por todos.
Fico imaginando a reação de alguém desavisado que, ao jogar lixo nas praias, visse outra pessoa imediatamente recolhendo-o. Será que ela jogaria novamente? Pode ser que sim, mas a Utopia de Thomas Morus não era somente um sonho, mas um pouco de esperança por homens melhores.

Célio Maeda
maedas@uol.com.br
www.eecolonia.hpg.com.br



Resposta ao leitor Eduardo Alves da Silva - Ninguém é contra festa do peão boiadeiro e ninguém duvida que seja uma manifestação cultural muito brasileira. O que se discute é uma festa de peão boiadeiro no meio das casas e de pousadas, cujos moradores e/ou hóspedes querem - e merecem! - dormir. Aliás, onde é a sua casa? Vou ver se consigo uma festa dessas no terreno ao lado do seu. Aí o senhor verá o que é bom para a tosse! Festa desse tipo deve ser feita em local amplo, longe de residências. E não no meio de um bairro. Mas quem sabe o senhor gosta tanto que não se incomodaria de ter uma ao lado da sua casa? Quanto a "conseguir coisas para a minha comunidade", por favor, não venha ensinar o padre-nosso ao vigário...

Regina Helena de Paiva Ramos
presidente da Federação Pró Costa Atlântica
reginapaiva@uol.com.br


Náutica Free Wallpaper

 Faça seu comentário, crítica, opinião ou sugestão:
Clique Aqui.

 

Receba as Últimas Notícias do Litoral via e-mail!
e-mail:
Obs.: Você poderá cancelar o recebimento das notícias a qualquer momento.

Leia também as colunas:
Para Refletir
Para Refletir
Margareth Bravo

Opinião

Ronaldo Dias

Conheça as cidades do Litoral Norte Paulista:
Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

Litoral Virtual
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet
Sugestões, críticas e informações, entre em contato:
info@litoralvirtual.com.br


©1995/2001 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor