Litoral Virtual últimas notícias do litoral
Segunda-feira, 18 de março de 2002 - Nº 492 Edições Anteriores
BIL - Bolsa de Imóveis do Litoral Modulo

Busca por palavras no Litoral Virtual:

Principais Manchetes:

Ubatuba quer afundar navio para atrair turistas à Ilha das Couves
Ilhabela é o paraíso do mergulho
Ocupação da periferia no litoral aponta exclusão social
Favela tem 42,33% de crianças
Renda pode variar até 552%
Migração é causa de 'inchaço'
Prefeitura organiza estacionamento de bicicletas no Centro
São Sebastião investe mais de R$ 8 milhões em obras
Construção irregular dentro do Parque Estadual
Prefeitura firma convênio para “Casa de Abrigo Provisório”
SAB’s poderão ser beneficiadas com convênio da PMC
USF e o trabalho com as famílias de Caraguá
Dengue em Caraguá é preocupante, dizem Vereadores
Aurimar consegue pavimentação para o Barranco Alto
Comissão de Educação dá sugestões no Relatório Final
Quebrado o recorde de invencibilidade no futmesa ubatubense
Carta do Leitor



Ubatuba quer afundar navio para atrair turistas à Ilha das Couves
Embarcação serviria de recife artificial para mergulhadores; Comtur negocia parceria com a Petrobras

Ubatuba - Longe das rotas dos grandes navios, Ubatuba encontrou uma nova forma de incentivar o turismo náutico na cidade. A Comtur (Companhia Municipal de Turismo) quer afundar um navio próximo à Ilha das Couves, na costa norte, para atrair mergulhadores profissionais e amadores.
A ilha está fora da rota das grandes embarcações. O navio deve ficar a uma profundidade de 30 metros.
O primeiro passo para a implantação do projeto foi dado com a autorização da Delegacia da Capitania dos Portos. O presidente da Comtur, Luiz Bischof, aguarda a liberação do projeto por parte do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) para comprar a carcaça de uma embarcação.
"Se não houver nenhum empecilho, acredito que até o próximo semestre será possível ter um patrocinador para encontrar um navio velho."
Esta semana, Bischof esteve com o oceanógrafo Roberto Vila Bernardes, da USP (Universidade de São Paulo) para discutir o projeto.
Segundo ele, a idéia de implantar um roteiro para a prática de mergulho em navios surgiu após conversa com operadores de turismo da cidade. Atualmente os mergulhos são realizados próximo à ilhas como Anchieta, Vitória, Rapada e Palmas, mas só para apreciar a fauna marinha.
"O mergulho em naufrágios é muito procurado porque tem muita história, mistério e aventura", diz Pedro Paulo Orabona, 46 anos, proprietário da operador Omnimare e um dos incetivadores do projeto.
RECIFE ARTIFICIAL - Com o afundamento de um navio, o presidente da Comtur espera criar um recife artificial --que, além de servir de abrigos para peixes e outros animais da vida marinha, poderá ter seu interior explorado pelos visitantes.
Estudos mostram que um ano após do naufrágio já há formação de cracas e recifes que servirão de abrigo para as espécies marinhas.
Bischof adianta que projeto prevê a compra de um navio que deverá ser reformado de maneira a não agredir a vida subaquática e colocar em risco a vida dos mergulhadores. "Peças de motores, mangotes e portas poderão ser removidas para facilitar o acesso do mergulhador."
Hoje, o mergulho em navios naufragados é um dos mais procurados em Ilhabela --que tem pelo menos 18 embarcações no fundo do mar (leia texto nesta página).
RECURSOS - A Comtur mantém contatos com a Petrobras --que pode ser uma das parceiras neste projeto, segundo Bischof. Carcaças, principalmente pertencentes ao Lloyd brasileiro, estão encostadas em estaleiros.
Para o historiador Carlos Cao Scarpinni, que estuda a histório das naufrágios em Ilhabela, a proposta de Ubatuba é interessante desde que o turismo seja monitorado. "Em mergulho vai profissionais e amadores por isso é preciso que a visita seja segura." (Fonte: ValeParaibano)

Ilhabela é o paraíso do mergulho

Ilhabela - Amantes do mergulho encontram em Ilhabela o cenário ideal: além das formações rochosas próximo às ilhas, pelo menos 18 navios naufragados também despertam a curiosidade de mergulhadores profissionais e amadores.
O instrutor de mergulho Manuel José de Souza, da Lokal Adventure, estima que 40 mergulhadores procuram a operadora nos finais de semana para visitar naufrágios.
Segundo Souza, os navios mais procurados para visitação ficam no canal de São Sebastião. Nele estão embarcações como Velazquez (que naufragou em 1904), Dart (1885), Hator (1909) Campos (1945), Therezina (1919) e Shegmund (1920).
Mas o que desperta muito a atenção --como do mergulhador Paulo Alencar, 22 anos, de São Paulo-- é chegar até o Príncipe de Astúrias, que afundou em 1915 próximo à ponta da Pirabura, com a morte de 700 passageiros. O navio tem cerca de 160 metros de comprimento e está a 50 metros de profundidade.
O que levou tantos navios a afundar próximo à Ilhabela ainda é um mistérios, mas os mais antigos contam que o município é rico em magnetita --mineral que teria confundido a agulha das bússolas.
O mergulhador Sérgio Heitor Marques, 38 anos, disse que essa interferência ainda não foi comprovada. A tese é reforçada pelo historiador Cao Scarpinni, que afirma que estudos feitos em 86 apontaram que a quantidade do minério não era suficiente para provocar alterações.
Uma das explicações mais plausíveis, segundo ele, é que na parte sul de Ilhabela, onde está a maioria dos naufrágios, há o ponto de encontro de duas correntes marítimas que provocam a formação de nevoeiros.
O naufrágio premeditado para recebimento de seguro também é outro fator avaliado por pesquisadores. (Fonte: ValeParaibano)

Ocupação da periferia no litoral aponta exclusão social
Constatação é da pesquisa "As imagens da pobreza do Litoral Norte" realizada pela Universidade de Taubaté

Ubatuba - Mais de 20% da população do Estado de São Paulo vive na periferia das cidades e sobrevive com menos de um salário mínimo para sustentar a família.
Dados de uma pesquisa da Unitau (Universidade de Taubaté) também apontam que o reflexo da exclusão social no Litoral Norte é facilmente percebido. Um agravante da periferia das cidades litorâneas é a ocupação irregular em áreas de preservação ambiental.
De acordo com a pesquisa "As imagens da pobreza do Litoral Norte do Estado de São Paulo, realizada pelo Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas de Práxis Contemporânea", os moradores de baixa renda estão sendo cada vez mais "escondidos" do centro dos municípios litorâneos, que dependem da "boa imagem" para atrair turistas durante a temporada de verão.
Segundo o coordenador do projeto, José Rogério Lopes, esse cenário é característico de municípios turísticos, onde a economia gira em torno do comércio em épocas de temporada e a imagem das cidades precisa ser "preservada".
É o reflexo do que está acontecendo com o casal de baianos Terezinha de Souza, 59 anos, e André Miranda, de 62 anos, que moram há mais de 10 anos em Ubatuba, próximo à Serra do Mar.
Para garantir moradia nos próximos anos, os dois resolveram construir juntos um barraco na favela Sesmaria, já que as casas localizadas no "pé da serra" estão sendo desocupadas.
"Vamos garantir um barraquinho aqui pra viver, porque daqui a pouco não vão mais deixar a gente morando lá", comenta.
A pesquisa, realizada na favela Sesmaria, localizada na região sul de Ubatuba, aponta a predominância de migrantes vindos principalmente dos Estados da Bahia (29,88%) e Minas Gerais (16,97%), além de outras cidades de São Paulo (11,29%).
Uma característica destacada pelo coordenador dos estudos, José Rogério Lopes, é a presença significativa de crianças de até 12 anos (42,33%) na favela Sesmaria. "O local é apenas uma amostra da presença infantil nessas principais comunidades que vivem na região periférica do Litoral Norte", explica.
A frequência escolar não é tão baixa -- 5,9% em idade escolar não freqüentam a escola--, mas 57% dos moradores não concluíram o ensino fundamental. (Leia mais nesta página).
RENDA -- A favela Sesmaria, assim como as outras regiões periféricas de Ubatuba, apresenta 38% dos moradores com renda mensal variando entre um e três salários mínimos.
De acordo com dados da Prefeitura de Ubatuba, o bolsão de pobreza da cidade está concentrado na região sul e oeste e inclui cerca de 10 mil famílias com renda mensal de até dois salários mínimos.
Segundo dados levantados pela pesquisa da Unitau, mais de 90% dos trabalhadores da periferia são informais e atuam na construção civil. O desemprego atinge 25% das mulheres e 11% dos homens que residem na favela Sesmaria.
SEM ALTERNATIVA - A ambulante Catarina da Conceição, 36 anos, é uma das herdeiras das terras da antiga fazenda que deu origem ao loteamento irregular. Apesar disso, só possui uma casa velha, oito filhos e força de votnade para sobreviver.
Durante a temporada, ela passa a noite fazendo salgadinho para vender na praia. Fora de temporada, procura um serviço para sustentar a família.
A distância do centro de Ubatuba à favela da Sesmaria, onde mora, é de mais de 5 km. O trecho, a pé, é percorrido durante meia hora.
"Não tenho renda fixa. A pensão que meu ex-marido paga aos meus filhos de pouco mais de R$ 200 é utilizada para sustentar toda a família".
Como Catarina, o pedreiro Adolfo Rodrigues da Silva, 47 anos, também leva uma vida difícil. "Apesar de viver com a renda da construção de casas, o pedreiro tem um sonho de vida -- construir uma casa 'descente' para morar. (Fonte: ValeParaibano)

Favela tem 42,33% de crianças

Ubatuba - Segundo pesquisa da Unitau, 42,33% da população da favela Sesmaria, de Ubatuba, é formada por crianças de até 12 anos. A porcentagem está acima da média do Estado de São Paulo, que traz 18% da população de periferia formada por crianças de até 10 anos de idade.
A presença maçica de crianças na periferia das cidades do Litoral Norte faz parte da problemática da exclusão social e da formação de novas famílias pobres na região.
Segundo o sociólogo Luiz Carlos de Andrade Aquino, de São José dos Campos, esse alto índice de crianças na periferia do Litoral Norte é conseqüência da falta de políticas públicas dos governos federal, estadual e municipal. "Não temos um projeto nacional de desenvolvimento do país e, em decorrência disso, há um crescimento contínuo da exclusão social", disse.
A escolaridade é outro fator agravante na favela pesquisada pela Unitau. Apesar do índice de crianças fora da escola em idade escolar obrigatória não ultrapassar 5,9% da população da periferia, 57% dos moradores da Sesmaria não completou o ensino fundamental e 2,9% são analfabetos. Somente 6,5% da comunidade concluíram o ensino médio. (Fonte: ValeParaibano)

Renda pode variar até 552%

Ubatuba - Ubatuba, cidade com 66.861 habitantes de acordo com o Censo 2000, apresenta uma diferença de renda familiar entre os bairros de até 552,36%.
Os bairros mais pobres se concentram na região norte da cidade, como Camburi, Ubatumirim, Poruba, Promirim e Praia da Fazenda.
A diferença social chega a ser evidente em bairros vizinhos, como é o caso das famílias que moram no Félix e no Promirim. De acordo com dados do último censo, as famílias que moram no Félix apresentam uma renda média de R$ 1.500 por mês. Já as que residem no bairro vizinho, do Promirim, têm um rendimento mensal médio de R$ 400. A diferença é de mais de 70%.
MAPA - Os estudos do Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas de Práxis Contemporâneas da Unitau (Universidade de Taubaté) tem como objetivo principal relacionar as condições em que a pobreza se manifesta e caracterizar suas imagens.
A partir dos resultados da pesquisa qualitativa, os pesquisadores vão mapear políticas públicas para propor estratégias integradas ao poder público.
Para o coordenador geral da pesquisa, José Rogério Lopes, o objetivo é traçar o "desenho" da pobreza no Litoral Norte por meio de indicadores sociais, dos dados coletados e das histórias de vida dos moradores de áreas de favelização.
A pesquisa realizada no Litoral Norte faz parte de estudos maiores que relacionam as condições sociais e econômicas de toda a região. O trabalho começou há mais de três anos, com financiamento de bolsas de estudos da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). (Fonte: ValeParaibano)

Migração é causa de 'inchaço'

Ubatuba - Apesar de reconhecer que a população de baixa renda está "escondida" do centro turístico da cidade, a Prefeitura de Ubatuba atribui essa realidade ao inchaço da população em consequência da migração de mineiros e baianos para o município.
Segundo a chefe do serviço de ação comunitária, Branca Marzliak Zaniboni, a maioria da população que vive na periferia é migrante que ocupou áreas irregulares da cidade e não paga tributos à prefeitura.
Branca Zaniboni afirma que a estratégia que a prefeitura está utilizando atualmente é aplicar programas de enfrentamento da pobreza, como o "Renda Cidadã", que assiste 90 famílias no município com uma mensalidade de R$ 60 para auxiliar a renda familiar e ainda promove cursos profissionalizantes.
MEIO AMBIENTE -- Mais de 50% das famílias que residem em zonas periféricas de Ubatuba estão localizadas em áreas de risco ou de preservação ambiental. A favela Sesmaria, formada em 93, ocupa uma área de manancial, que está embargada pela prefeitura desde 94.
O local foi escolhido pelo poder público municipal da época em caráter emergencial para remanejar moradores do bairro Taquaral. (Fonte: ValeParaibano)

Prefeitura organiza estacionamento de bicicletas no Centro
Ação conjunta entre Trânsito e Guarda Municipal objetiva conscientização da população quanto à segurança do ciclista e a urbanização da área central

Ubatuba - O Serviço Municipal de Trânsito (SMT) e a Guarda Municipal de Ubatuba estão promovendo uma ação de conscientização visando resolver a questão do estacionamento de bicicletas na área central da cidade.
Desde a semana passada, funcionários do setor de trânsito realizam panfletagem durante o dia no Calçadão da rua Dona Maria Alves. Nesta semana, a campanha recebeu o reforço da Guarda Municipal e passou para a fase da abordagem pessoal. Cerca de 5 mil panfletos educativos foram confeccionados e distribuídos à população.
Uma equipe de 15 guardas municipal, somada aos funcionários do setor de trânsito, aborda os ciclistas e orienta sobre a utilização do bicicletário para o estacionamento do veículo. Segundo Douglas Incáo, chefe do Serviço Municipal de Trânsito, 180 suportes foram instalados somente no Calçadão.
O projeto do bicicletário, desenvolvido pelo setor de trânsito da Prefeitura, consiste na instalação de um sistema duplo de barras fixadas nas ilhas de jardinagem das praças e locais públicos, permitindo o estacionamento perpendicular da bicicleta ao lado de canteiros. A obra proporciona uma melhor utilização do espaço viário, harmonizando a convivência entre ciclistas e pedestres. Segundo dados do SMT, a cidade de Ubatuba possui atualmente cerca de 70 mil bicicletas.
A receptividade da população em relação à campanha vem sendo considerada satisfatória. No trabalho de conscientização, os guardas explicam a necessidade do estacionamento do veículo nos suportes, em razão da segurança e da própria urbanização do local. “Realmente fica feio aquele monte de bicicletas amontoadas. Desse jeito ficou bem melhor”, disse a balconista Daniela Santos, 19 anos.
Segundo Douglas, a questão das bicicletas está inserida no costume da cidade e há necessidade de um trabalho intenso para modificação destes hábitos. “Normalmente o ciclista está acostumado a deixar sua bicicleta bem em frente ao lugar aonde vai. Com o crescimento da cidade, este costume precisa ser modificado. Quando não houver vagas no Calçadão, por exemplo, o ciclista deve deixar sua bicicleta estacionada próximo ao Fórum, onde existem suportes instalados. Com os carros e motos isso já ocorre, passamos agora a regularizar também a questão das bicicletas. É nisso que estamos trabalhando”, justifica Incáo.
A Guarda Municipal deve trabalhar na orientação e conscientização da população por cerca de 15 dias. Após esse prazo, começarão a ser estudadas aplicações das sanções legais para os infratores, de acordo com a legislação prevista na lei municipal 2.083 de 19 setembro de 2001. (Fonte: ACS-PMU)

São Sebastião investe mais de R$ 8 milhões em obras

São Sebastião - O bairro da Topolândia, na região central de São Sebastião, foi palco, na manhã de hoje, 15, da cerimônia de entrega simbólica de todas as obras que vem sendo realizadas pela administração pública desde o ano passado.
São mais de R$ 8 milhões investidos pela Prefeitura de São Sebastião. Deste total R$ 367 mil foram destinados pelo Governo do Estado numa parceria com o município para a implantação do Ensino Médio, cobertura de quadras poliesportivas, municipalização do ensino em algumas escolas de 5ª a 8ª séries, construções de novas salas de aula e reformas gerais em escolas municipais como Plínio Gonçalves de Oliveira Santos, Henrique Botelho, Luiza Helena de Barros e em escolas estaduais como Maysa Theodoro da Silva, Josepha de Sant´anna Neves, Walkir Vergani e Sebastiana C. Bittencourt.
Na área da educação ainda estão previstas, para este ano, as construções das Escolas Municipais de Barra do Una e de Maresias, dois complexos educacionais que irão atender alunos de 1ª a 8ª séries.
Reformas; conclusões de obras; restauros; calçamentos; construções de pontes; assentamentos de guias, sarjetas e galerias de água nas áreas da Saúde, Social e de Obras, Meio Ambiente e Urbanismo também estão inseridas no investimento realizado pela prefeitura.
Segundo o prefeito Paulo Julião, 2001 foi um ano de organização na administração pública e, de retomada da credibilidade. “Com todas as obras realizadas no ano passado, fechamos 2001 com um superávit acima de R$ 5 milhões no caixa, isso porque acreditamos e trabalhamos o dinheiro público com respeito e dignidade”, destacou.
Paulo Julião diz que pretende ter o retorno do seu trabalho construindo uma cidade boa para se morar.
A cerimônia, realizada na Avenida Itatinga, em frente ao Centro Comunitário também contou com a participação dos vereadores. Todos lembraram da situação em que se encontrava o bairro até o início desta gestão e de como está hoje, com ruas pavimentadas, término das galerias do córrego Mãe Isabel, construções de galerias de água, entre outros.
O prefeito aproveitou a oportunidade para recordar o seu primeiro mandato, 1985, quando ele, e o então governador do Estado, Franco Montoro, inauguraram a pedra fundamental do único Posto de Saúde do bairro, ampliado na sua segunda gestão, entre 89 e 92 e que se encontra na mesma situação até hoje.
“Não é fácil, em um pouco mais de ano e dois meses de administração, nós resgatarmos locais que ficaram oito anos sem assistência, mas nós estamos trabalhando para isso e já temos alguns resultados, como o Córrego Mãe Isabel, uma obra polêmica que concluímos”, desabafou Julião. Ele encerrou a cerimônia destacando as obras que serão realizadas no bairro ainda este ano, como a construção do novo Posto de Saúde e o resgate das atividades do Centro Comunitário, entre outras. (Fonte: PMSS)

Construção irregular dentro do Parque Estadual

Ilhabela - A divisão de fiscalização da Prefeitura Municipal de Ilhabela vem intensificando as vistorias realizadas em volta do arquipélago. Na última quinta-feira foi constatada a construção de um Barraco de madeirit, coberto com telhas de amianto, em um local denominado Saco do Diogo, cota zero do Parque Estadual ( long. W45º 16873 e Latitude S 23º 56038).
No local foram derrubadas diversas arvores e realizado um corte de 90º para a edificação do barraco com cerca12 m².
Uma vez efetuada a demolição do barraco, foi encaminhada denúncia ao Parque Estadual.
O material encontrado no interior do barraco indicava uma futura construção ou ampliação do mesmo.
A atual postura da fiscalização, deverá coibir cada vez mais a proliferação de construções que colocam em risco os próprios moradores, ou são objetos de degradação ambiental. (Fonte: PMI)

Prefeitura firma convênio para “Casa de Abrigo Provisório”
Convênio entre o prefeito Antonio Carlos da Silva (PSDB), Fundação Cultural de Caraguá, Sociedades Amigos de Bairro e creches do município, deverá beneficiar várias crianças e adolescentes carentes

Caraguatatuba - O Prefeito de Caraguatatuba, Antonio Carlos da Silva (PSDB). participará na próxima terça-feira 19, de uma solenidade para a assinatura de convênios com Entidades do município. O prefeito estará apresentando a instalação da “Casa de Abrigo Provisório para Adolescentes”. A solenidade acontecerá às 10h na Fundacc (Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba).
Este acordo foi firmado com as Sociedades de Amigos de Bairro de Caraguatatuba e recentemente foi aprovado pela Câmara Municipal. O evento também visa o benefício da comunidade no que diz respeito á melhoria na qualidade de vida. A instalação da casa será feita através de convênio entre a Prefeitura e a Creche MEIMEI, proporcionando condições melhores para meninos e meninas, em regime de abrigo. A creche vai oferecer 24 vagas, sendo 12 para o sexo feminino e 12 para o sexo masculino.
O local deverá manter recursos humanos, materiais e equipamentos sociais adequados e compatíveis com o atendimento dos serviços assistenciais. A creche também deverá utilizar os recursos a serem repassados pela Prefeitura para realizar manutenção das duas unidades de abrigo, bem como mantê-las em pleno funcionamento, além de manter a diretoria da entidade sem remuneração. A entidade irá contratar pessoal necessário para a manutenção dos trabalhos desenvolvidos nas unidades, desenvolver suas ações em conjunto com os demais serviços públicos existentes, assegurando os direitos dos adolescentes de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente.
A Prefeitura vai repassar, mensalmente, o valor solicitado, efetuar manutenção anual mediante a necessidade de reparos, além de colocar a disposição, quando necessário, serviços emergenciais oferecidos pelas Secretarias Municipais, para, em conjunto com a conveniada, realizar o atendimento prioritáriodo obrigado; dar autonomia à conveniada quanto a administração das unidades, a utilização de seu regimento interno próprio, e demais atividades, para o bom funcionamento dos abrigos, respeitando os parâmetros estabelecidos neste convênio e na legislação vigente; supervisionar, acompanhar e avaliar qualitativa e quantitativa os serviços prestados pela conveniada em decorrência deste convênio.; comunicar o Conselho Municipal de Assistência Social e/ou Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Caraguatatuba as irregularidades verificadas e não sanadas pela conveniada, quanto a qualidade dos serviços prestados ou quanto a aplicação dos recursos financeiros trasferidos, para fins previstos no artigo 36, da Lei Orgânica de Assistência.
A Prefeitura se compromete à conveniada, sempre no 3º dia útil de cada mês, a partir da assinatura do presente convênio, o valor solicitado pela entidade, no presente convênio em R$ 174.794,52 (cento e sessenta e quatro mil, setecentos e noventa e quatro reais e cinquenta e dois centavos. (Fonte: PMC)

SAB’s poderão ser beneficiadas com convênio da PMC
A Prefeitura de Caraguá está prestes a firmar convênio com as SAB’s - Sociedade Amigos de Bairro de Caraguatatuba, para a realização de projetos, atividades e programas que proporcionem melhoria na qualidade de vida da população. A reunião com as entidades acontecerá no dia 25

Caraguatatuba - A Prefeitura Municipal de Caraguatatuba está viabilizando convênio com as Sociedades Amigos de Bairro de Caraguatatuba. O projeto de lei, aprovado pela Câmara Municipal, mostra a possibilidade na firmação de convênios que visem o benefício da comunidade no que diz respeito à melhoria na qualidade de vida.
De acordo com a secretária de Assistência Social, Maria do Carmo Cunha Ferreira, esse convênio, assim como o anteriormente firmado entre Prefeitura e APM - Associação de Pais e Mestres, tem o intuito de estruturar as Sab’s, e apoiá-las na realização de atividades e outros projetos que beneficiem a comunidade, como os que já vem sendo realizados pela assistência Social atualmente, como o Geração de Renda, com produção de moda praia e bonecas de pano. “Outras atividades podem ser realizadas, com o apoio da Prefeitura, na viabilização de projetos”, explicou.
Segundo os registros da Assistência Social, em Caraguatatuba apenas cerca de 12 a 14 Sab’s estão legalizadas. Entretanto, para as Sociedades Amigos de Bairro que ainda não se organizaram, essa é uma boa hora. Haverá uma reunião entre na nova sede da Assistência Social(junto ao prédio novo da Secretaria de Educação), na Segunda-feira 25, da qual estará participando a secretária Maria do Carmo, o prefeito Antonio Carlos e o setor jurídico da Prefeitura, às 19h. Podem participar da reunião todos os presidentes de Sab’s além de dois membros da sociedade. Para as Sab’s ainda não-legalizadas, a secretária de Assistência Social informou que no local estará sendo feito o levantamento das mesmas, e orientação para a legalização dessas entidades, que futuramente poderão receber benefícios da Prefeitura, para melhora na qualidade de vida da população de Caraguatatuba. (Fonte: PMC)

USF e o trabalho com as famílias de Caraguá
As USF - Unidades de Saúde da Família são o ponto de apoio das famílias de Caraguatatuba dentro dos postos de Saúde da cidade(UBS). Em cada posto da cidade tem uma Unidade de Saúde da Família, trabalhando em benefício da saúde da comunidade

Caraguatatuba - Grande parte da população desconhece o trabalho em conjunto dos agentes de Saúde junto às USF - Unidades de Saúde da Família, que têm sede nos Postos de Saúde de Caraguá e estão no local para trabalhar com as famílias, acompanhando casos, tratamentos e outras situações anteriormente registradas pelos agentes de Saúde, que visitam as casas de Caraguá para efetuar o registro das famílias e suas principais necessidades.
Através dos agentes, sabe-se o quadro de saúde da família. Exemplificando, se há casos de diabetes, hipertensão, bebês que necessitam de acompanhamento, problemas de alcoolismo, drogas, entre outros, as Unidades de Saúde já têm esses registros nos Postos de Saúde, otimizando assim o atendimento à população.
De acordo com a Secretaria de Saúde, a população tem o hábito de procurar o médico já em estado grave de doença, e as visitas do agente de saúde proporcionam essa ponte entre a população e as Unidades Básicas de Saúde, identificando doenças e realizando encaminhamentos quando necessário. As visitas acontecem 1 vez por mês.
Os bairros que possuem as Unidades de Saúde da Família são Tabatinga, Massaguaçu, Getuba, Casa Branca, Olaria, Porto Novo, Morro do Algodão e Perequê-Mirim. Para melhorar ainda mais o atendimento à população, a Saúde realizou na última semana o concurso para contratação de mais 80 agentes para o Programa de Saúde da Família.
Cartão SUS: Para viabilizar o preenchimento do cartão SUS são necessários os seguintes documentos: RG, carteira profissional, CPF, certidão de nascimento, certidão de casamento, título de eleitor - de todos da família. O cartão SUS estará beneficiando a população, porque além de haver um controle do perfil das famílias através do cartão, pelas Unidades de Saúde da Família, o setor de Saúde possui vários programas como o PSF, Bolsa-Alimentação, Bolsa Escola, Vale Gás, entre outros, e é através dessas informações contidas no cartão SUS que a Saúde consegue junto aos Governos Estadual e Federal mais programas e benefícios para a comunidade. Para conquistar esses benefícios, que vão melhorar a qualidade de vida da população basta receber bem o agente de Saúde. (Fonte: PMC)

Dengue em Caraguá é preocupante, dizem Vereadores

Caraguatatuba - A Câmara Municipal de Caraguatatuba realizou na tarde desta quinta-feira, às 16 horas, em seu plenário, uma Audiência Pública para discutir a situação da Dengue na cidade. A Secretaria Municipal de Saúde tranqüilizou os Vereadores e membros da reunião, mas para os Vereadores, a situação é preocupante e merece atenção redobrada.
Cerca de 30 pessoas compareceram a Câmara Municipal, para a Audiência Pública sobre a Dengue, organizada pelo Legislativo através da indicação do Vereador Aurimar Mansano (PTB), que também é presidente da Comissão Temporária de Assuntos sobre a Saúde na Câmara.
Estiveram presentes os Vereadores Aurimar Mansano (PTB), Valmir Gonçalves (PSDB), Madalena Fachini (PSB), Leonor Diniz (PDT), Aureliano Gonçalves Pereira (PTB), Agostinho Lobo de Oliveira (PSDB) e o Pastor Anderson Bertoncini (PTB). A Secretária Municipal de Saúde, Myrlene Veneziani e sua equipe também se fizeram presentes, além de representantes da Promoção Social, Educação Municipal e Movimento pela Cidadania.
Até o momento já foi identificado apenas um caso em Caraguatatuba, sendo que os 2 restantes estão a espera de um laudo oficial. A Saúde tem 22 funcionários trabalhando no caso e mais de 200 armadilhas colocadas pela cidade, tendo sido encontradas larvas no Centro, Caputera, Jardim Primavera, dentre outros bairros. Os funcionários reclamam que as várias casas fechadas impossibilitam o trabalho de verificação do mosquito aedes aegipty.
Para a Secretária Municipal de Saúde, a situação é de atenção, porém tranqüila, mas que deve haver uma mobilização geral, dos órgãos públicos com a Sociedade Civil Organizada.
Já os representantes da Secretaria Municipal de Educação dizem que nas escolas tem sido feito trabalhos pedagógicos de reciclagem e orientação com os alunos da rede, mostrando o que deve ser feito e quais os cuidados com a doença.
Para os Vereadores a situação é preocupante. Pereira acha que o trabalho desenvolvido pela Saúde é tardio. Já o presidente Valmir Gonçalves acha que uma mobilização monstro deve ser feita imediatamente. Todos foram unânimes que novas reuniões e debates devem ser feitos sobre o assunto. O idealizador da Audiência, Vereador Aurimar Mansano acha que o objetivo foi alcançado. "Fizemos a Audiência Pública para saber a situação da Dengue na cidade. Agora que tomamos ciência do fato, precisamos desencadear situações para combate-la com efetividade", finalizou. (Fonte: Câmara Municial de Caraguatatuba)

Aurimar consegue pavimentação para o Barranco Alto

Caraguatatuba - O Vereador Aurimar Mansano (PTB) conseguiu junto ao Executivo Municipal o início e a continuação da pavimentação no bairro do Barranco Alto, na zona sul de Caraguatatuba. Problemas técnicos suspenderam as obras, que foram reiniciadas graças ao empenho do Parlamentar.
Uma das metas de trabalho do Vereador Mansano é conseguir melhoria da qualidade de vida da população, principalmente nos bairros da zona sul, onde obteve maior número de votos, estando centradas ali as suas bases eleitorais no município.
Para isso, vem tentando, desde o início do seu primeiro mandato, em 97, o asfaltamento das ruas do Barranco Alto, que tiveram início em 2000 e foram suspensas logo depois, devido a espera sobre as obras de rede coletora de esgotos da Sabesp (Saneamento Básico do Estado de São Paulo).
Com a interrupção, o Parlamentar voltou a baila com novos pedidos, através de Indicações, até culminar com o Requerimento 0189/2001, em setembro do ano passado, quando perguntava ao Executivo quando seriam reiniciadas as obras, bem como o prazo de conclusão, as ruas calçadas, dentre outros. O prefeito Antonio Carlos da Silva (PSDB), respondeu o Requerimento em dezembro do mesmo ano.
Na resposta o prefeito informa que o reinício das obras ocorreu em 10 de dezembro, estando no momento com as guias e sarjetas prontas, restando cerca de 50% da camada asfáltica. As principais ruas asfaltadas são a Ismael Iglesias, José Domingos Cardoso, Sebastião Paulino Ferreira, Benedito Paes, entre outras, num total de 45 mil metros², tendo 10 mil metros prontos. O prazo de conclusão é estimado em 90 dias. "É tarefa do Vereador conseguir melhoria na qualidade de vida da população. Transitar por ruas asfaltadas e ter tráfego fluente é uma dessas melhorias", frisou. (Fonte: Câmara Municial de Caraguatatuba)

Comissão de Educação dá sugestões no Relatório Final

Caraguatatuba - A Comissão de Assuntos Relevantes da Educação da Câmara Municipal de Caraguatatuba entregou o seu Relatório Final. No Relatório há uma síntese do trabalho realizado, bem como o detalhamento de cada visita feita nas escolas estaduais situadas no município. No final há uma série de sugestões à Secretaria Estadual da Educação, bem como a Delegacia Regional de Ensino.
A Comissão de Assuntos Relevantes da Educação da Câmara de Caraguatatuba foi criada em 22 de agosto de 2001, com base no Projeto de Resolução 083/2001, de autoria do Vereador Juarez Pereira Pardim (PSDB). A oficialização da Comissão só foi feita em 30 de agosto, com base na Portaria 028/01, assinada pelo presidente da Câmara, Vereador Valmir Gonçalves - o Valmir da Colônia (PSDB).
Os membros da Comissão tiveram 60 dias para realizar todo o trabalho, podendo prorrogá-lo por igual período, o que foi feito. Esta Comissão teve como membros os seguintes Vereadores; Dalva Ricardo Santana (PPS), Relatora; Nílson Lopes da Silva (PPS), Aureliano Gonçalves Pereira (PTB) e o Pastor Anderson Silva Bertoncini (PTB), como membros, além de Juarez Pardim como presidente.
O objetivo era de tão somente verificar as condições das escolas estaduais situadas no município, para posteriormente remeter aos órgãos competentes, Secretarias Estadual e Municipal de Educação, Prefeito Municipal, Governador e Delegacia Regional de Ensino, o Relatório Final, apontando tudo que foi verificado e vistoriado. Nas visitas os Vereadores conheciam o sistema administrativo e funcional da escola, bem como a situação do prédio em termos de alvenaria, elétrica, manutenção e hidráulica.
O presidente da Comissão, Juarez Pardim, ressalta no Relatório Final que as visitas não tiveram interesse em denegrir ou agredir o trabalho do Dirigente Regional de Ensino, Laércio Albaricci, pois houve a separação dos fatos, o político, da Câmara contra Laércio e da Comissão, em visitar as escolas.
O único ponto negativo no Relatório, de 44 páginas, sendo 15 de texto e 29 com fotos tiradas nas escolas, diz respeito a Supervisora de Ensino Margarete Cordioli, que segundo os Vereadores, tratou com animosidade tanto a eles, como a uma funcionária da E.E. Benedito Miguel Carlota, no bairro do Massaguaçu. No Relatório a Supervisora recebeu uma menção de Repúdio pelas atitudes tomadas. O presidente da Comissão falou sobre o assunto. "Não temos jurisdição sobre as escolas estaduais, mas a integridade física dos alunos diz respeito ao Vereador, que foi eleito pelo povo para cuidar de seus interesses", disse. Para Pardim, só esse ponto já justifica a visita dos Parlamentares e um bom tratamento por parte da Delegacia Regional de Ensino.
Na conclusão os Parlamentares advertem que as escolas estaduais precisam de melhorias em termos de manutenção dos prédios o mais rápido possível por parte do Governo Estadual, para que não haja interrupção das aulas, como por exemplo a construção de um novo prédio no bairro do Massaguaçu. Foram dados elogios às salas de informática das escolas, fato esse que melhorou ainda mais o nível do ensino dado. A contribuição do Executivo Municipal também foi elogiada, pois o maior lucro foi para os alunos.
Em seguida a conclusão, foram feitas diversas sugestões pelos membros da Comissão. A revisão dos valores das verbas, por parte do Governo Federal, que são enviadas periodicamente às escolas deve ser analisada na base de gestões junto ao Ministério da Educação, pois os valores atuais são insignificantes em vista do trabalho que é realizado anualmente. Melhoria na eficácia da Ronda Escolar, realizada pela Polícia Militar, pois o vandalismo é visível e presente em escolas como a Benedito Paes Sobrinho, no Perequê-Mirim, onde só não ocorreram casos mais graves graças ao pulso forte de alguns professores.
A mudança na contratação nas escolas, de caseiros, para vigias, resolveria boa parte do problema de segurança nos prédios, que são constantemente invadidos por marginais que além de depredar, furtam seus objetos mais valiosos. A contratação de mais funcionários para a faxina, secretaria e inspetoria de alunos é outra sugestão dada pela Comissão da Câmara.
Finalizando, uma sugestão dada em destaque no Relatório Final diz respeito às coberturas metálicas das quadras poli esportivas, pois todas apresentam sinais de corrosão em suas bases, mesmo antes de serem entregues definitivamente. Além das sugestões, a Comissão aponta vitórias durante e após suas visitas, como a reforma na escola Benedito Paes Sobrinho, no Perequê-Mirim, zona sul de Caraguatatuba. (Fonte: Câmara Municial de Caraguatatuba)

Quebrado o recorde de invencibilidade no futmesa ubatubense

Ubatuba - Na rodada deste último fim-de-semana do Campeonato Municipal de Futebol de Mesa, uma marca estabelecida em 1998 foi batida. Trata-se do número de jogos invictos consecutivos, que era de Ralph Solera e agora pertence a Ednelson Prado, atual campeão ubatubense. Em 98, Ralph ficou 25 jogos seguidos sem perder, superando a marca anterior, de Luciano Caliani. Neste Sábado, 16 de Março, Ednelson chegou ao seu 26o jogo seguido sem derrota, estabelecendo um novo récorde, que ele pretende aumentar ainda mais ao longo do campeonato.
Após 4 rodadas, o principal torneio promovido pela AUFM tem como 1o colocado do Grupo “A” o botonista Eduardo Ilário, apenas 1 ponto à frente de Edu Macedo Jr, líder do ranking local. No grupo “B”, Fernando Macedo, que é a sensação do campeonato por ter goleado todos os seus adversários, divide a liderança com Ednelson, que defende o título conquistado no final do ano passado. Fernando está a 4 jogos sem tomar gol e pode, na próxima rodada, estabelecer também um novo récorde.
O Campeonato Municipal, patrocinado pelo Spot CyberCafe & LAN House e apoiado pela Kaubá Comércio e Incorporação pode ser acompanhado pelo site da associação www.futmesaubatuba.hpg.com.br  , atualizado semanalmente.

Carta do Leitor

Mimo? Marina? – Em nota no jornal Folha de São Paulo de 09/03/2002 a jornalista Monica Bergamo comunica que a apresentadora, Senhora Hebe Camargo, em comemoração de seu aniversário se presenteou com um barco. Segundo a jornalista, referido mimo, encontra-se ancorado numa marina da praia da Tabatinga.
Àqueles que não conhecem, Tabatinga é um bairro no litoral norte do Estado, no município de Caraguatatuba, que abraça uma baía de significativa beleza paisagística.
Todavia, causa-nos estranheza a menção a "marina" na Tabatinga, pois que naquele local não existe qualquer empreendimento desta espécie.
O que existe sim é um conjunto de estabelecimentos que, instalados em terra firme, se dizem por "marinas", mas para que assim fossem, precisaríamos começar por mudar a definição que assim lhe dá a língua portuguesa! Diga-se de passagem, marinas são consideradas, por lei, atividades altamente poluentes sendo-lhes exigido licenciamento ambiental. Apesar de executarem serviços próprios da marinharia náutica, as "marinas" da Tabatinga carecem do requisito essencial para serem marinas, qual seja sua localização nos corpos d’água. Assim sendo, burlam as leis ambientais necessitando apenas de alvará da prefeitura local para operarem. Tampouco possuem condições de se regularizarem perante a Marinha do Brasil.
Por fixarem-se em terra firme, o lançamento de embarcações se dá mediante complexo sistema de engenharia: tratores tracionam carretas e sobre estas os barcos. Atentando-se que referidas carretas não são licenciadas, não possuem placa de identificação nem luz de freio. A algum dos leitores é permitido trafegar com seu veículo nestas condições? Na Tabatinga esta violação ao Código de Trânsito Brasileiro é consentida, pois que vistas grossas lhe fazem as autoridades locais responsáveis pelo cumprimento da lei.
A única via de acesso ao mar, não dimensionada para suportar o peso que lhe impingem, mais buracos e remendos possui do que via.
A apoteose do processo culmina quando este conjunto motorizado adentra pela praia da Tabatinga, em meio aos banhistas, expondo-os a riscos de vida (sim, porque em Caraguatatuba É permitido o tráfego de veículos motorizados na praia).
Somando a esta seqüência de irregularidades a comunidade local ainda é premiada com o lançamento de óleo diesel, gasolina e outras toxinas nas águas da Tabatinga, formando uma superfície oleosa que inviabiliza o banho de mar em 2/3 daquelas águas: os 500 barcos (agora 501) fundeados (!) naqueles estabelecimentos não consomem todo o combustível de que necessitam durante o processo de combustão, além de, provavelmente, não terem seus motores adequadamente regulados, de modo que significativa quantidade de resíduos daquela mistura é lançada ao mar, provocando aqui outra espécie de dano: ao meio ambiente marinho pelo início de uma cadeia de morte da microflora.
Curioso ainda é saber onde é obtido o combustível necessário àquelas embarcações. Pois que também não existe na Tabatinga posto de abastecimento autorizado pela ANP.
Apesar do tom de denúncia do que aqui se descreve, apelo à cidadã Senhora Hebe Camargo, para que assuma sua parcela de responsabilidade, delegada a todos os brasileiros nos termos do artigo 225 de nossa Constituição, na preservação do meio ambiente para as presentes e futuras gerações.

Carmelita Begnozzi



Lixo na Praia - Eu, visitante deste site, li na edição do dia 12/03/02, uma crítica sobre lixo deixado na praia por pescadores que participam de competições na praia do Massaguaçú. Quero primeiramente parabenizar o freqüentador da praia que flagrou alguns pescadores cometendo a infração de deixar lixo na praia após seu tempo de permanência, mas quero também lembrar que as pescarias competitivas acontecem apenas e tão somente em alguns finais de semana, enquanto que o lixo que se encontra na referida praia é uma constante, pois é oriundo da margem da rodovia, das casas circunvizinhas, dos chamados farofeiros, bem como de outras regiões ou praias trazido pelos movimentos das marés. É comum encontrarmos fraldas descartáveis, camisinhas, velas, entre uma série de objetos que o pescador não utiliza em suas pescarias.
Eu acho que a responsabilidade maior é da própria Prefeitura Municipal que não cumpre, a contento, sua funções e deixa a região norte em estado de completo abandono, basta verificar o Bairro Getuba e suas adjacências que convivem com a falta de infra-estrutura permitindo que a população e principalmente crianças tenham contato direto com o esgoto doméstico que corre a céu aberto para, em seguida, desaguar e poluir os córregos e posteriormente o mar.
Que tal um movimento no sentido de cobrar do Sr. Prefeito de Caraguatatuba um pouco mais de zelo na periferia de seu município, pois é necessário que a casa inteira esteja em ordem e não somente a sala de visita, como é o caso do centro da cidade.

Dirceu Astorga Emmã



Ainda a rotatória - Ora, a rotatória - Que bom a rotatória - Bem, não sabia como colocar o título, pois há quem aplauda, há quem critique, mas o fato é que o índice de acidentes foi reduzido a zero e a verba para a obra da estrada, depois do movimento, foi apressada e saiu.
Logo a AMOCOMSA e a AMOCIJA que iam precisar arrecadar 13 mil reais para material de recapeamento solicitado pelo DER folgaram em saber da liberação de verba para a SP-55. Assim sendo a Prefeitura e o DER irão terminar a tão falada rotatória, mas fica um lembrete: "O que importa é o homem que desce na arena e luta até sangrar, cai, levanta e luta novamente e não aquele que fica na platéia apenas criticando sua forma de lutar". Que seja, a luta pela rotatória, boa ou má, foi ótima pois vem salvando vidas e perturbando apenas aqueles que gostam de ser platéia e vão passa pela vida sem perceber que não viveram

Alberto Caetano
Associação dos Moradores e Comerciantes da Martin de Sá
AMOCOMSA

 

AHPSC Pousada Arpoador Mega-Rá

 Faça seu comentário, crítica, opinião ou sugestão:
Clique Aqui.

 

Receba as Últimas Notícias do Litoral via e-mail!
e-mail:
Obs.: Você poderá cancelar o recebimento das notícias a qualquer momento.

Leia também as colunas:
Para Refletir
Para Refletir
Margareth Bravo

Opinião

Ronaldo Dias

Conheça as cidades do Litoral Norte Paulista:
Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

Litoral Virtual
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet
Sugestões, críticas e informações, entre em contato:
info@litoralvirtual.com.br


©1995/2001 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor