Litoral Virtual últimas notícias do litoral
Terça-feira, 22 de abril de 2003 - Nº 767 Edições Anteriores

Ilha do Pontal Pousada albatroz Naturali Garden Center

Litoral Norte:
   Tempo nublado no Litoral Norte faz turista voltar mais cedo para casa
   Retorno pela Tamoios leva 3 horas e meia
   Cidades do Litoral Norte recebem ICMS "ecológico"
   Número de assassinatos triplica no Litoral Norte no 1º trimestre
   Violência choca família das vítimas
   Delegado diz que crimes são solucionados

Caraguatatuba:
   Infra-estrutura na porta de entrada do litoral
   Oficinas culturais crescem 75%
   Educação infantil ganha novo centro
   História de Caraguá
   Novo museu preserva os valores caiçaras
   Programação de Aniversário de Caraguatatuba
   Cidade abre inscrição para corrida de 8 km
   PSF faz 145 mil atendimentos/ano
   Regatas, vôo livre e 40 km de praias
   Carta à população de Caraguá

São Sebastião:
   Daniela Mercury e Frank Aguiar “incendeiam” Rua da Praia
   São Sebastião comemora coleta seletiva

Ubatuba:
   Menores são acusados de roubar motorista
   Como surgiu a cidade de Ubatuba?

   Carta do Leitor

   Colunista - Uma nova BR - Otimismo ou Realismo?



Tempo nublado no Litoral Norte faz turista voltar mais cedo para casa
Motoristas levam 3 horas e meia na Tamoios devido ao congestionamento; polícia prevê movimento intenso hoje

Litoral Norte - O tempo nublado antecipou o retorno dos turistas que passaram o feriado da Páscoa e de Tiradentes no Litoral Norte. A partir das 8h, o fluxo de carros já era intenso nas principais rodovias do Vale do Paraíba, que ficaram cheias até por volta das 21h.
Hoje, entre 6h e 10h, a Polícia Rodoviária Estadual ainda espera movimento intenso nas estradas.
Na rodovia dos Tamoios (São José dos Campos-Caraguatatuba), a opção por voltar mais cedo para casa provocou uma fila de carros e deixou o trânsito lento. De manhã, a média de carros por minuto chegou a 48, contra os 10 carros por minuto em dias normais.
A viagem de retorno pela Tamoios demorou até três horas e meia ontem. Pela rodovia Oswaldo Cruz (Taubaté-Ubatuba) demorou duas horas e meia (leia texto nesta página).
A auxiliar de escritório Karina Presotto, 21 anos, disse que o tempo foi o principal motivo para voltar mais cedo da praia. "Com o tempo ruim, não há o que fazer lá. O trânsito na serra já está complicado e deve piorar nas próximas horas", disse Karina ontem de manhã, enquanto trafegava na Tamoios.
Para o comerciante Paulo César Petrin, 25 anos, que saiu de Caraguá mais cedo, o trânsito na Tamoios estava muito lento.
O vendedor João Fernando Marcondes, 47 anos, lamentou ter se atrasado para sair do litoral. "Sempre saio mais cedo e hoje atrasei. Com o tempo ruim, muitos anteciparam a volta e a Tamoios está congestionada."
RETORNO - A Polícia Rodoviária Estadual informou que até as 18h de ontem, 39.920 veículos já haviam retornado pela Oswaldo Cruz, 20,7 mil pela Tamoios e 18,3 mil pela Floriano Rodrigues Pinheiro (Taubaté-Campos do Jordão).
Na Carvalho Pinto houve congestionamento à tarde entre o km 92 e km 104, em São José, com a passagem de 58 veículos por minuto.
DUTRA - Por volta das 18h30 de ontem, uma pessoa morreu atropelada no km 126, na via Dutra, em Caçapava.
O trecho de maior congestionamento na Dutra foi entre o km 149 e km 156, em São José, na pista sentido São Paulo.
O inspetor da Polícia Rodoviária Federal Alexandre José de Freitas disse que o tráfego intenso desde o período da manhã foi ocasionado pelo tempo nublado. Segundo ele, às 16h, o movimento era de 40 veículos por minuto. (Fonte: ValeParaibano)

Retorno pela Tamoios leva 3 horas e meia

Litoral Norte - Turistas que retornaram do Litoral Norte pela rodovia dos Tamoios ontem à tarde levou três horas e meia na estrada, entre Caraguatatuba e São José dos Campos. O tempo normal é de uma hora e 15 minutos.
O pico de movimento foi registrado entre 14h e 15h30, quando 49 carros passavam por minuto pela rodovia.
Por volta das 17h, o movimento caiu um pouco, reduzindo o tempo de viagem para duas horas e 45 minutos.
O trecho mais crítico na Tamoios foi entre o km 28, em Paraibuna, e km 18, em Jambeiro, onde o motorista chegou a parar o carro.
Na rodovia Oswaldo Cruz (Taubaté-Ubatuba), o motorista que resolveu voltar para casa no início da tarde de ontem também enfrentou uma viagem mais longa que a de costume.
Devido ao congestionamento entre o km 88 (início da serra) e km 93 (trevo de acesso à rodovia), a viagem demorou cerca de duas horas e meia, enquanto o normal é uma hora e 40 minutos.
Na Floriano Rodrigues Pinheiro (Taubaté-Campos do Jordão), o trajeto de retorno até a via Dutra ou à Carvalho Pinto foi feito ontem à tarde em média em uma hora --fora de feriado a viagem é feita em 40 minutos.
O maior movimento na Floriano Rodrigues Pinheiro foi registrado às 16h30, com 58 veículos trafegando em direção à São Paulo. Uma hora depois, o movimento atingiu 56 carros por minuto. (Fonte: ValeParaibano)

Cidades do Litoral Norte recebem ICMS "ecológico"


Litoral Norte - As cidades de Ubatuba e Caraguatatuba receberam em 2002 mais de R$ 1 milhão referente ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) Ecológico por abrigarem grande parte do Parque Estadual da Serra do Mar. No total, os 169 municípios paulistas que possuem espaços territoriais sob proteção legal do Estado receberam no ano passado R$ 39.632.785,42 por conta de ICMS Ecológico. Esse tributo foi estabelecido pela Lei Estadual 8.510/93, consistindo em 0,5% da parcela de ICMS que constitui a cota-parte dos municípios. A Constituição Federal prevê que 75% da arrecadação de ICMS é destinada ao Estado e os outros 25% aos municípios. Do percentual destinado aos municípios, pelo menos 75% devem ser distribuídos em função do valor adicionado nas operações relativas à circulação de mercadorias e à prestação de serviços realizadas em seus territórios, ficando a distribuição dos 25% restantes para ser regulamentada por lei estadual. No Estado de São Paulo foi estabelecido que, da cota dos municípios, 76% devem ser calculados em função do valor adicionado e 24% divididos da seguinte forma: 3% por conta da área cultivada, 2% do componente percentual fixo, 0,5% dos reservatórios de água destinados à geração de energia elétrica, 0,5% dos espaços territoriais especialmente protegidos, 13% da população e 5% da receita tributária própria. (Fonte: ValeParaibano)

Número de assassinatos triplica no Litoral Norte no 1º trimestre
Nos primeiros três meses do ano 41 pessoas foram mortas na região; 21 em Caraguá

Litoral Norte - O número de homicídios no Litoral Norte quase triplicou no primeiro trimestre deste ano comparado ao mesmo período de 2002. Nos três primeiros meses do ano, a região registrou 41 assassinatos, contra 14 no ano passado.
Caraguatatuba registrou o maior índice de violência --foram 21 homicídios entre janeiro e março de 2003, contra cinco no ano passado. Em Ubatuba ocorreram oito assassinatos este ano, contra três em 2002.
Em Ilhabela duas pessoas foram assassinadas --no primeiro trimestre do ano passado não houve nenhum caso.
O número de homicídios em São Sebastião não foi informado pela polícia, mas pelo menos 10 assassinatos foram registrados na cidade entre janeiro e março deste ano, quatro a mais que em 2002.
Os dados foram fornecidos pelas polícias Civil e Militar. A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública informou que o balanço dos crimes registrados no primeiro trimestre ainda não foi concluído.
Segundo a Polícia Civil, os bairros com maior índice de violência em Caraguá são o Perequê-Mirim, Jaraguazinho, Morro do Algodão, Cantagalo, Indaiá, Morro do Chocolate, Olaria e Sumaré. Em São Sebastião, os bairros apontados são Olaria, Itatinga e Topolandia; e em Ubatuba, Ipiranguinha e Perequê-Açu.
DROGAS - Segundo a polícia, cerca de 90% dos homicídios ocorridos na região foram solucionados (leia texto nesta página).
"A maioria das vítimas tinha ligações com o tráfico de drogas. Três crimes aconteceram devido a brigas pessoais e outra vítima tinha vários antecedentes aumentando a suspeita de acerto de contas entre quadrilhas", disse o delegado de Ubatuba, Fausto Geraldo Carvalho.
O delegado titular de Caraguá, Fábio Carvalho Joaquim, não retornou as ligações do ValeParaibano.
FURTOS - As ocorrências de furtos e roubos também aumentaram no primeiro trimestre no Litoral Norte.
Segundo dados da polícia, entre os meses de janeiro e março, foram registrados 2.176 furtos na região contra 1.586 no ano passado --um aumento de 37,2%. A variação foi ainda maior nos casos de furtos de carros que aumentou 68%. Foram 108 carros furtados este ano, contra 64 em 2002. As ocorrências de roubos aumentaram 55,17%. No total foram 360 casos, contra 232 no mesmo período passado. (Fonte: ValeParaibano)

Violência choca família das vítimas

Litoral Norte - Familiares de vítimas de homicídios em Caraguá afirmam que estão preocupadas com a violência na cidade.
"Estou assustada com o crime pois estava retornando de um batizado e encontrei o meu marido morto", disse a dona-de-casa J.S.O., 48 anos, mulher do comerciante L.Q.S.S., 42 anos, que foi assassinado dentro de seu bar no bairro Perequê-Mirim no mês passado.
"Meu marido não tinha inimigos e sempre ajudava as pessoas do bairro desde que inaugurou o bar há cinco anos", disse.
A aposentada Benvinda Teixeira da Silva, 74 anos, mãe do ajudante geral R.T.S., 32 anos, que foi morto em março no bairro Rio do Ouro, em Caraguatatuba, disse que o filho tinha inimigos.
"Ele era um homem trabalhador mas tinha muitas amizades suspeitas. Sabia que ele vinha sendo ameaçado mas não imaginava que era tão sério", disse.
A aposentada disse que seu filho estava indo à igreja e fazendo novas amizades. "Ele não era bandido apenas se envolveu com as pessoas erradas. Amava muito meu filho e lamento sua morte", disse. (Fonte: ValeParaibano)

Delegado diz que crimes são solucionados

Litoral Norte - O delegado seccional do Litoral Norte, João Barbosa Filho, afirmou que cerca de 90% dos casos de homicídios da região foram solucionados.
"Os casos foram esclarecidos e identificamos as causas, mas nem todos os suspeitos estão detidos. Algumas vítimas tinham antecedentes e ligação com o tráfico", disse.
Ele afirmou que desde o início do mês equipes da Dise (Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes) e DIG (Delegacia de Investigações Gerais) percorrem a região tentando esclarecer os crimes.
Barbosa Filho afirmou que a migração desordenada seria um dos fatores para o aumento da violência. "A pessoa vem ao litoral para trabalhar no verão e depois fica desempregada. Algumas não têm vínculo com a cidade e acabam cometendo delitos", disse.
Para o presidente do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) de Caraguá, Janos Majoros, o efetivo da polícia não acompanha o crescimento do município. "Precisamos de mais policiais nas ruas para aumentar a segurança da população." (Fonte: ValeParaibano)

Infra-estrutura na porta de entrada do litoral

Caraguatatuba - Caraguá comemora 146 anos de emancipação política fortalecendo a imagem de cidade litorânea que consegue unir infra-estrutura e natureza. Ao mesmo tempo que o turista continua a desfrutar das 17 opções de praias, ao circular pela cidade se beneficia do resultado do investimento em obras de reurbanização, pavimentação, paisagismo e saneamento básico.
Segundo a atual administração municipal, foram mais de 600 obras nos últimos seis anos, somando hoje 200 quilômetros de pavimentação, 13 de ciclovias, 46 novas pontes e 4.200 novos pontos de luz. Uma das principais obras que deram "cara nova" à cidade, a revitalização da avenida Dr. Arthur da Costa Filho (avenida da Praia) realizada em 1997, foi a primeira etapa da mudança das principais vias de Caraguatatuba.
Hoje, população e turistas recebem reurbanizada a avenida Geraldo Nogueira da Silva, que é a continuação da avenida da Praia após a ponte do Rio Santo Antônio. No local foram feitas obras de drenagem, galeria de águas, pavimentação, calçadão, estacionamento, ciclovia e iluminação.
Outras avenidas, como a Paulo Ferraz da Silva (centro-Martim de Sá), Jundiaí (alternativa para quem vem de Ubatuba) e Oswaldo Cruz (antigo leito do rio Santo Antônio) também foram reurbanizadas. "Uma obra complementou a outra, também oferecendo melhores opções para o turista que vai para Ubatuba e São Sebastião, já que Caraguatuba é a porta de entrada do Litoral Norte", afirma o secretário de Obras Gilson Mendes.
Mendes também ressalta obras em bairros, como os acessos para ônibus nos bairros Olaria, Recanto, Casa Branca, Estrela D'alva, Tinga, Porto Novo, Morro do Algodão, Barranco Alto, Perequê-Mirim e Travessão.
A região do Massaguaçu recebeu obras como pavimentação de ruas, além da base da Polícia Militar e um Posto Avançado da Divisão de Trânsito, para oferecer maior segurança aos moradores e visitantes.
A reurbanização de praias também é projeto da prefeitura para este ano. A intenção é tornar os acessos e orla ainda melhores e mais receptivos. Algumas serão revitalizadas, outras reurbanizadas, como a Martim de Sá, que terá um calçadão mais largo, novos bolsões de estacionamento e ciclovias, entre outras mudanças.
Na área de saneamento básico, hoje 64% das moradias são beneficiadas, sendo que a meta é atingir 85% até o final do próximo ano.
Estas transformações e a valorização do município têm atraído grande número de investidores na área da construção civil. O investimento privado e as ações do poder público, além das várias parcerias realizadas levam a cidade a um processo rápido e contínuo de desenvolvimento -- sendo que, nos últimos 10 anos, Caraguá mudou mais que nos últimos 50 anos. (Fonte: ValeParaibano)

Oficinas culturais crescem 75%
Cursos sobem de 20 para 35 e devem atender 5.000 pessoas; aulas vão do piano ao esperanto

Caraguatatuba - Desde sua criação, em 1982, a Fundacc (Fundação Cultural de Caraguatatuba) oferece oficinas gratuitas à população. Neste ano, além de oferecer uma nova sede para estes cursos, no centro da cidade, há um crescente número de opções para quem gosta de aprender: de 20 oficinas no ano passado, hoje a Fundacc possui 35 cursos, um aumento de 75%
De acordo com a presidente da Fundacc, Eloíza Antunes de Oliveira, em 2003 estas oficinas devem passar a atender cerca de 5.000 pessoas. A nova unidade também abriga aulas da educação continuada da terceira idade e o curso de esperanto. Neste espaço cultural, também há oficinas de música com aulas de piano, teclado, bateria, percussão, violão e cavaquinho, além de artes plásticas com aulas de desenho e história em quadrinhos.
"Hoje, com as oficinas descentralizadas, há aulas em quase todos os bairros da cidade", diz Eloíza. Estas oficinas são realizadas em escolas ou centros culturais.
Outra oportunidade de curso em Caraguatatuba é o Ceprolin (Centro de Ensino Profissionalizante do Litoral Norte), criado há um ano e que oferece cursos de qualificação profissional em diversas áreas de turismo, comércio, informática, entre outros. Os cursos gratuitos garantem melhor qualidade dos serviços prestados e também maior capacidade para combater o desemprego.
TERRAMAR - Outro projeto que oferece à população uma oportunidade de trabalhar com artesanato e possuir uma renda é o Terramar. Por meio de uma parceria com o artista plástico Bem Hur Vernizi, pessoas interessadas em aprender cerâmica participam do curso gratuito de três meses.
No final do curso, os que demonstram mais afinidade com este trabalho passam a fazer parte de um núcleo e vendem suas peças no local. O núcleo, que fica de frente para a praia no bairro Porto Novo, já é um ponto de visitação conhecido na cidade.
A prefeitura ainda mantém no centro um outro ponto de venda de artesanato para estas pessoas. Participam do curso três grupos de 15 alunos por ano. (Fonte: ValeParaibano)

Educação infantil ganha novo centro
Parceira da prefeitura com Fundação Orsa abre 7º CEI nesta terça

Caraguatatuba - O setor de educação em Caraguatatuba está sendo bastante beneficiado por um convênio realizado pela prefeitura. Desde 2000, a prefeitura e a Fundação Orsa firmaram uma parceria que dá bons frutos: hoje já são seis CEIs (Centros de Educação Infantil) na cidade. Na próxima terça-feira, está marcada mais uma inauguração, a do CEI Professora Aparecida Maria Pires de Meneses, que irá funcionar no bairro Olaria.
O convênio entre Prefeitura de Caraguatatuba e Fundação Orsa teve início na gestão pedagógica. Depois, houve a inauguração dos CEIs do Rio do Ouro e Sertão dos Tourinhos. A parceria deu tão certo que a gestão da Fundação Orsa, por meio de seu Programa de Gestão Pedagógica para a Infância (Progepi), estendeu-se para mais três creches municipais, que se transformaram em centros de Educação Infantil -- Ipiranga, Travessão e João Bolinha.
Renovado o acordo em 2002, Fundação Orsa e prefeitura inauguram, justamente na semana do aniversário da cidade, o CEI "Professora Célia Rocha Lobo", no bairro Perequê-Mirim.
O Progepi garante o envolvimento da família e a comunidade na arte de educar-cuidar, de forma prazerosa, sem que haja imposição de atuação, trabalhando sempre a necessidade das parcerias. O Progepi procura a valorização da comunidade sobre a importância da educação de 0 a 3 anos, num trabalho de aproximação com a comunidade, no qual é destacada a importância do trabalho conjunto entre família, comunidade e CEI.
NOVAS ESCOLAS - Segundo a prefeitura, no Ensino Fundamental Caraguá já não possui crianças fora da escola -- são cerca de 15 mil alunos de 7 a 14 anos -- e é esperado que o déficit em Educação Infantil seja suplantado nos próximos meses. Estão previstas, ainda para este ano, duas novas inaugurações: mais dois Centros de Educação Infantil para atender crianças dos bairros Morro do Algodão e Travessão 2.
Com o pleno funcionamento dos 6 CEIs já existentes e mais 3 novos que a cidade ganhará neste ano, a Educação Infantil passará a atender um total de 6.622 crianças, sendo cerca de 2.500 de 0 a 3 anos e 11 meses e em média 4.100 crianças do maternal à pré-escola. (Fonte: ValeParaibano)

História de Caraguá

Caraguatatuba - A fundação de Caraguatatuba tem suas origens nos anos de 1653 e 1654, quando João Blau, capitão-governador da Capitania de Nossa Senhora de Itanhaém, fundou a Vila de Santo Antonio de Caraguatatuba. Não conhecendo sua longa existência, por volta de 1770, o governador da Capitania de São Paulo determinou ao comandante do destacamento da Vila de São Sebastião que fizesse erigir uma povoação chamada Caraguatatuba, juntando para ela todos os moradores que pudesse.
Em 1806, depois de uma correição, a Vila de Santo Antonio de Caraguatatuba ficou conhecida como "Vila que Desertou", mudando seus moradores para outros lugares.
Após a correição, a Vila não só ressurgiu como progrediu, tornando-se freguesia em março de 1847 e depois elevada à categoria de município em 20 de abril de 1857 -- instalado em 23 de novembro do mesmo ano. A partir de novembro de 1947, Caraguatatuba foi elevada à categoria de Estância Balneária.
INGLESES - Houve um fator que foi primordial no desenvolvimento de Caraguatatuba até a chegada dos turistas: a chamada Fazenda dos Ingleses. Este era o nome com que era conhecida a Fazenda São Sebastião, que abrigava famílias de estrangeiros numa área inicial de 4.020 alqueires.
A partir de 1927, esta fazenda local provocou mudanças no quadro geral da situação de Caraguatatuba, entre as quais o aumento significativo da população do município e da atividade comercial artesanal, especialização da mão-de-obra na agricultura, incremento do comércio dentro e fora da região e expansão dos meios de comunicação.
A fazenda era uma das três maiores do gênero na América do Sul. Uma via férrea interna, que chegou a ter 120 quilômetros de extensão, transportava as frutas para o porto, no Rio Juqueriquerê. Dali, os produtos -- principalmente bananas --, seguiam para os navios atracados no canal de São Sebastião, de onde seguiam para Londres.
Por volta de 1946, no final da 2ª Guerra Mundial, a fazenda retomou a produção de cítricos, voltando ao mercado inglês e sobreviveu por mais 20 anos dessa cultura. Com a catástrofe de 1967, quando a cidade ficou mundialmente conhecida por uma tempestade provocou centenas de deslizamentos, metade da fazenda ficou debaixo da lama.
A retomada das atividades só ocorreu na década de 90, quando a Pecuária Serramar instalou um projeto pecuário de alta tecnologia no mesmo local, ainda em atividade.
Mais de duas décadas após a maior tragédia já ocorrida no município, Caraguatatuba cresceu e se recuperou, sendo hoje a porta de entrada do Litoral Norte e o centro mais populoso e importante comercialmente. (Fonte: ValeParaibano)

Novo museu preserva os valores caiçaras

Caraguatatuba - Um espaço onde a história e a cultura caiçara estão preservados. Assim é considerado o MACC (Museu de Arte e Cultura de Caraguatatuba), que funciona no Pólo Cultural Professora Adaly Coelho Passos e desde o ano passado se transformou no endereço de exposições, exibição de filmes e outros projetos culturais.
Nas salas de exposições fixas do museu, a intenção foi preservar a história da cidade e seu povo. Na Sala do Caiçara, por exemplo, foi feita uma ambientação utilizando fotos e a construção de uma moradia típica, produzida por pescadores do bairro Porto Novo.
Com o aniversário da cidade, a sala também ganha hoje a Casa da Farinha, outra reprodução dos costumes caiçaras no museu. Ainda neste local, o visitante poderá encontrar vários objetos do século 19, entre redes e panelas, remontando o cenário típico de aldeia de pescadores.
Já na sala que conta a história da cidade, sob a responsabilidade da historiadora Luzia de Toledo Prado, há uma produção utilizando fotos, textos, documentos e objetos doados por moradores antigos, a partir de projeto gráfico de Fernando Braun -- um panorama da história de Caraguá sob vários aspectos.
Também nesta área, há uma maquete do relevo e malha urbana da cidade, projeto de Margareth Regina do Espírito Santo. A maquete divide espaço com um aquário com espécies ornamentais marinhas da região, montado a partir de um projeto do oceanógrafo Reginaldo Matsumoto.
O projeto museográfico do MACC foi assinado por Gilson Alcântara, com a parceria da Secretaria de Estado da Cultura através de Diná Jobst, Diretora do Dema (Departamento de Museus e Arquivos).
Também faz parte do Pólo a Videoteca Municipal Lúcio Braun e o Arquivo Público do Município.
Neste mês, quem visitar o museu poderá conferir objetos, plumagem e cestarias na exposição "Senhores da Terra" realizada em parceria com o Museu Índia Vanuire, de Tupã. (Fonte: ValeParaibano)

Programação de Aniversário de Caraguatatuba

Dia 22 - Terça-feira
10h - inauguração do Centro de Educação Infantil Aparecida Maria Pires de Meneses, no bairro Olaria; inauguração do Ginásio de Esportes Jorge Burilan, também no Olaria
16h - inauguração do Ginásio de Esportes Luiz Cláudio do Prado, no Tinga
17h30 - inauguração da ponte sobre o Rio do Ouro Maria Bueno de Barros

Dia 23 - quarta-feira
10h - inauguração do CEI/EMEI Maria Carlita Saraiva Guedes
19h - inauguração do Centro Cultural Benedito Estevam do Carmo, no bairro do Travessão, na av. José Costa Júnior, na Praça do Travessão

Dia 25 - Sexta-feira
11h - final do torneio de futsal Tiradentes, no Centro Esportivo

Dia 26 - Sábado
12h - Rali 34 anos de Poeira, na Praça de Eventos

Dia 27 - Domingo
9h - 14ª Prova Pedestre Caraguá, na av. da Praia

Até 4 de maio
Exposição "Imagem e Arte" - alunos do curso fotógrafo Gianni D'Angelo; lançamento do concurso de fotografia "Veja Caraguá" e mostra de artesanato, no salão de exposições da Praça Dr. Diógenes Ribeiro de Lima.
Visitação de terça a domingo, das 16h às 21h, com entrada franca

Até 6 de maio
Exposição "Os Senhores da Terra" - objetos, plumagem, cestaria (parceria com museu Índia Vainure - Tupã), Sala 1
Exposição sobre a construção da estrada no trecho Paraibuna-Caraguá (atual Rodovia dos Tamoios) - parceria com Arquivo Público do Município de Caraguatatuba - Arino Santana de Barros
Local - Pólo Cultural Profº Adaly Coelho Passos, com visitação de terça a domingo das 10h às 18h e entrada franca
Fonte: Prefeitura de Caraguatatuba. (Fonte: ValeParaibano)

Cidade abre inscrição para corrida de 8 km

Caraguatatuba - Como parte das comemorações do aniversário da cidade, a Secretaria de Esportes e Recreação vai realizar no próximo dia 27 a Prova Pedestre. A prova, que terá 8.000 metros de percurso, começará às 9h30 com saída e chegada na Praça de Eventos, no Centro de Caraguatatuba. Para as categorias infantis, o percurso terá 3.000 metros.
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo próprio atleta ou pelo chefe da equipe na Secretaria de Esportes e Recreação. As categorias do feminino são a infantil (12 a 14 anos), juvenil (15 a 19 anos), adulto (20 a 29 anos), master (30 a 39 anos) e veterana veterana (a partir de 40 anos).
No masculino, os partipantes podem se inscrever nas categorias infantil (12 a 14 anos), juvenil (15 a 18 anos), adulto (19 a 29 anos), master (30 a 34 anos), pré-veterano (35 a 39 anos), veterano A (40 a 44 anos), veterano B (45 a 49 anos) e veterano C (a partir de 50 anos).
A classificação será de primeiro a oitavo lugar: os três primeiros colocados de cada categoria receberão troféus e os demais, medalhas. Todos os portadores de necessidades especiais que participarem da competição também receberão medalhas e os 75 primeiros atletas, que cruzarem a linha de chegada, receberão camisetas da competição.
Mais informações sobre a Prova Pedestre na Secretaria de Esportes e Recreação pelo telefone (12) 3887-1165. (Fonte: ValeParaibano)

PSF faz 145 mil atendimentos/ano

Caraguatatuba - Um dos destaques da área de saúde em Caraguatatuba é o PSF (Programa Saúde da Família). Instituído em 1994 pelo Ministério da Saúde, o programa tem como objetivo reorganizar a prática da atenção à saúde reestruturando o modelo tradicional de atendimento com visitas domiciliares ou nas USF (Unidades Básicas de Saúde). Em Caraguatatuba, este programa é responsável por uma média de 145 mil atendimentos ao ano.
Cada equipe do PSF é formada pelo menos por um médico, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e quatro agentes comunitários. A cidade possui 11 USFs, que são os antigos postos de saúde reestruturados. Cada USF possui uma equipe que realiza o Programa Saúde de Família.
De acordo com a prefeitura, o pacote de obras para 2003 inclui reforma, ampliações e contruções de novas USFs. Além destas unidades, faz parte do sistema de saúde do município três quatro centros de especialidades abrangendo odontologia, fisioterapia, moléstias infectocontagiosas e central de vagas.
Caraguá também conta com a Casa de Saúde Stella Maris, que tem capacidade operacional de 80 leitos -- 67 dos quais conveniados com o SUS (Sistema Único de Saúde). Além de atender moradores e municípios vizinhos, a casa de saúde também atende os turistas.
A Stella Maris possui serviços de radiologia, eletrocardiograma, laboratório de análises, anatomopatologia, serviços de enfermagem, serviço social e medicina no trabalho. (Fonte: ValeParaibano)

Regatas, vôo livre e 40 km de praias
Cidade amplia opções de lazer e também atende bikers, skatistas e pilotos de kart

Caraguatatuba - Portal de entrada do Litoral Norte e aos pés da Serra do Mar, Caraguatatuba dá as boas vindas ao viajante que começa a sentir-se no paraíso desde a Rodovia dos Tamoios, de onde já é possível apreciar parte da que é considerada a mais rica área verde do Estado.
Caraguá é completa para o turismo. São cerca de 40 quilômetros de praias entre o rio Juqueriquerê, no limite com o município de São Sebastião e o rio Tabatinga, junto a Ubatuba. Há praias para todos os gostos e ocasiões. As opções incluem praisa badaladas, tranqüilas, esportivas e familiares.
As praias de Martin de Sá, Prainha, Indaiá, Cocanha e Tabatinga estão entre as mais freqüentadas em Caraguatatuba. A Martim de Sá é a mais badalada, ponto de encontro dos jovens que freqüentam a cidade nos finais de semana, feriados prolongados e temporada de férias. A praia tem quiosques e várias opções de lazer, como passeios de ski-banana e de escuna.
Fora da areia, onde são praticados vôlei, futivôlei, frescobol, e também fora do mar, que dá lugar ao surfe, Caraguatatuba oferece outras opções para quem gosta de esporte e aventura. Os bikers e skatistas têm seu lugar nas pistas instaladas na região central do município -- que tamém possui a que é considerada a melhor pista de kart do Brasil, que fica no bairro do Poiares.
Os amantes do vôo livre também têm seu endereço especial na cidade. Além de ponto de decolagem, o Morro de Santo Antônio oferece uma bela vista de toda a baía formada pela enseada de Caraguatatuba e São Sebastião, tendo ao fundo Ilhabela.
O roteiro para os aventureiros ainda inclui as trilhas do Horto Florestal. A Reserva do Cantagalo proporciona um contato direto com a Mata Atlântica.
Caraguatatuba também sedia competições, campeonatos e regatas, como o 3º Circuito de Vela do Litoral Norte e Vale do Paraíba, realizada nos últimos dias 12 e 13 e que reuniu cerca de 80 barcos na praia Martim de Sá.
AGITO O ANO INTEIRO - Apesar de receber mais de um milhão de turistas durante a temporada de verão, Caraguatatuba sempre busca outros atrativos durante o ano para quebrar a sazonalidade e gerar lucros ao comércio. Um dos principais eventos fora de temporada, o Megacycle, será substituído este ano pelo Caraguá Bike Week.
Marcado para o mês de setembro, de 10 a 14, o evento também é um encontro de motoqueiros de todo Brasil, promovido pela Top Brasil, que faz o Moto Road -- evento que acontece todos os anos em Campo Grande (MS).
Outro evento de destaque, o Festival do Camarão, deverá se tornar evento oficial da cidade. O festival, que ocorre após a abertura do defeso do camarão, está marcado este ano para o início de junho. Estê mês ainda reserva para a cidade uma série de atrações. Prefeitura, Setur, Fundação Cultural de Caraguatatuba e Sebrae planejam transformar junho numa grande festa de Santo Antônio, com shows e outros eventos. Este projeto está em fase de aprovação. (Fonte: ValeParaibano)

Carta à população de Caraguá
Por Antonio Carlos da Silva

Transformação é a palavra que resume as mudanças que fizeram de Caraguatatuba -- carinhosamente chamada de Caraguá, uma das principais cidades do Melhor Litoral do Brasil nos últimos anos. A cidade, até 1996, era pouco conhecida e utilizada, apenas, como passagem pelas pessoas que seguiam do Litoral Norte em direção às cidades sul-fluminenses e a Santos, no Litoral Sul de São Paulo.
Hoje, estamos comemorando 146 anos de emancipação político-administrativa com uma felicidade tremenda e com a certeza de que realizamos um bom trabalho para Nossa Caraguá. A administração do prefeito Antonio Carlos foi fundamental para o desenvolvimento do município, que tem, hoje, 80 mil habitantes.
Caraguá deve muito de seu desenvolvimento para o turismo, que é o atrativo principal. Com inúmeras belezas naturais e 17 praias, a cidade recebe até 500 mil pessoas em feriados prolongados e temporada de verão. Em seis anos, Antonio Carlos realizou mais de 600 obras no município, com apoio dos governos federal e estadual, melhorando a qualidade de vida de moradores e visitantes. Sua administração pavimentou em seis anos mais de 250 Kms de ruas e avenidas. O município em toda sua história (142 anos) tinha apenas 100 Km de ruas pavimentadas. Foram duplicadas e urbanizadas avenidas, construídas mais de 45 pontes de concreto, calçadões e ciclovias. Implantados mais de 4.000 pontos de iluminação pública, drenagens... A infra-estrutura melhora, a cada dia, com a construção de novas escolas, creches, unidades de saúde, ginásios de esportes, centro comunitários...
Em 1996, Caraguá contava com 82% de suas moradias atendidas com água tratada, hoje, 100% das casas têm esse serviço. O esgoto, em 1996, beneficiava apenas 9% das moradias, hoje, graças a atuação de Antonio Carlos junto ao governo estadual -- inicialmente com o governador Mário Covas e posteriormente, com Geraldo Alckmin -- 66% das moradias têm esgoto tratado e coletado. Até 2004, 90% das moradias terão saneamento básico.
Quem chega à cidade e fica encantado com sua modernidade -- decorrente das novas avenidas à beira mar -- não sabe que a prioridade da administração tem sido a Educação. Caraguá não tem nenhuma criança fora do ensino fundamental.
O ensino municipal recebeu dois prêmios de caráter nacional em 2002: O Mérito Municipal, concedido pela Associação Brasileira de Consultores Políticos, e o outro, concedido pela Pastoral da Criança. A cidade foi uma das primeiras na região a acreditar na municipalização. A Secretaria de Educação tem 15 mil alunos, no ensino fundamental, e um total de 786 profissionais em diferentes áreas. A prefeitura vem investindo, cada vez mais, na capacitação, ficando responsável pelo pagamento de 50% das despesas dos professores formados em cursos superiores. As creches são administradas numa parceria com a Fundação Orsa. Em 2003, a prefeitura atenderá toda a demanda de creche no município com as inaugurações das novas obras. Outra obra importante, viabilizada pelo prefeito Antonio Carlos com apoio do governo federal (ministro Paulo Renato de Souza), foi o Ceprolin (Centro de Educação Profissional do Litoral Norte), chamado de "a escola do povo", pois vem oferecendo oportunidade de qualificação e emprego para muita gente.
A Cultura obteve grandes conquistas no município na administração Antonio Carlos da Silva. A cidade conta com um livro que relata sua história, um pólo cultural que abriga o Museu de Arte e Cultura, o Arquivo Público e uma Videoteca. Está em fase de acabamento, o Centro de Aperfeiçoamento e Treinamento do Professor, que integra o Teatro Municipal com capacidade para 650 pessoas. O CATP será utilizado para convenções e cursos de capacitação para os professores locais. Os investimentos em saúde têm crescido a cada ano. O número de médicos passou de 19 para 50 e um total de 20 equipes de agentes de saúde cadastrou mais de 68 mil pessoas nos programas do PSF.
Com todas essas ações, Caraguá pode comemorar neste dia 20 de abril de 2003, seu aniversário de 146 anos, um verdadeiro avanço em todos os sentidos. Meu desejo à população é que ela, com sabedoria de cidadão, desfrute das mudanças e entenda as suas razões. É preciso acreditar e confiar no que construímos e em quem responsabilizamos pelas construções, pois o importante é lembrar sempre que nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos! Feliz Aniversário Caraguá! (Fonte: ValeParaibano)

Antônio Carlos da Silva
Prefeito de Caraguá
 

Daniela Mercury e Frank Aguiar “incendeiam” Rua da Praia no feriadão
Ritmos do nordeste animaram o público durante a madrugada. A cidade deve receber novos shows em maio

São Sebastião - Nem mesmo a chuva afastou o público que compareceu aos shows realizados no último final de semana, na Rua da Praia, em São Sebastião. No sábado, a apresentação de Daniela Mercury começou com atraso de uma hora e 20 minutos.
A cantora baiana relembrou antigos sucessos e também cantou músicas de seu mais recente CD. Contudo, em razão da chuva, o público foi bem menor que o do ano passado, quando cerca de 50 mil pessoas assistiram ao show.
Músicas como o “Canto da Cidade” e “Swing da Cor” continuam sendo a marca registrada de Daniela Mercury. A base do novo show foram as novas canções do disco “Eletrodoméstico”.
Para o publicitário Edson Aparecido Rocha, de São Paulo, a chuva não atrapalhou. “Até foi bom para refrescar, pois com estas músicas não tem quem fique parado”, declarou o turista.
A dona de casa Janaína César Oliveira, moradora de Maresias, também aproveitou bastante. “Sou fã de Daniela Mercury desde seus primeiros discos e hoje ela é uma cantora completa. Até mesmo quem não gosta deste estilo não consegue ficar parado”.
Na noite de domingo foi a vez do cantor, compositor e tecladista Frank Aguiar. Ele trouxe o legítimo forró nordestino para o litoral.
Com letras irreverentes e ritmo contagiante, o público cantou e dançou com o show “Auu...Vivo”. Entre as canções: “Prenda”, “Esperando na Janela”, “Homenagem às Sogras”, “Mulher Madura” e “Nóis não vive sem muié”. A banda de reggae “Jambra”, do Pontal da Cruz, participou da abertura.
O vigia João Augusto Pereira, morador da Topolândia, comparou Frank Aguiar com as novas bandas de forró. “Ele ainda faz forró à moda antiga, aquele arrasta pé tradicional das cidades do norte. Os grupos daqui têm um toque diferente”, comentou Pereira, que veio de Pernambuco há quatro anos. O show que começou às 23h30 teve pouco mais de uma hora e meia de duração.
Tanto no sábado quanto no domingo, a Polícia Militar reforçou o policiamento na Rua da Praia. Nas principais ruas de acesso houve revista às pessoas que chegavam à praça de eventos.
Para maio, a prefeitura já anunciou os shows de Jorge Aragão e Fagner. (Fonte: Imprensa Livre)

São Sebastião comemora coleta seletiva

São Sebastião - A Prefeitura de São Sebastião comemorou semana passada 14 anos de coleta seletiva no município. Na ocasião foram distribuídos copos personalizados produzidos a partir de sucata doada à assessoria de educação ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo. A cidade possui também um programa para a coleta dos resíduos perigosos. A Coopersuss (Cooperativa de Triagem de sucata de São Sebastião) recebe, tria e beneficia os materiais para reciclagem. (Fonte: ValeParaibano)

Menores são acusados de roubar motorista

Ubatuba - Três adolescente foram presos na sexta-feira à tarde, em Ubatuba, acusados de praticar assaltos no trecho de serra da Rodovia Oswaldo Cruz. Os menores foram detidos pela Polícia Civil e Guarda Municipal enquanto tentavam trocar três cheques de um advogado de Taubaté no comércio do centro de Ubatuba no valor de R$ 300. E.F, 15 anos, e D.C.R, 16 anos, de Lorena, e I.L.M, 17 anos, teriam assaltado o advogado na noite de anteontem em uma curva na serra. Com os menores, foi apreendida uma pistola calibre 7.65 mm. Eles foram ouvidos ontem pela polícia e devem ser apresentados ao Juizado de Menores na terça-feira. (Fonte: ValeParaibano)

Como surgiu a cidade de Ubatuba?

Ubatuba - Os primeiros habitantes do Litoral Norte de São Paulo, onde se encontra Ubatuba, foram os índios tupinambás. Juntamente com os tupiniquins e os guaianazes formavam a nação "Tamoia", que em tupi significa "os donos da terra". O primeiro europeu a chegar em Ubatuba foi o aventureiro alemão Hans Staden, que servia como artilheiro no forte de Bertioga e ao ser aprisionado pelos tupinambás permaneceu em Ubatuba por vários meses.
No início do século 17, Iperoig despertou a atenção do governador do Rio de Janeiro, que enviou Jordão Homem da Costa para fundar com sua família e agregados um núcleo, onde se construiu uma capela dedicada à Santa Cruz do Salvador. A antiga aldeia de Iperoig foi elevada à categoria de Vila em outubro de 1637 com o nome de Vila Nova da Exaltação da Santa Cruz de Salvador de Ubatuba.
A Vila de Ubatuba passa à categoria de cidade em 1855 e são criados o cemitério, novas igrejas, teatro, mercado municipal e residências para abrigar a elite local. Ubatuba constava entre os municípios de maior renda da província, tendo recebido em seu porto a primeira máquina de tecelagem do Estado.
Na cidade circulavam viajantes, negociantes, tropeiros e aventureiros, companhias de teatro e ópera. O Ateneu Ubatubense dispunha de biblioteca com mais de 5000 volumes doado pelo imperador Dom Pedro 2º.
Com a construção de ligações ferroviárias entre São Paulo e Rio de Janeiro e São Paulo e Santos, a antiga estrada da rota do café, que ligava o sul de Minas ao porto de Ubatuba perdeu importância. Somente em 1933 é que ocorre um ressurgimento econômico no município ligado ao turismo. (Fonte: ValeParaibano)

Carta do Leitor

A Realidade de Ubatuba - Parei um pouco de dar minha sugestão para o jornal virtual, para não tornar-me repetitiva. Sempre que mando minha opinião, mando para o jornal e com cópia para a camara que o enderço de email para quem se interessar é - camaraubatuba@pratica.com.br - mas parece que os vereadores fazem vista grossa sobre a opinião do povo.
Gostaria de dizer mais uma vez: Sr. Pedro Silva, concordo com que Dna. Flavia Cristina comentou sobre a cidade de Ubatuba, como o Sr. disse nasceu em Ubatuba, mas vive em outra cidade, então não sabe das dificuldades que o povo ubatubano enfrenta.
É muito fácil para o turista que vêm só para curtir a praia, e a noite a cidade, achar que Ubatuba é maravilhosa, pois o turista não está o dia dia aqui para saber o que passamos. Porque o Sr. não vêm aqui para ficar uma semana em época de chuva? Vai observar que aqui tudo anda errado. Falta iluminação,saneamento básico etc... Nas periferias, não muito distante do centro, parece que Ubatuba está resumido só onde o turista passa.
Sr. Pedro Silva, entre com algum requerimento na prefeitura para vêr quanto demora um visto do Sr. Prefeito, mas fique sem pagar uma prestação do imposto, que verá a rapidez que é cobrado.
Chega de tanta vagabundisse, vamos nos unir, vamos lutar para deixar esta cidade realmente maravilhosa, de que adianta ter praias belíssimas se não tivermos ruas para chegarmos até elas.
Desculpa-me Sr. Pedro, mas essa é nossa realidade aqui.
Obrigada.

Magaly Zingaro
Ubatuba, SP


Alerta aos Leitores - Sou suspeito de tecer comentários sobre o trabalho árduo e transparente realizado por meu amigo Emilio Campi, mas peço licença para expressar dentro do site o que já falo há muito aos amigos e em meu programa diário na rádio Gaivota.
O Litoral Virtual é um belíssimo trabalho e agora muito melhor com a participação maciça dos leitores usando seu painel como centro das discussões de nossos problemas. Mas o que está me preocupando é que este espaço pode estar sendo utilizado de forma errada por pessoas mau- intencionadas que simplesmente fazem uma denuncia ou criticam alguém e nem se identificam, colocando apenas um primeiro nome qualquer e uma cidade ou nem isso. Vai aqui uma idéia para os amigos do Emilio e de seu site: quando enviarem qualquer assunto a ser discutido, assinem o nome, com RG e referência para arquivo do editor, assim aqueles que se escondem atrás de pseudônimos por não terem coragem de criticar de frente vão ter de mudar ou parar de gerarem falsas polêmicas ou falsas defesas.
Tem muita gente que nem sabe o que acontece em nosso litoral e apenas passam a criticar qualquer comentário só porque querem proteger algum político corrupto ou seu "carguinho" conquistado por benesses desconhecidas. Já notei que em várias discussões apesar até de provas documentadas como fotos ou testemunhos assinados, vem sempre alguém e tenta tapar o sol com a peneira; vejam como exemplo o estado de penúria que se encontra Ubatuba e ainda encontra defensores completamente alheios a nossa realidade, de moradores atingidos diretamente por estes desmandos.
Cito como exemplo o meu bairro do Perequê-açu que só agora, mais de dois anos após tantas promessas começa a ter sua principal via de ligação repavimentada. Porque será que este processo só começou na segunda parte do mandato ou melhor dizendo no final dele? Mas mesmo assim virão respostas e defesas, como já aconteceram várias vezes em meu programa, mas o que não se explica é como alguém vendo tudo isso acontecer ainda tem a coragem ou a cara de pau de sair em defesa se não for só em interesse próprio ou cegueira total. Aqueles que ainda acreditam numa imprensa séria e honesta de nossa região devem se portar assim e cobrar dos outros participantes a mesma atitude.
Mais uma vez parabéns Emilio e assinantes do Litoral Virtual, estamos juntos construindo um novo caminho para o nosso litoral norte, tão explorado e só lembrado na alta temporada quando os patrões resolvem visitar a senzala e ao irem embora nos deixam seu lixo, suas neuroses e comportamentos anti-sociais e só nossos governantes não perceberam que não conseguimos arcar com estas contas.

Tony Luiz - Radialista
Ubatuba, SP


Fotos de Caraguá - Primeiro quero cumprimentá-los por este ótimo meio de comunicação que recebo diarianente, e sem nenhum custo obrigado.
E as fotos de Caraguatatuba? Será que serão publicadas?
Obrigado

Franklin Teixeira
Caraguatatuba, SP


Praia da Mococa - Caro Dr.Leandro Borella: Não sou muito dado aos meandros da Lei com relação a interdição ou não das obras realizadas na Praia da Mococa. Eu gostaria de saber, como um frequentador assiduo da referida Praia, o que está ocorrendo? Está interditada a obra do condomínio em questão?
Cabe realmente ao Eng.Bevilaqua ser o real curador desta área de terra e ser o seu mui digno protetor, na qual está a meu ver sendo invadida de maneira vil, sem que os órgãos públicos tomem a defesa de uma da poucas praias restantes e despoluida de nosso litoral?
De acordo com a sua assertiva, a que órgão cabe dar uma solução honesta e final para o problema, já que o senhor diz que a Prefeitura havia dado um parecer favorável pelos idos do ano de 2000, mas que são conflitantes com a postura da legislação atual?
Que tal dar um parecer claro de seu posicionamento, que diga-se de passagem reflete diretamente na administração do Sr. Antonio Carlos, a quem Caraguatatuba deve agradecer de sobejo pelo trabalho insano que veem desenvolvendo em prol de nossa comunidade.
Antecipadamente, agradeço e envio os meus protestos de estima e consideração;

Simão Maghidman
(verdadeiro amigo dos amigos da Praia da Mococa)
Caraguatatuba, SP


Colunista - Uma nova BR - Otimismo ou Realismo?

Não é de hoje que as noticias econômicas causam expectativas. Sempre negativas. A falta de crescimento econômico, por conta da insana taxa de juros, justificada pela mordaça inflacionária dá sinais de fadiga. Fadiga pela ansiedade, cheia de stress, de uma demanda reprimida de ávidos consumidores e fadiga pelo excesso de lotação da “sala de espera” dos impacientes empresários, investidores e empreendedores.
Entre tantos outros “ansiosos” estão os desempregados (de longa data) as dezenas de milhares de jovens em busca do primeiro emprego e o abastecimento do simples crescimento vegetativo da população. Lá se vão quantos anos? Não há represa que comporte. Não será fácil “azeitar” a “maquina” emperrada do crescimento. Dizia meu avô: “ ...meu neto, parar uma fábrica é muito fácil! O difícil é faze-la voltar a funcionar”. Uma realidade.
Mas de toda forma é hora de otimismo. Mesmo acostumados ao freio de mão puxado e com as lonas coladas, precisamos partir! Partir rumo a um futuro próspero. Quem tiver um planejamento confiável e estiver mais preparado e organizado, sai na frente. O total abandono, por tantos e tantos anos, das cidades do Litoral Norte pelo governo do Estado é agora um trunfo que deve ser muito bem aproveitado. É hora de, com um planejamento na mão, pedir. Pedir em alto e bom som. E porque não exigir? Em primeiro lugar estradas de acesso, modernas, seguras e compatíveis para atendimento (pelo pico) dos usuários (temporada). Nos moldes das grandes rodovias que a algum tempo, atendem o interior. Uma “grande onda” de crescimento econômico viria por esta nova estrada, a começar por um novo “boom” imobiliário, que recuperaria, rapidamente, áreas e praias maravilhosas, sub aproveitadas, hoje “Abandonadas” á própria sorte.
Conjuntamente com a estrada, uma política estadual de alternativas econômicas para áreas de preservação tais como incentivos fiscais (isenção total do ICMS) para indústrias não poluentes. Quais? A naval (estaleiros de embarcações de recreio) a de manutenção de aviões de pequeno porte (já que temos até um aeroporto) dentre tantas outras (o turismo, por óbvio). OTIMISMO? Não acredito em dificuldades deste plano. Nenhuma.
É só estar muito bem planejado e pedir! A dificuldade está na solução. Temos quem saiba planejar? Se não temos, podemos contratar! Para pedir, além de uma quantidade razoável de políticos, a sociedade civil, os empresários (mesmo os pequenos) podem engrossar as fileiras. Porque não? Vamos “azeitar” esta máquina! Estamos as vésperas de uma “nova temporada”. Posso sentir suas “vibrações”. Ela está perto. Cabe a nós (todos), acordarmos para esta nova oportunidade. Sem sonhos intangíveis. Pé no chão. Entender sim esse novo momento político e perseverar no REALISMO. Não perder essa oportunidade, impar, como em outros (raros) momentos econômicos meteóricos que vivemos em um passado, não muito distante e, que não soubemos aproveitar.
Essa é, com certeza, a hora! Dentro da nossa realidade, não nos cabe mais apenas esperar mais por alguém que faça. Apenas “torcer” por “alguém” que deseja fazer. Precisamos sim, e urgente, de quem saiba planejar para fazer. Precisamos sair rápido, deste marasmo econômico. E esse é o momento. É sem sombra de dúvidas, nossa responsabilidade. Responsabilidade com nossos filhos e com o futuro desta terra abençoada que nos acolheu. Não estaremos pedindo muito ao governador. É só pedir certo. Quem não acredita nesta realidade? Ótimo!

Ronaldo Dias
 

Foto do Dia:
Praia Brava de Caraguá
Caraguatatuba
Praia Brava
© Emilio Campi


Para instalar a foto como papel de parede (wallpaper)
Clique na foto acima. Após carregar a foto ampliada, clique com o botão direito do mouse sobre a imagem e escolha "Definir como papel de parede" ou "Definir como fundo de tela". Para ajustar a imagem em tela cheia, clique em qualquer lugar da área de trabalho com o botão direito do mouse, escolha "Propriedades" / "Fundo de Tela" ou "Papel de Parede" / "Ampliar".

Clique Aqui para acessar o arquivo de Fotos Publicadas

 
Gaivota FM
Participe você também com seu comentário, crítica ou sugestão no programa
Estação Ubatuba c/ Tony Luiz
De segunda a sexta das 12 as 14 hs na Gaivota FM 104.9
Sempre com entrevistados diários e variados, falando sobre todos os temas
Ligue 3833.5550


 Faça seu comentário, crítica, opinião ou sugestão no Litoral Virtual:
Clique Aqui.


Marcos Borges da Silva - artista plástico Ubatuba Fascinante Tachão de Ubatuba

As notícias, fotos e cartas publicadas neste boletim são de inteira responsabilidade de suas fontes e autores,
não expressando necessariamente a opinião deste informativo. O envio de qualquer material para nosso e-mail
será considerado como autorizado a sua publicação e assumida a total responsabilidade pelo seu conteúdo.
Reservamos o direito de não publicar cartas que não contenham a devida  identificação do autor.


GRÁTIS!!
Receba as Últimas Notícias do Litoral em seu e-mail:
Quero receber GRATUITAMENTE o boletim Últimas Notícias do Litoral na versão:
Compacta (apenas as manchetes c/ Link)
Completa (todas as notícias na íntegra) 
e-mail:
Cidade:


Obs.: Você poderá cancelar o recebimento das notícias a qualquer momento.

Conheça as cidades do Litoral Norte Paulista:

Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

Litoral Virtual
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet
Sugestões, críticas e informações, entre em contato:
info@litoralvirtual.com.br


©1995/2001 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor