Litoral Virtual últimas notícias do litoral
Segunda-feira, 13 de dezembro de 2004 - Nº 1175 Edições Anteriores

Giorgio Portal da Palmeira Locação

Região
Cetesb prepara `Operação Verão 2005´


Caraguatatuba
MP entra com liminar contra maior marina do rio Juqueriquerê
Natal antecipado: Caraguá ganha um teatro novo em folha

Ilhabela
Ilhabela pretende instalar câmeras
‘Houve uma progressão muito espalhada’


São Sebastião
Capitania intensifica blitze nas praias
Venda de embarcações cresce 70%
Alunos comemorando a conclusão do curso em restaurante da cidade
Festa natalina distribui brinquedos a crianças carentes de Boiçucanga
Aumento de roubos em São Sebastião apavora moradores
PERIGO –Em toda a costa, como na Praia de Toque-Toque Pequeno, área de proteção sob ameaça


Ubatuba

Reunião na Câmara retoma hoje discussão da Lei de Uso do Solo
Participantes do workshop apresentam resultado de oficina de turismo

Mudança no resultado eleitoral de Ubatuba
Santa Casa responsabilidade de todos
Vereador Dr. Ricardo solicita Emendas para o Orçamento Federal
Rogério Frediani termina mandato e só pensa em descansar

Seções
Opinião
Carta do Leitor
Foto do Dia


Notícias da Região Topo

Cetesb prepara `Operação Verão 2005´

Litoral Norte  - A Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) deve anunciar na próxima semana, o início da Operação Verão 2005, com ações programadas entre 1º de janeiro e 10 de fevereiro.
Participam da operação 15 municípios do litoral paulista, incluindo as cidades da região.
A Operação Verão 2005 terá ações educativas realizadas através de exposições itinerantes, como forma de conscientizar turistas e moradores.
Uma espécie de carro-laboratório percorrerá as cidades, com exposição de painéis temáticos sobre saúde do mar, algas tóxicas, acidentes ambientais e emissários submarinos.
Cerca de dez mil cartilhas serão entregues às prefeituras, escolas, universidades, bibliotecas públicas e entidades representativas da comunidade. As cartilhas contêm informações sobre o monitoramento da balneabilidade das praias, os riscos de contágio por meio de água e areia poluídas e suas causas, além das precauções que devem ser adotadas em casos de acidentes ou incidentes.
As bandeiras sinalizadoras da condição de balnealilidade serão mantidas nos 148 pontos das 128 praias monitoradas pela Cetesb, para indicar se o local está próprio ou não, para banho.
As cidades vão receber ainda um painel sobre a balneabilidade das praias.
Sistema de coleta e análise - A partir de janeiro, a Cetesb intensifica o monitoramento nas praias, realizando coletas três vezes por semana.
Dos 427 km de praias no litoral paulista, cerca de 230 km que contêm as praias selecionadas são monitorados, o que resulta em um ponto a cada 1,6 km, em média.
A amostra de água é colhida no mar na profundidade média de um metro, onde se concentra a maioria dos banhistas e encaminhada para análises microbiológicas e determinação de coliformes fecais, indicadores de poluição da água do mar.
São realizadas cerca de 600 análises mensais, número que se eleva para 900 nos meses de verão, totalizando 8 mil análises anuais.
Para o Litoral Norte, as análises são realizadas no laboratório de Taubaté. (Fonte: Correio do Litoral)

Notícias de Caraguatatuba Topo

O Guaruçá BIL -= Bolsa de  Imóveis do Litoral Refugio Massaguaçu

MP entra com liminar contra maior marina do rio Juqueriquerê

Caraguatatuba - O Ministério Público entrou com pedido de liminar em ação civil pública
ambiental contra o empresário Jorge Appes, proprietário da Marina Juqueriquerê, devido às intervenções do empreendimento construído em mangues, área de preservação permanente, sem nenhuma autorização emitida pelos órgãos competentes.
A marina, localizada no bairro do Porto Novo, foi denunciada em 1997, quando os moradores Mário Carreira Filho, Roque D`Agostinho, Hilda de Oliveira Seleglim e Francisco Honorato dos Santos, afirmaram que o empreendimento náutico estava instalado em faixa de marinha, em uma área supostamente aterrada e cercada, não permitindo o acesso
dos moradores.
O proprietário Jorge Appes disse não saber do pedido de liminar.
"Esses dias vieram fazer uma perícia numa área que não faz parte do meu empreendimento. Há 30 anos, quando montei a marina, não possuía todos os documentos ambientais, mas atualmente, a marina está com tudo em dia e regularizada", confirmou o empresário, que já abrigou até 80 embarcações e, hoje, tem somente 30.
Em vistoria e análise feita pela assistente técnica da promotoria ambiental, Marceli de Menezes Coimbra, no último dia 20 de outubro, a conclusão foi que `se trata de área de preservação permanente, pois
era originalmente coberta por mangue, além de estar inserida em margem de curso d`água. A construção do empreendimento resultou na degradação do mangue e da mata ciliar, ao arrepio da legislação brasileira. Como medidas de recuperação, sugerem-se a demolição das estruturas do aterro e a recuperação do mangue´.
A promotora ambiental Elaine Taborda de Ávila afirma que, de acordo com o artigo 225 da Constituição Federal, `todos têm direito ao meio ambiente, ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações´, conforme consta na ação civil pública.
Complementando, diz que `o poluidor é obrigado, independentemente de existência de culpa, a indenizar ou reparar os danos ao meio ambiente e a terceiros, afetados por sua atividade´.
Por fim, a promotora determina `a paralisação imediata e integral de toda a atividade de aterro, de supressão de vegetação, de edificação, ou de qualquer outra ação geradora de poluição, inclusive
visual, proibidas em qualquer área em questão. E também a demolição das edificações promovidas em área de mangue, além da retirada da vegetação exótica e de todo entulho resultante de tais providências, o seu desaterro e a total recuperação da área, tudo isso no prazo de 120 dias, sob multa de 10 salários mínimos, além de o réu dever elaborar e apresentar ao DEPRN (Departamento Estadual de Proteção aos Recursos Naturais) o projeto de recuperação da área degradada, para ser imediatamente implantado´. (Fonte: Correio do Litoral)

Natal antecipado: Caraguá ganha um teatro novo em folha

Caraguatatuba - A cidade está em festa, pois recebe nesta quinta-feira, 15, a inauguração oficial do Teatro Municipal, no Espaço Educacional e Cultural Governador Mário Covas.
Com a construção do teatro, os artistas da cidade passam a apresentar seu trabalho em um espaço próprio para grandes espetáculos teatrais, de dança e música, além de o local prestar-se a palco de eventos de porte e convenções.
A obra integra o Espaço Educacional e Cultural Governador Mário Covas e tem capacidade para 618 pessoas sentadas em poltronas numeradas.
A inauguração vai contar com a presença da ex-primeira-dama do Estado, Lila Covas, e familiares do ex-governador de São Paulo, Mário Covas, falecido em 6 de março de 2001.
O prefeito de Caraguatatuba, Antônio Carlos da Silva (PSDB), ressalta que o teatro construído no Espaço Educacional e Cultural influenciará o lado turístico da cidade, proporcionando uma demanda maior de turistas interessados em visitar o município.
"Para moradores e turistas, estamos entregando um espaço que inclui o turismo com o lado cultural", diz Antônio Carlos, destacando também a dificuldade encontrada para a promoção dos eventos culturais na cidade, em razão da falta de um local exclusivo.
Para a presidente da Fundacc, Eloíza Aparecida de Oliveira, a construção vai favorecer não somente a população de Caraguá, mas também toda a região, pois é um atrativo na área cultural.
"O nosso teatro terá conforto e comodidade, possibilitando o acesso das pessoas para a integração cultural".
Eloíza destaca ainda a parceria feita com o Projeto Vanguarda, para o próximo mês de janeiro.
"Com esse projeto, pretendemos lotar a casa".
A cidade de Caraguatatuba destaca-se pelos eventos culturais realizados durante todo o ano na cidade, como o Festival Estudantil de Teatro, realizado em outubro, o Encontro de Capoeira e o Vozes do Mar.
Atrações - As atrações no novo teatro começam na terça-feira, 14, com a pré-estréia voltada para os profissionais e os familiares daqueles que ajudaram na sua construção.
A peça "Contos de areia", de teatro, dança e música, será exibida para o seleto público. A produção do espetáculo é da própria Fundacc (Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba) e tem como diretor Júnior Magresco, além da direção de coreografia de Cristina Neves.
A direção musical é de Eliana Banheza, e há ainda a participação do Corpo de Baile Municipal de Caraguatatuba, representado pelo Teatro Experimental de Caraguatatuba e do Água Viva Coral.
A partir daí, as apresentações não param mais. A programação entre 16 e 21 de dezembro já está fechada e traz espetáculos com artistas de renome nacional, como Regina Duarte, com a peça `Coração Bazar´.
A produção é uma das mais esperadas pelo público caiçara de Caraguá. Todos os ingressos estão à venda na Fundacc. (Fonte: Correio do Litoral)

Programa Ação Litoral

Notícias de Ilhabela Topo

Vulcano Sailing Shop

Ilhabela pretende instalar câmeras
Conselho de Segurança quer comprar aparelhos já que não recebe mais policiais

Ilhabela - Uma cidade com medo. Conhecida pelas belas praias e considerada um paraíso por turistas e moradores,
Ilhabela viu nos últimos dez dias três crimes espetaculares, com fuga de lancha e bandidos armados com metralhadoras e pistolas com silenciadores. O medo é tanto que o Conselho de Segurança Pública (Conseg) e a prefeitura pretendem instalar 38 câmeras com monitoramento e gravação 24 horas para observar a movimentação nas principais ruas e nos morros.O custo disso – R$ 250 mil – seria dividido entre empresários e comerciantes.
Culpa da falta de percepção da Secretaria de Segurança Pública sobre o problema, na opinião do presidente do Conseg, Wolf Schauder. “Há dois anos tentamos aumentar o número de policiais.
O que está ocorrendo agora é conseqüência disso.”
Segundo ele, são 28 policiais militares para 26 mil habitantes – população que chega a 130 mil nos fins de semana e feriados. “Se contarmos com os policiais que estão de folga ou licença médica, ficamos com mais ou menos 17 homens”, diz. Divididos em três turnos, serão diariamente 6 policiais para atender a ilha, com extensão de 35 quilômetros. “É necessário dobrar o número de policiais.”
São 7 policiais civis. Com policiamento maior ou não, os moradores estão assistindo a crimes que jamais imaginavam presenciar.
“Ter seqüestro relâmpago em uma cidade que dormia com as portas abertas é vergonhoso”, diz o empresário Flavio Calazans.
(Fonte: Estadão)

‘Houve uma progressão muito espalhada’
Um dos maiores reflexos da expansão desordenada é a proliferação de favelas

Ilhabela - Ilhabela viu sua população crescer quase sete vezes mais do que São Paulo. São Sebastião, que em 1996 tinha 43.845 habitantes, passou a 58.038 no último censo e a estimativa atual é de cerca de 70 mil pessoas. Caraguatatuba e Ubatuba cresceram no mesmo período entre 17,1% e 21,5%. Os números oficiais apenas traduzem uma conta que há muito se percebia na prática pelos moradores do litoral norte: as cidades incharam demais e muito rapidamente.
A favelização, que marcou a segunda metade dos anos 90 nas praias de São Sebastião a Ubatuba, não foi um fenômeno isolado do resto do País. Mas até bem pouco tempo imaginava-se que o litoral norte pudesse ser uma espécie de modelo para um desenvolvimento sustentável, já que muito de sua natureza havia sido preservada – ao contrário de outras cidades praianas. Foi só nos anos 80 que a costa sul de São Sebastião, por exemplo, passou a ter acesso por meio de uma estrada asfaltada.
A invasão de morros foi fruto da falta de fiscalização?
“Existe ocupação, isso é fato, mas o número de pessoas que ocupam o litoral norte não dá metade da ocupação da Praia Grande”, diz o coronel João Leonardo Mele, comandante da Polícia Ambiental.
“O que houve foi uma progressão quase imperceptível, muito espalhada, mas que ao longo do tempo causou degradações muito preocupantes.”
As conseqüências desse aumento populacional são conhecidas. A região precisa de escolas, postos de saúde, ônibus e, sobretudo, empregos. Mas, como o litoral hiberna fora da temporada, se investe menos
do que se deveria nessas áreas. A violência, hoje a grande preocupação, é só um subproduto desse ciclo? (Fonte: Estadão)

Notícias de São Sebastião Topo

anuncie aqui Superchic

Capitania intensifica blitze nas praias
Marinha amplia fiscalização no Litoral Norte na temporada; região tem 15.114 embarcações

São Sebastião - A Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião vai intensificar a fiscalização nas praias e ilhas do Litoral Norte. Com a chegada do verão aumenta o número de embarcações --lanchas, veleiros e jet ski-- nas praias e também a possibilidade de acidentes.
Atualmente, um total de 15.114 embarcações estão cadastradas na sede da Delegacia da Capitania dos Portos da região. Segundo o capitão-de-fragata Luiz Fernando Pereira, delegado da Capitania em São Sebastião, a atividade náutica na região tem crescido cerca de 18% ao ano.
É justamente, no verão, época de mar calmo, sol forte e muito calor, que a maioria dos proprietários de embarcações aproveita mais seus equipamentos náuticos. As marinas e iates clubes precisam reforçar seus funcionários para poder atender a demanda. Nesse período, cresce em até 70% o movimento nas revendas e lojas de produtos náuticos (leia texto nesta página).
Na temporada deste ano, a Capitania terá quatro embarcações, cinco viaturas e 32 homens para fiscalizar as praias da região. O bombeiros, através de guarda-vidas espalhados pelas principais praias, também vão colaborar na fiscalização, com o intuito de garantir a segurança dos banhistas.
Segundo o delegado Pereira, serão feitas inspeções navais, em localidades aleatoriamente escolhidas entre as praias de Picinguaba, em Ubatuba, e Boracéia, em São Sebastião. A Capitania também fiscalizará a navegação em ilhas, rios e represas.
Durante as inspeções navais, a Capitania dos Portos verificará a documentação da embarcação e do responsável, bem como, os equipamentos de salvatagem exigidos. A Capitania também verificará se as embarcações estão respeitando as normas de navegação. Segundo o comandante Pereira, possíveis denúncias feitas por banhistas também serão atendidas.
Normas - Entre as principais exigências feitas pela Capitania dos Portos estão a documentação regularizada e a habilitação. Para pilotar uma lancha é necessário haabilitação de arrais amador, mestre amador ou capitão amador. No caso do jet ski é preciso possuir habilitação de motonauta. Menores de 18 anos não podem dirigir lancha ou jet ski.
Segundo Pereira, lanchas e jet ski não podem navegar a menos de 200 metros da linha de arrebentação. É proibido ainda o abastecimento de embarcações na areia da praia. As multas variam de R$ 40 a R$ 1.600 e até mesmo a suspensão da habilitação. Em caso de acidente, o responsável pela embarcação pode ser responsabilizado civil e criminalmente.
De acordo com estatística da Capitania, os acidentes mais comuns no Litoral Norte são os abalroamento entre embarcações quando fundeadas irregularmente. A Capitania tem registrado durante o verão um grande número de denúncias de abusos cometidos por condutores de jet ski.
Cuidados - A Delegacia da Capitania dos Portos recomenda muito cuidado para quem pretende curtir o Réveillon em alto mar. Entre as recomendações estão: fazer a manutenção preventiva da embarcação, ter a bordo equipamento de salvatagem adequado, respeitar a lotação máxima permitida pela embarcação e checar os extintores de incêndio.
A Capitania recomenda ainda que o responsável pela embarcação informe seu plano de navegacão ao iate clube ou marina, definindo o horário da saída, o destino e o horário previsto para retorno, manter distância mínima de 200m das praias e ilhas, conduzir a embarcação em velocidade compatível para evitar acidentes; nunca dirigir após ingerir bebidas alcoólicas e evitar a poluição do mar. Segundo a Capitania, os barcos de pesca não são autorizado a promoverem passeios ou saídas turísticas, porque não estão classificados para este fim. (Fonte: ValeParaibano)

Venda de embarcações cresce 70%

São Sebastião - O mercado de venda e compra de barcos, veleiros e jet ski cresce cerca de 70% durante os meses de janeiro e fevereiro. Segundo os comerciantes do setor náutico, é nesse período que as pessoas "desejam" possuir um barco para poder curtir as praias do Litoral Norte.
Segundo o comerciante Celso Magalhães, da A.Coutinho, em Caraguá, a maior loja náutica da região, o mercado de compra e venda de embarcações cresce muito porque o clima é propicio para a prática da atividade náutica na região.
"Geralmente, os proprietários decidem trocar seus barcos por outro maior ou mais possante", afirmou. Segundo Magalhães, a maioria dos clientes é da capital e cidades do interior.
As pessoas que adquirem um barco pela primeira vez, geralmente, optam por lanchas pequenas, de cerca de nove metros de comprimento.
Os preços das lanchas novas variam de R$ 50 a R$ 1 milhão, dependendo da marca e do motor. Outro segmento que cresce muito no verão é a compra de embarcações usadas. Segundo Horácio Matheus, do Estaleiro Lizarb, em Ilhabela, ao adquirir um barco usado é preciso checar as condições da embarcação, o motor e a sua documentação.
A Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião recomenda que antes de concluir a compra, a pessoa interessada solicite a certidão negativa sobre a embarcação para checar se o veículo não possui multas pendentes e dívidas, bem como verificar a documentação junto à Capitania. (Fonte: ValeParaibano)

Alunos comemorando a conclusão do curso em restaurante da cidade
Ceprom de São Sebastião qualifica mais 41 alunos
Vinte alunos do curso de “Qualidade no Atendimento - Recepção de Hotel” e 21 do curso de “Secretariado Básico” do Ceprom (Centro Profissionalizante Municipal) de São Sebastião receberão certificados na próxima terça-feira, 14, às 19h, na unidade da Topolândia.


São Sebastião - Durante o curso, os alunos fizeram estágio nos hotéis e pousadas da cidade, tendo feito também visitas técnicas aos mesmos no decorrer do curso. “Agradeço aos empresários hoteleiros que muito colaboraram conosco. Sem essa ajuda, não seria possível realizar as aulas práticas”, disse o professor Carlos Roberto Silva. Segundo ele, o objetivo dos cursos é formar alunos capazes de atender com qualidade e presteza tanto ao turista como ao munícipe. “Esse tipo de capacitação é de suma importância, pois atualmente quem é mais qualificado tem mais chances no mercado de trabalho”, afirmou Silva. “Um atendimento com excelência consiste em satisfazer plenamente as necessidades do cliente, conquistar sua fidelidade, deixá-lo com vontade de voltar e transformá-lo num propagandista a favor”, complementou. Para tanto, segundo o professor, é importante conhecer e aplicar as técnicas do bom atendimento, mas principalmente colocar no trabalho um toque pessoal, fazer dele a arte de despertar na pessoa atendida o sentimento confortável de se sentir única, privilegiada e totalmente satisfeita.
Silva também contou que ao decorrer do curso vários alunos conseguiram emprego. “Sinto-me honrado por poder contribuir com o crescimento profissional de nossa cidade”.
Ao todo foram empregados nessa última semana seis alunos do Ceprom, entre eles alunos de “Qualidade no Atendimento” e “Secretariado”; outros já têm entrevistas marcadas. (Fonte: PMSS)

Festa natalina distribui brinquedos a crianças carentes de Boiçucanga

São Sebastião - Com o o intuito de beneficiar crianças carentes da Costa Sul da cidade, o vereador Wagner Teixeira (PV) realiza no domingo, 19, a 2ª Festa de Natal, com doações de brinquedos, sorteios de brindes e atrativos teatrais e musicais.
O evento será no campo de futebol de Boiçucanga e começa às 10h.A proposta é levar alegria e diversão para as crianças.
Em sua segunda edição, a expectativa para a festa é beneficiar aproximadamente 2,5 mil crianças, contando com doações de comerciantes e empresários da cidade.
Para uma das organizadoras do evento, Cristina Assunção, a colaboração das pessoas é importante.
"É necessário uma parceria do empresariado local, queremos proporcionar alegria a essas crianças carentes".
Cristina ressalta ainda que as atrações serão variadas, como peças teatrais para crianças de idade mais avançada e os chamados teatrinhos, destinados às crianças menores, com temas referentes a seu cotidiano. Um presépio também será montado para homenagear o nascimento de Jesus Cristo. Teixeira afirma suas boas expectativas para o evento. "A edição passada foi um dos dias mais felizes da minha vida, pois o que não tive, eu posso dar para aquele que não tem".
O vereador diz que tem recebido o apoio de comerciantes e empresários da cidade para a realização da festa, além da contribuição por parte da população em geral.
Sobre comentários de que essa seria uma jogada política para alcançar
mais popularidade na cidade, Wagner Teixeira declara que com a intenção é somente ajudar a sociedade. (Fonte: Correio do Litoral)

Aumento de roubos em São Sebastião apavora moradores
Mas para as Polícias Civil e Militar criminalidade está sob controle

São Sebastião  - Grupo invade casa onde 25 funcionários de uma firma de São Paulo faziam uma festa de confraternização de fim de ano e uma pessoa é baleada. Dezesseis presos cavam túnel e fogem da cadeia.
Policiais descobrem ponto de venda de drogas e prendem traficante. Homem é encontrado morto com tiro no peito em suposto acerto de contas entre bandidos. Assaltantes roubam banco e fogem de lancha... Lancha? O que podia parecer notícia rotineira da capital é um retrato do litoral norte. Atualíssimo, dos últimos dias.
O secretário da Segurança Pública, Saulo Abreu, anunciou que 1.200 policiais vão ser deslocados para as praias neste verão. Mas informou, para frustração geral dos moradores do litoral norte, que não vê necessidade de aumentar a tropa no resto do ano, com o seguinte argumento: “O bandido só vai aonde está o dinheiro.”
O presidente do Conselho de Segurança de Maresias, Aldo Amadei, retrucou: “Talvez por serem policiais, não sofram como o resto da população.”
Violência é o assunto do momento no litoral norte, de garçons a operadores de balsa, empresários e profissionais liberais. A polícia alega casos isolados, bandidos vindos de outras regiões, acerto de conta entre traficantes. Mas alguns crimes estão crescendo nas badaladas praias. O roubo é o mais evidente. De 1999 a 2003, a taxa de roubo (por 100 mil habitantes) cresceu quase 70% em São Sebastião, 55,3% em Ubatuba e 40,7% em Caraguatatuba. Na capital, subiu 16,7%. São Sebastião é, entre os municípios da região, o que mais sofreu com o aumento desse crime. E neste ano o número de roubos na cidade continua crescendo. “O 190 (telefone de emergência da polícia) fica em São José dos Campos. As nossas delegacias fecham no fim de semana. E só a central funciona 24 horas”, critica o presidente regional da Ordem dos Advogados do Brasil, Luiz Tadeu de Oliveira Prado.
Para quem mora há 40 anos na cidade, ao lado de uma delegacia e recupera-se de quatro tiros – resultado do segundo assalto que sofreu este ano –, falar que se trata de casos isolados soa como descaso do governo. Éo que pensa o comerciante Getúlio Pombo, de 61 anos, vítima de dois assaltos – um no seu restaurante, há quatro meses, e outro quando chegava em casa, um mês atrás. Para o comerciante, os números da violência divulgados não refletem a realidade, já que muitos moradores e turistas deixam de prestar queixa. Um dos motivos: descrença. “Eu já estava sendo operado quando a polícia chegou”, diz Pombo.
A polícia contesta. “Aqui ainda é um paraíso, uma cidade do interior e os índices de criminalidade são baixos. Temos mais um problema social que policial”, rebate o delegado seccional João Barbosa Filho.
“Há mulheres que vão à praia de bíquini e colares de ouro. Você já viu isso?”, indaga o comandante da Polícia Militar da região, Oswaldo da Silva Filho. Segundo ele, no litoral, as pessoas se descuidam e esquecem da própria segurança.
(Fonte: Estadão)

PERIGO –Em toda a costa, como na Praia de Toque-Toque Pequeno, área de proteção sob ameaça

São Sebastião - Preste atenção na imagem ao lado: no primeiro plano há uma casa ampla e luxuosa. A mansão à beira-mar fica em Toque-Toque Pequeno, em São Sebastião, litoral norte paulista. Mais ao fundo dá para ver construções empoleirando-se umas sobre as outras. São casebres e barracos que invadem desenfreadamente a mata atlântica. Esse é o retrato de anos de crescimento desordenado que o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) aprovado na terça-feira pretende agora interromper.
A idéia é reverter um modelo baseado no “veranismo”, o turismo da segunda casa na praia, e partir para o do desenvolvimento sustentável, onde a iniciativa privada veja as belas praias paulistas comouma opção valiosa de investimentos e negócios.O ZEE é um plano que define com regras claras onde e quanto se pode construir no litoral. Se bem aplicado pelas prefeituras, prevê facilidades para o licenciamento ambiental de empreendimentos como hotéis, resorts e outras atividades náuticas e turísticas. “O zoneamento, indiretamente, privilegia os serviços turísticos em detrimento do uso da segunda residência”, diz o superintendente da Agência Brasileira de Gerenciamento Costeiro, Martinus Filet.
“É preciso acabar com o binômio condomínios de luxo e a cidade extra-oficial dos pobres”, acrescenta o professor de política ambiental da Universidade Católica de Santos, Ícaro Cunha. “O modelo da segunda casa está em colapso.
Ele faz as praias lotarem no verão, mas no resto do ano vira um sufoco.Éuma estratégia suicida.”
O litoral norte paulista, rico em parques ainda preservados, tem grande potencial para os turismos náutico, ecológico, histórico-cultural e de eventos. Mas até hoje não foi capaz de absorver o grande exportador de turistas do País, a Grande São Paulo. Muitos paulistanos, por exemplo, preferem viajar para o Nordeste, com seus resorts e melhor estrutura turística, a descer a Serra do Mar.
As quatro cidades do litoral norte vêm crescendo descontroladamente. Um dos maiores reflexos é o aumento das ocupações de morros. Escondidos na mata, os barracos e pequenas casas de alvenaria, sem reboque, desafiam a lei da gravidade sobre barrancos. As favelas avançam em direção ao Parque Estadual da Serra do Mar, protegido por lei ambiental.
Depois, tornam-se vilas e muitas vezes têm suas ruas reconhecidas pela Câmara Municipal. O calçamento chega e até a prefeitura manda recolher o lixo. Mas na maioria, não há água nem luz. Essas “benfeitorias” são levadas por meio dos chamados gatos. “O ZEE não é a solução das coisas, mas uma diretriz para os municípios organizarem a ocupação”,
diz o ambientalista Teo Balieiro, presidente da Federação Pró-Costa Atlântica. “Agora resta aos municípios fazerem a lição de casa e desenvolverem seu Plano Diretor com base nesse estudo.”?

ZONEAMENTO ECOLÓGICO-ECONÔMICO

Z1
terá uso restrito para preservação e conservação, pesquisa, educação ambiental, ecoturismo, pesca artesanal e poucos tipos
de ocupação humana. No lado marinho, é liberado o uso para planos de manejo sustentado

Z2
permite ocupação humana que mantenha as características da região, mineração emanejo sustentado.
Na área marítima (mar e mangue), libera pesca artesanal e aquicultura e atividades de recreação de baixo impacto

Z3
libera usos anteriores e permite ainda a agropecuária e a silvicultura. Na zona marinha, permite pesca industrial e marinas e garagens para embarcações

Z4
compreende as atuais construções e onde a vegetação já foi praticamente destruída ou alterada. Permite construção de imóveis
com restrições. Na zona marinha, além dos usos anteriores, prevê a existência de estaleiros

Z5
prevê quase todo tipo de atividade, inclusive industriais (fábricas, comércio e serviços), turísticas (hotéis, agências de turismo) e aerorodoportuárias (aeroporto, sistema viário, marinas e portos). No mar e nos canais, como o de São Sebastião, já se percebe o desaparecimento de espécies (Fonte: Estadão)

Crescimento urbano destrói vegetação;
já existe até guerra entre morros.

São Sebastião - Longe dos olhos dos turistas que admiram a vista que têm da Praia da Baleia para o verde da montanha,
uma clareira ultrapassa a placa que delimita o início do Parque Estadual da Serra do Mar. Já existe um barraco. A subida para o morro, a Vila Baiana, desvenda outras dezenas de casas e barracos próximos do parque. Ali é uma área de preservação ambiental, já sem sua vegetação nativa e com sinais de deslizamentos.
Mas, para muitos, é a única forma de conseguir um teto para morar. E tem sido melhor morar mal em São Sebastião do que nas cidades de origem, onde são vítimas da fome. “Eu vim atrás de um irmão, que já morava aqui. Mesmo difícil, ainda é melhor, porque a gente consegue bicos, tem hospital de graça, escola e casa”, diz o vendedor ambulante Jordão dos Santos Alves, de 20 anos.
Hoje, Alves vende redes nas ruas da cidade, o que lhe permite dividir as despesas da casa com os sete irmãos e a mãe, que também vieram de Patos, na Paraíba. Mora no morro, conhecido como Itatinga, um dos bairros apontados como mais violentos de São Sebastião, que vive em guerra com um morro vizinho, o Olaria. Ambos fazem parte de um complexo maior, o Topolândia.
Segundo a Polícia Ambiental, até o fim dos anos 80, havia muitos casos de invasão de áreas protegidas por loteadores irregulares.
O aumento da fiscalização e da conscientização de muitos empreendedores fez com que esse tipo de construção diminuísse. Mas o estrago já estava feito. E propiciou o surgimento de um segundo movimento destruidor, o da ocupação de morros e o surgimento de favelas.
Quando um grande condomínio é erguido, em média 300 trabalhadores migram para a cidade. Desses, 90% acabam ficando e trazem suas famílias. “Só Maresias cresce 15% ao ano”, diz o ambientalista Teo Balieiro. Esse dado foi levantado com base nas matrículas escolares.
Em 2001, o baiano Jorge Alves da Silva, de 40 anos, arrumou um bico como pedreiro na construção de um condomínio fechado na Praia da Baleia. Depois da obra, foi morar num barraco na Vila Baiana, na Barra do Saí.Há dois anos, trabalha como jardineiro do condomínio que ajudou a construir e mora numa outra casa, agora de alvenaria, no alto do morro, uma área de encostas onde as construções estão avançando. Silva paga R$ 200,00 de aluguel. “Meu sonho é construir a minha casa. Acho que logo consigo, porque tem muito terreno à venda”, diz. Os lotes a que se refere estão em área de proteção ambiental e já foram desmatados. As ocupações irregulares também ocorrem com rapidez na Vila Tropicanga, em Boiçucanga. Apesar de a região estar sob embargo judicial desde 1994 – nenhuma obra pode ser feita ali – as construções já estão se espalhando até nos trechos de mata mais fechada. “Esse embargo não é respeitado, porque não há fiscalização. Até procuro orientar as pessoas a não construírem, mas não posso impedir que a pessoa construa”, diz Maria Conceição de Moura, uma das primeiras moradoras da vila, há 22 anos. Ela acha injusto atribuir o aumento da criminalidade ao crescimento das invasões. “Não somos
bandidos porque moramos nos morros. Esta é uma situação que ocorre porque as pessoas vêm em busca de oportunidades. Mas é preciso conter as invasões”, admite Maria Conceição.
Fiscalização - Esse é um problema que as prefeituras sempre prometem combater. O atual prefeito, Paulo Julião
(PSDB), diz que intensificou a fiscalização nos quatro anos de governo e aumentou as ações sociais para evitar a criminalidade.
“Derrubamos mais de 400 barracos”, diz. O prefeito eleito, Juan Manoel Pons Garcia (PPS), que está
em Portugal, também promete mudanças. Segundo seu vice, Paulo Henrique Ribeiro Santana, as melhorias vão começar com o novo Plano Diretor do município, que terá como parâmetro o Zoneamento Ecológico-Econômico. “Vamos regularizar as áreas já degradadas, remover as famílias que estão em área de parque e aumentar o número de fiscais de 22 para 100”, diz.
Outra idéia, que já foi adotada em Ilhabela, é cadastrar todos os operários de obras. Com isso, pretende-se conhecer o trabalhador: saber de onde vem, onde mora e o seu nome.
Mas, para o ambientalista Balieiro, é preciso fornecer mão de obra qualificada para o mercado imobiliário aproveitar os trabalhadores locais. “Eles trazem pessoal de fora, porque alegam que aqui falta qualidade. Estamos em contato com empresas para dar cursos a essas pessoas.”
(Fonte: Estadão)

Notícias de Ubatuba Topo

Restaurante Solar das Águas Cantantes Mary´s Solar Bem Te Vi

Reunião na Câmara retoma hoje discussão da Lei de Uso do Solo

Ubatuba - O presidente da Câmara, vereador Rogério Frediani (PTB), promoveu na última sexta-feira, dia 10, uma reunião para discutir a Lei de Uso do Solo.
A intenção é de alterar a Lei 711/84, que está ultrapassada, através do Projeto de Lei 106/04, que leva em consideração as mudaças compatíveis com a situação atual da cidade.
Fizeram parte da mesa diretora o Eng. Roberto, o Arquiteto Renato Nunes, Rogério Frediani, o Eng. Jorge Ribeiro do Vale e Luis Henrique Russo.
Hoje, segunda-feira, dia 13 ás 18 horas, haverá outra reunião para a continuidade dos trabalhos. (Fonte: Laura Ennes)

Participantes do workshop apresentam resultado de oficina de turismo

Ubatuba - Os participantes da Oficina de Definição de Estratégias de Desenvolvimento Turístico de Ubatuba apresentaram na Câmra Municipal neste sábado, dia 11, ao prefeito eleito Eduardo Cesar, o resultado do workshop com os temas Apresentação dos Problemas, Visão Positiva de Futuro e Perfil do Gestor Público.
Esta oficina dá continuidade ao processo de municipalização do turismo em Ubatuba com vistas a prepará-lo para estar inserido no Programa de Regionalização do Turismo – “Roteiros do Brasil”, coordenado nacionalmente pelo Ministério do Turismo. O encontro foi resultado de uma parceria entre várias Instituições, sendo que esta oficina teve por finalidade a elaboração de estratégias de desenvolvimento do turismo sustentável em Ubatuba. Participaram desta oficina representantes do setor público, da iniciativa privada e sociedade civil organizada do Município de Ubatuba, todos interessados no desenvolvimento do turismo.
Maiores informações em http://litoralvirtual.com.br/oficina

Mudança no resultado eleitoral de Ubatuba


Ubatuba - Na última segunda-feira, dia 6, o PTB - Partido trabalhista Brasileiro, entrou com recursos contra a expedição de diploma dos vereadores eleitos de Ubatuba, solicitando que os votos do candidato impugnado Julião Matheus de Souza, num total de 1.220, passassem a incorporar a legenda do PTB, resultando em 40.564 o total dos votos válidos. Com isso o coeficiente partidário e eleitoral também foi modificado, atingindo 4.056 votos necessários para eleger um vereador.
O promotor de Justiça foi favorável ao pedido. A Juíza Eleitoral Dra. Eva Lobo acatou o parecer do Ministério Público, e determinou que T.R.E - Tribunal Regional Eleitoral, proceda a soma dos votos do candidato Julião para o PTB.
Este resultado leva para a Câmara o vereador Silvio Márcio de Paula - "Silvinho Só Bênçãos" e retira do Legislativo o vereador Claudinho (PMDB) (Fonte: Laura Ennes)

Santa Casa responsabilidade de todos

Ubatuba - É necessário mudar o foco em relação Santa Casa de Ubatuba. Atualmente se vê falar mal desta instituição, uma instituição que possui 150 anos de idade, no mínimo merece respeito. Temos que parar de brigar e efetivar uma mudança em nosso único hospital, é preciso unir empresários, comerciantes, entidades, associações, imprensa entre outros. Segundo Charles Medeiros, a Santa Casa é uma entidade secular de relevantes serviços prestados ao município, onde a mesma precisa de do apoio geral e
irrestrito da comunidade e instituições, é necessário um maior envolvimento, uma participação efetiva de todos, afinal “ajudar a Santa Casa é uma Santa Causa”.
Alguns empresários da cidade já se manifestaram quanto ao apoio à Santa Casa, tendo em vista que em algumas cidades ocorreu um envolvimento efetivo da sociedade surtindo efeitos positivos. Se eles conseguiram, nós também podemos conseguir, é só trabalhar, termina Charles. (Fonte: Ezequiel dos Santos)

Orçamento 2005: Câmara aprova projeto sem votar Emendas

Ubatuba - Na última terça-feira, dia 7, a Câmara votou o Projeto de Lei que estipula a receita e fixa a despesa do município para o exercício de 2005.
De acordo com o Projeto o orçamento para o próximo ano fixa a receita em R$ 104.821 milhões e a despesa em R$ 97.612 milhões.
Antes da votação o projeto recebeu 96 Emendas dos vereadores, destinando verbas para as áreas da educação, saúde, entidades, entre outras. Porém, de acordo com o vereador Charles Medeiros as Emendas não foram colocadas em votação, “votamos duas emendas em destaque, para as demais foi pedida, pelo vereador Eduardo César, a votação em bloco, a dispensa de leitura e a rejeição das mesmas, mas este pedido não foi votado, por isso estou solicitando ao presidente da Câmara, através de ofício, uma nova votação do projeto”, explicou o vereador, que incluiu no Orçamento Emendas como: coleta de exames nos bairros, combate aos borrachudos, reforma no mercado de peixe, nova escola na Lagoinha, ciclovias ligando a Estufa a Praia Grande e a Oswaldo Cruz ao Monte Valério, entre outras, que segundo ele foram solicitadas pela comunidade.
O orçamento, com as Emendas rejeitadas, foi aprovado com oito votos contra dois. Votaram favorável ao projeto os vereadores Eduardo César, Ricardo Barbosa, João Maziero, Domingos dos Santos, Marquinhos Tio Sam, Samuel dos Santos, Mauro Barros e Osmar de Souza, os dois votos contrários foram dos vereadores Charles Medeiros e Dr. Ricardo. “votei contrário ao projeto porque no meu entender o desejo da comunidade traduzido pelas emendas foi rejeitado, aliás nem foi votado”, disse Charles.
Para o vereador Dr. Ricardo, que também votou contrário ao projeto, as Emendas deveriam ser lidas, apreciadas e votadas, “esta seria uma forma de amarrar o Executivo em uma atividade onde depois ele até poderia se negar a realizar as solicitações das Emendas caso não houvesse dinheiro nos cofres públicos”, disse Dr. Ricardo, lamentando que o próprio prefeito eleito tenha solicitado que as emendas fossem rejeitadas, “em outras ocasiões, onde houve a chance de se votar as emendas, o próprio vereador Eduardo César insistiu que elas fossem aprovadas. Não tem sentido o prefeito iniciar sem emendas e além disso acho que o Legislativo perde a força quando não vota as Emendas que ele mesmo faz”, afirmou Dr. Ricardo.
De acordo com o vereador e prefeito eleito Eduardo César, a rejeição das emendas propostas pelos seus colegas foi uma necessidade emergencial, já que o orçamento 2005, objeto das discussões, foi elaborado pelo atual prefeito e não reflete as prioridades de governo da próxima administração. “Infelizmente a transição de governo obriga o prefeito eleito a trabalhar com um orçamento proposto pelo prefeito atual e a margem de alterações é extremamente pequena já que mais de 90 por cento do orçamento está comprometido com a saúde, educação e folha de pagamento. Propor emendas é um direito do vereador, porém, o grande número de emendas propostas para esse atual orçamento não nos daria nenhuma mobilidade para realizarmos ações que a comunidade já definiu como prioritárias, de acordo com nosso programa de governo”. Eduardo César disse ainda que realizou vários contatos com os vereadores na tentativa de explicar as conseqüências para o próximo governo caso fossem aprovadas as emendas apresentadas. “Quero agradecer os vereadores que compreenderam a importância do meu pedido e reitero meu compromisso de, na medida do possível, atender essas emendas, mesmo que não constem do próximo orçamento. Essa compreensão foi fundamental para permitir a governabilidade de nosso município”, finalizou. (Fonte: Laura Ennes)


Vereador Dr. Ricardo solicita Emendas para o Orçamento Federal

Ubatuba - Preocupado com a saúde da população, o vereador Dr. Ricardo (PFL), encaminhou documentos para os deputados federais Celso Russomano (PP), Enéas Ferreira Carneiro (Prona), Gilberto Kassab (PFL) e Nelson Marquezelli (PTB), solicitando a inclusão de Emendas que beneficiem a Santa Casa no Orçamento do Governo Federal para 2005.
Para o Deputado Russomano foram solicitadas verbas para a Associação Ubatuba de Surf e Escolinha Municipal de Surf. Para o deputado Enéas a inclusão de verbas para o berçário, alojamento conjunto e sala de cirurgia da Santa Casa. Para Gilberto Kassab verbas para remodelação do setor de informática e para compra e manutenção de materiais e equipamentos.
“Encaminhei ofícios a esses deputados solicitando a inclusão dessas emendas porque são pessoas que tem atendido as reivindicações dos políticos em geral e que tem participado da vida pública e das necessidades de hospitais. Pessoas sensibilizadas com o problema da saúde do povo Brasileiro em geral”, explicou Dr. Ricardo.
De acordo com o vereador a resposta desta solicitação só será divulgada em meados do mês de março de 2005.

Rogério Frediani termina mandato e só pensa em descansar

Ubatuba - Depois de dois anos na presidência da Câmara de Ubatuba, Rogério
Frediani (PTB) revela, em entrevista ao CORREIO DO LITORAL, que não pretende participar do governo de Eduardo César (PL) e Domingos dos Santos (PL), respectivamente prefeito e vice eleitos no pleito de 3 de outubro.
Derrotado nas eleições 2004 como candidato a prefeito, Frediani fala das suas dificuldades ao longo de 12 anos como político.
"Depois desse período como vereador, pretendo descansar durante essa administração, e trabalhar somente a pedido da população".
Frediani avaliou sua eleição como presidente da Câmara e como oposição ao prefeito Paulo Ramos.
"É difícil, mesmo assim mostrei o que consegui fazer tanto para a Câmara quanto para a população. As sessões passaram a ser filmadas e transmitidas pela rádio FM Gaivota, por sinal a primeira Câmara a firmar acordo com uma rádio comunitária, transmitindo (as sessões) em tempo real".
O presidente da Casa explica que, com essa tecnologia, os vereadores devem pensar várias vezes antes de votar um processo.
"Ficam todos expostos à população que dedicou seu voto a eles. Essa atitude melhorou a relação Câmara e cidadãos".
Há 12 anos na política, o atual presidente diz que seu contato com o prefeito eleito se restringe à Câmara.
"Agora, o momento é do Eduardo César, espero que faça o melhor para Ubatuba, porque a cidade precisa de melhorias". Fonte: Correio do Litoral)

Ação Litoral

Opinião Topo

A ética do guia de turismo e a formação profissional
Dalzel Bernardino Bueno Camargo

Relatarei de forma jornalística, ou seja sem minha opinião,um caso real que seria cômico se fosse trágico, para que os internautas da área, comentem.
No município de Ubatuba-SP existe um curso técnico em turismo com habilitação em guia regional de turismo. Como todo curso desse tipo, são necessárias viagens técnicas e visitas técnicas, conforme legislação da Embratur.
Na última viagem técnica à Santos-SP, alguns alunos, dentro do quarto do hotel fizeram algumas brincadeiras. Um assumiu ter mostrado as nádegas pela janela, outra assumiu que mostrou à uma amiga dentro do quarto com a janela fechada antes do rapaz aparecer. Outros disseram que não fizeram nada, só estavam no quarto, e outros que estavam presentes não foram julgados, porque denunciaram os "colegas".
Enfim, mesmo tendo nota suficiente para se formar, apresentando os roteiros, se dedicando as tarefas, a conselho da escola decidiu reprovar 5 alunos e num momento seguinte apenas 2. Alegando que a postura não foi correta.
Legislação de guia de turismo: Deliberação Normativa nºs 426,de 04 de Outubro de 2001

Art. 6º Constituem infrações disciplinares:
I – deixar de portar, em local visível, o crachá de identificação;
II – induzir o usuário a erro, pela utilização indevida de símbolos e informações privativas de guia de turismo;
III – faltar a qualquer dever profissional imposto pelo Decreto nº 946, de 1993;

§ 1º Para fins de aplicação das penalidades previstas no art. 7º consideram-se infrações de natureza:
I – leve, as referidas nos incisos I a III;
II – média, as referidas nos incisos IV e V; e
III – grave, as referidas nos incisos VI a X.

§ 2º Considera-se conduta incompatível com o exercício da profissão, entre outras:
I - prática reiterada de jogo de azar, como tal definido em lei;
II - a incontinência pública escandalosa;
III - a embriaguez habitual;
IV - uso de drogas;
V - contrabando.

§ 3º Para os fins do disposto no art. 10 do Decreto nº 946, de 1993, consideram-se:
I - circunstâncias atenuantes:
a) ser o infrator primário;
b) a ausência de dolo;
c) ter o infrator adotado, de imediato, as providências pertinentes para minimizar ou reparar os efeitos do ato lesivo; e
d) não ter sido a ação do infrator fundamental para a consecução do fato.

A Embratur que regula e aplica as penas, considera pena leve (advertência), após o direito de defesa, e ainda considera os atenuantes.
A Escola considerou grave, não observou os atenuantes, reprovou os alunos, mesmo tendo boas notas, e consequentemente, como pena terão que refazer as viagens e visitas no próximo ano arcando com os custos das mesmas.

Qual é a sua opinião?

Dalzel Bernardino Bueno Camargo
Ubatuba, SP

Carta do Leitor Topo

Errata - Mais uma demonstração de que o Litoral Virtual é uma referência em termos de discussão em todo o Litoral Norte. Pois bem, no meu artigo sobre a Secretaria de Arquitetura e Urbanismo, apesar de ter digitado SAU várias vezes, em todas elas saíram SAL, por correção feita pelo Word e a qual não me atentei. Portanto, estou esclarecendo, e agradeço aos e-mails recebidos pelo alerta, que o correto é Sau e que sei disso.
Obrigado. Meu e-mail é ednelsonfsprado@ibest.com.br

Ednelson Prado
Jornalista
 

Agradecimento - Moto Clube Iguais -Santos parabeniza os interantes do M C Cruz de Ferro - Ubatuba pela acolhida e organização de mais este evento.
Apesar do M C Iguais ser pequeno, acreditamos que "SOBRE RODAS REALMENTE SOMOS IGUAIS"

Kathu - Presidente
Moto Clube Iguais - Santos


André destruindo uma bela ADUBA - Estranho comentário do Senhor André, Presidente da ADUBA, é ridícula as mentiras de uma pessoa sem nenhuma moral, que usa a ADUBA para poder se promover politicamente.
Sabe quem sai perdendo? Os associados da ADUBA, que são na sua grande maioria pessoas decentes, simples e idôneas e que necessitam sim da ajuda de todos nós.
Fizemos alguns projetos para atender os deficientes de Ubatuba, como obrigar a concessionária de transporte coletivo a instalar elevadores para cadeiras de rodas. Será que o Senhor André enviou um ofício para o Diretor da Empresa, para que determinasse os horários em que estariam passando nos bairros e assim comunicar aos seus associados?
Será que o Senhor André sabe, que somente para ajudar a ADUBA, compramos várias cartelas de bingos ao longo destes anos e nem vamos jogar?
Está na hora dos associados da ADUBA a rever que tipo de direção querem ter.
Coloco o meu mandato a disposição da ADUBA, desde que tenha à frente da entidade, pessoas sérias e que não visem outro interesse a não ser a dos associados.
Atenciosamente,

Jairo dos Santos - vereador eleito
Ubatuba, SP


Barba e Cabelo - Li que na dança das cadeiras para a composição da equipe de governo, há ainda disputas pela SETUR. Com um minguado orçamento (que ouvi dizer) de R$300.00,00 mal dá para a folha de seus funcionários. Não tem sentido sua existência, a não ser para mais um cabide. A COMTUR, ora a COMTUR, o cargo do gerente administrativo -financeiro tem nome de "presidente". Muito mais "elan". Será que desta vez será regulamentada? Será, que alguém irá ler seus estatutos e descobrir que quem manda não é o tal "presidente" e sim o Conselho de Administração? Se não for assim, ela continuará na contra-mão do que veio. Uma empresa de economia mista, que veio para desenvolver o turismo do município, paralela da adm pública, (no lugar da antiga SETUR) depender para suas receitas da credibilidade do baixar e levantar de cordinhas é trágico e cômico. Já não era tempo? Se for o Jija que assume o volante, espero que ele atente para estes detalhes, que apesar de detalhes, são fundamentais. Nada de reeditar erros crônicos e perpetuar mazelas. A COMTUR deveria fazer para o turismo, "barba e cabelo".

Ronaldo Dias
Ubatuba, SP
 

Novo Secretariado de Caraguatatuba - Gostaria de parabenizar o Prefeito eleito de Caraguatatuba Aguilar pela escolha do novo secretariado.
Antes mesmo de se apresentarem, alguns nomes já eram fáceis de ser adivinhados, eram figuras certas, outros foram boas surpresas. A nomeação de técnicos para as áreas que lhes cabem, sorri verdadeiramente para a população que sempre almeja mudanças e melhorias.
Foram escolhidos dentre os secretários e cargos de 1º escalão professores do Módulo, Engenheiro da Região, em uma tentativa real de se valorizar a "mão de obra" local para o trabalho com a população.
Aos que permanecem, mesmo com a transição, um alerta: o povo está ficando mais maduro, e não se aceitará pacientemente lentas mudanças ou nenhuma mudança.
Aos que chegam: toda a força e apoio e muito, muito trabalho.
No litoral norte é inegável o Potencial de Caraguatatuba, tanto com relação ao comércio quanto aos serviços.
Façamos então esta vocação da cidade operar a favor de nós.
Este papel cabe também aos nomeados tanto quanto à população.
No mais força e um bom trabalho a todos.
Caraguá merece

Alexandre Marcolino Lemes
Aluno do 5º ano de arquitetura das Faculdades Módulo de Caraguatatuba
Caraguatatuba, SP
 

Aprés moi, le 'borrachudo'- Trabalho na praia e observo, diariamente, a diminuição do turismo, que vem, originariamente, às praias do norte e após cinco minutos expostos ao borrachudo, voltam, naquele dia, para a Praia Grande.
No dia seguinte, provavelmente, voltam para suas casas ou, talvez, viajam para terminar suas férias em Caraguatatuba.
Dizem que em fim de governo não achamos quem, no Paço, nos sirva um café ...
Contudo, o borrachudo não é filustria ou amabilidade palaciana.
É tormento que afeta todo nosso turismo, flagelo que nos atinge e é noticiado a todos futuros turistas, à beira da temporada.
Não seria caso, pela confessada incapacidade do poder público de atender o problema, já que o veneno existe, de alguma ONG ou melhor, a Associação Comercial providenciar veículos e aplicadores, mesmo aposentados, que ganhando uma horinha extra o fariam, prazeirosamente ?
É hora de parar de se lamentar, para tentar evitar choros maiores, ao fim da temporada e à porta dos bancos, e sermos criativos.

Roberto de Mamede Costa Leite
Ubatuba, SP
r-mamede@uol.com.br

 

Feliz Natal - pois é meus amigos, o Natal está chegando e eu penso que assim que passar
este momento de beleza e magia, voltaremos a nos deparar com esta realidade
semi-nua e crua... digamos cruel!
deixemos de demagogia e retoques de última hora!
esta cena foi imortalizada na mesma praça onde um público seleto assiste aos
eventos de sexta-feira,
que por ironia, tem o nome: "Sexta Feira Básica", em frente à Fundart.
acho que o Básico de que precisamos é uma Assistencia Social que funcione...
e por falar em CÊSTA BÁSICA, ... FELIZ NATAL!!!

Valter Capop
Ubatuba,  SP
 

Os Estragos da Ressaca  - Neste final de semana mais uma vez verificamos que as constantes ressacas do mar que acometem o litoral paulista vem causando sérios problemas na região. Na praia de Massaguaçú onde a estrada Rio-Santos margeia a praia já podemos verificar que em breve teremos a rodovia atingida e corroída pela força das marés, pois a faixa de areia coberta de vegetação vem desaparecendo sistematicamente, bem como alguns quiosques que ali se instalaram. Venho observando que desde o ano de 1986, quando uma forte ressaca destruiu parta de uma rotatória, nada foi feito no sentido de conter os estragos. Nenhuma providencia foi tomada no sentido de, pelo menos, tentar conter erosões futuras e a conseqüente deterioração da rodovia que margeia a praia e que diga-se de passagem, é um dos mais belos trechos desta mesma rodovia!
Senhores políticos do Litoral Norte, do Estado de São Paulo que respondem pelo uso do dinheiro público, ou do nosso dinheiro, do meu dinheiro, estão esperando o que para tomar uma providência? Que a estrada desapareça e que o caos se instale?
Não haverá de passar muito mais tempo até que as águas do mar façam vítimas entre os motorista que se utilizam deste trecho da rodovia pois parte dela já está seriamente ameaçada.

Dirceu Astorga Emmã
Ubatuba, SP

Foto do Dia Topo

Para participar desta seção basta enviar as fotos com crédito do autor e legenda, no tamanho mínimo de 1024 x 768 pixels com resolução de 72dpi para fotododia@litoralvirtual.com.br
O envio de foto caracteriza autorizada a sua publicação e identifica o remetente como autor.

Ubatuba-SP

Praia da Sununga


Praia da Sununga
©2004 Emilio Campi


Para instalar a foto como papel de parede (wallpaper)
Clique na foto acima. Após carregar a foto ampliada, clique com o botão direito do mouse sobre a imagem e escolha "Definir como papel de parede" ou "Definir como fundo de tela". Para ajustar a imagem em tela cheia, clique em qualquer lugar da área de trabalho com o botão direito do mouse, escolha "Propriedades" / "Fundo de Tela" ou "Papel de Parede" / "Ampliar".

Arquivos:  Foto Saudade  -  Foto do Dia

 Faça seu comentário, crítica, opinião ou sugestão no Litoral Virtual:
Clique Aqui


As notícias, fotos e cartas publicadas neste boletim são de inteira responsabilidade de suas fontes e autores,
não expressando necessariamente a opinião deste informativo. O envio de qualquer material para nosso e-mail
será considerado como autorizado a sua publicação e assumida a total responsabilidade pelo seu conteúdo.
As cartas devem conter nome completo, RG, endereço, telefone de contato e um e-mail válido.
Reservamos o direito de não publicar cartas que não contenham a devida  identificação do autor.

Editor Chefe: Emilio Campi
Editora Assistente: Jullyany Roberta Cruz


GRÁTIS!!
Receba as Últimas Notícias do Litoral em seu e-mail:

Quero receber GRATUITAMENTE o boletim Últimas Notícias do Litoral:

e-mail:
Cidade:



Obs.: Você poderá cancelar o recebimento das notícias a qualquer momento.

Conheça as cidades do Litoral Norte Paulista:

Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

Litoral Virtual
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet
Sugestões, críticas e informações, entre em contato:
info@litoralvirtual.com.br

©1995/2001 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor