Litoral Virtual últimas notícias do litoral
Segunda-feira, 02 de Janeiro de 2006 - Nº 1433 Edições Anteriores

Mary´s Chalés Pousada das Cachoeiras Buffet Giorgio

Região
Estado preparada a duplicação da rodovia
Igrejas e capelas atraem turistas
Litoral tem 13 praias impróprias
Ofensiva tenta barrar animais em praias
Turista é preso por porte ilegal de arma
Musculação e caminhada: atividades físicas


Caraguatatuba
Tamoios oferece atrativos aos usuários
Martin de Sá ganha tenda com atividades
Ambulantes vão usar adesivos em Caraguá
Casal de S. Sebastião é morto em Caraguá
Caraguá Musica Festival leva 6 mil pessoas à Praça de Eventos
Batom na Cueca leva o melhor do axé à Praça de Eventos nesta sexta-feira 30
Show do Cidade Negra reúne milhares na abertura do Caraguá Music Festival
Caraguá tem programação variada de shows em janeiro

Ilhabela
Area de trilha requer guia para visitante
Uma cachoeira para cada dia do ano
Comunidade reclama das péssimas condições de estrada
Moradores da Ilha de Vitória consomem água contaminada


São Sebastião
Capitania intensifica blitze na temporada
Homenagens aos atletas
Prefeitura intensifica sistema de limpeza da cidade na temporada
Escolinhas de Surfe são mais uma atração do verão em São Sebastião
Verão: produção de lixo no município já é o triplo da baixa temporada
Balneário dos Trabalhadores em São Sebastião
Fiscalização prepara ofensiva: demolições na temporada de verão
Funcionário público salva duas mulheres de afogamento em Juquehy
Prefeitura leva atrações para os bairros durante a temporada


Ubatuba
6 praias de Ubatuba cobram estacionamento
Associação faz protesto em Ubatuba
Ubatuba poderá revelar talentos através do Projeto São Paulo Skate
Polícia apreende aparelhos eletrônicos e cerca de R$ 900,00 com três ciclistas
Ilha Anchieta limita número de visitantes


Seções
Carta do Leitor
Foto do Dia

Notícias da Região Topo

Estado preparada a duplicação da rodovia

Litoral Norte - A Secretaria de Estado dos Transportes prepara a duplicação da rodovia dos Tamoios, obra considerada prioritária para a implantação do corredor de exportação, visando a exportação de produtos pelo porto de São Sebastião.
As três empresas contratadas para fazer o projeto básico, concluem seus trabalhos em janeiro. Os estudos prevêem, além da duplicação, a ligação entre Caraguá e São Sebastião e o contorno de São Sebastião.
Segundo a Secretaria de Estado dos Transportes, logo após a entrega dos projetos, será marcada a audiência pública para discutir o licenciamento ambiental para as obras.
A rodovia será duplicada nos trechos de planalto e de serra. A duplicação no trecho de serra será feita através da construção de túneis e viadutos para reduzir os impactos no meio ambiente.
Após a conclusão das obras, a pista atual será destinada apenas para subida. A pista que será construída, ficará para a descida. A rodovia receberá dois pedágios, um no planalto e outro no trecho de serra.
A duplicação não deverá alterar o limite de velocidade na Tamoios, apesar das reclamações dos usuários. O limite de velocidade no trecho de planalto é de 80 km/h. (Fonte: ValeParaibano)

Igrejas e capelas atraem turistas

Litoral Norte - A beleza arquitetônica e o valor artístico de antigas imagens sacras transformaram igrejas e capelas do Litoral Norte em disputados pontos turísticos, principalmente durante a temporada de verão.
Uma das igrejas mais visitadas é a de Nossa Senhora da Ajuda, no centro de Ilhabela. Construída em 1795, o local recebe diariamente centenas de turistas, muitos deles, estrangeiros.
"Os visitantes ficam fascinados com a arquitetura e as imagens", disse o vigário Luiz Gonzaga, responsável pela igreja. Considerada a primeira edificação feita na ilha, quando o local ainda se chamava Vila Bela, a Matriz passou por restaurações em 1806 e 1954.
Ilhabela também tem como atração as tradicionais capelas caiçaras construídas à beira-mar, que ficam abertas à visitação pública, diariamente, das 9h às 17h30. Entre as mais visitadas estão as capelas de São Benedito (Praia Grande), da Imaculada Conceição (Armação), de Santo Antônio (Portinho), da Exaltação da Santa Cruz (Curral), de São Miguel do Arcanjo (Borrifos) e a de São Pedro (Praia de São Pedro).
SÃO SEBASTIÃO - A Igreja Matriz de São Sebastião, construída no século 18, também é um dos prédios mais visitados por turistas. Além de sua arquitetura em estilo barroco, a igreja possui imagens sacras de grande valor artístico.
O Convento Franciscano Nossa Senhora do Amparo, no bairro de São Francisco, construído em 1664, com mão-de-obra escrava, também faz parte do roteiro de São Sebastião. O prédio, tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) do Estado, é considerado o berço da evangelização no Litoral Norte.
A cidade ainda possui doze capelas, construídas entre 1920 e 1960.
Segundo o administrador diocesano do Litoral Norte, padre Vilson Dias de Oliveira, a Diocese pretende elaborar um livro destacando a importância dos bens culturais das igrejas e capelas da região.
"Outra medida em estudo pela Diocese é a formação de monitores para orientar os turistas nas visitas às igrejas e capelas." (Fonte: ValeParaibano)

Litoral tem 13 praias impróprias

Litoral Norte - Boletim da balneabilidade divulgado no último dia 29 pela Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) mantém Ilhabela no topo do ranking das praias impróprias no Litoral Norte.
Segundo a companhia ambiental, a região tem 13 praias impróprias para o banho. Desse total, só Ilhabela tem sete praias --Itaguaçu, Perequê, Pinto, Portinho, Saco da Capela, Sino e Siriúba.
Na lista, a cidade é seguida por Ubatuba, que conta com quatro praias impróprias --Itaguá, Lázaro, Perequê-Mirim e Santa Rita. Caraguá e São Sebastião estão com uma praia imprópria cada --Indaiá e Porto Grande, respectivamente.
Em comparação com a análise anterior, Ilhabela teve resultado pior com o acréscimo da praia do Portinho no ranking. O mesmo ocorreu com Ubatuba que, além das que já constavam na lista, teve a inclusão da praia do Lázaro.
São Sebastião foi a único município do Litoral Norte que reduziu o número de pontos inadequados para o banho de mar, com a melhora na qualidade da água nas praias Deserta e Pontal da Cruz.
Caraguatatuba, por sua vez, manteve sua única praia imprópria na lista. As praias passarão a serem analisadas três vezes por semana em janeiro. Hoje o boletim é semanal. (Fonte: ValeParaibano)

Ofensiva tenta barrar animais em praias
Prefeituras lançam campanhas para evitar circulação de cães e gatos na areia; multas não intimidam donos

Litoral Norte - As prefeituras do Litoral Norte decidiram investir em campanhas educativas para impedir a presença de animais nas praias. A fiscalização tem sido precária, devido à falta de fiscais e veículos para apreensão dos animais.
As prefeituras elaboraram leis específicas e estipularam até multas, cujos valores variam de R$ 100 a R$ 1.630, para penalizar pessoas flagradas com animal nas praias, mas as medidas não geraram resultados.
Segundo as prefeituras, a proibição de animais nas praias deve-se aos riscos de doenças transmitidos pela urina e fezes de cães e gatos, além de possíveis ataques aos banhistas. Entre as doenças transmitidas pelas fezes dos animais em contato com a areia da praia, estão "bicho geográfico" e micoses.
A turista Valéria Rodrigues, 21 anos, da cidade de Campinas, costuma levar seu pincher "Tico" para passear na praia de Maranduba, em Ubatuba.
Segundo ela, "Tico" é vacinado e bem tratado e por isso não ofereceria risco aos banhistas. "As doenças são transmitidas por animais errantes (sem donos) que frequentam as areias das praias", afirmou.
ESTRUTURA - Uma lei municipal proíbe a presença de animais nas praias de Ubatuba. A multa prevista para oa infratores é de R$ 100.
No entanto, Mônica Domaradzki, da Vigilância Ambiental da Prefeitura de Ubatuba, reconhece que a Vigilância Sanitária não possui condições para fiscalizar todas as praias.
"Acreditamos que somente com a campanha educativa conseguiremos reduzir a presença dos animais nas areias das praias", disse Mônica.
Segundo ela, a maioria das reclamações de cães nas praias são provenientes de Itamambuca, Maranduba, Grande, Pereque-Açu e Lázaro.
"A prefeitura vai instalar faixas explicativas e os agentes da Vigilância Sanitária percorrerão as praias para explicarem aos banhistas os riscos oferecidos pela presença de animais na areia."
O diretor do Centro de Controle de Zoonose de Caraguá, Guilherme Garrido, afirmou que também tem um número reduzido de agentes para uma fiscalização mais rígida. "Sem fiscais fica difícil punir os infratores."
As multas variam de R$ 400 a R$ 1.630, mas até hoje não foram aplicadas quando a infração envolve pequenos animais.
Em São Sebastião, a multa para quem for encontrado com animal na praia é de R$ 600. "Também vamos intensificar a campanha educativa nas praias", disse Guaracy Alcântara, diretor do setor de fiscalização.
FIEL AMIGO - A turista Valéria Rodrigues, de Campinas, passeia com seu pincher na praia de Maranduba, em Ubatuba, na última quarta-feira. Segundo ela, seu animal não oferece risco de doenças
"As doenças são transmitidas por animais errantes (sem donos) que frequentam as areias das praias. O meu é vacinado e bem tratado, não oferece risco"
Da turista Valéria Rodrigues, de Campinas, em Ubatuba
"A prefeitura vai instalar faixas explicativas e os agentes percorrerão as praias para explicarem aos banhistas os riscos oferecidos pela presença de animais na areia"
De Mônica Domaradzki, da Vigilância Ambiental de Ubatuba
(Fonte: ValeParaibano)

Turista é preso por porte ilegal de arma

Litoral Norte - Com base numa denúncia anônima e acionados via rádio pela central da PM, uma patrulha da Polícia Militar prendeu ontem o turista F.F.B., de 26 anos. A prisão ocorreu no bairro Pontal da Cruz, região central do município, por volta das 12h00.
O rapaz foi abordado pela polícia nas proximidades de um supermercado. Ele foi revistado e, em seguida, também o carro em que viajava com a família, esposa e um filho menor. Foi no carro, um Fiat Premium bege, que a polícia encontrou a arma, um revólver calibre 38, com cinco projéteis intactos.
Casado e vendedor, ele já esteve preso em São Sebas-tião e Caraguatatuba, e responde a processos por furto, roubo e estelionato. Residente em Pirituba, zona oeste de São Paulo, ele estava hospedado em Ubatuba, onde a família tem uma casa de veraneio.
A esposa e o carro do vendedor foram liberados, mas ele permanece detido na cadeia local, conforme determina a nova lei sobre porte de arma de fogo sem registro.
Ele só poderá ser libertado mediante decisão do juiz, a quem cabe, neste caso, arbitrar fiança, se assim decidir após análise da vida pregressa do preso. (Fonte: Imprensa Livre)

Musculação e caminhada: atividades físicas

Litoral Norte - Todo ano com a chegada do verão a cena se repete: pessoas correndo atrás da boa forma desesperadamente, querendo emagrecer em poucos dias.
Os profissionais alertam: os exercícios devem ser acompanhados de muita hidratação, moderação e o mais importe, fazer um exame médico antes de iniciar um programa de treinamento.
Na academia do Alemão, no bairro do Pontal da Cruz, em São Sebastião, a atividade mais procurada é a muscu-lação. Isso porque a cidade recebe muitos turistas e, segundo a academia, eles procuram aulas avulsas para não interromper a série de exercícios que já faziam em sua cidade de origem.
Mas para aqueles que querem começar agora visando entrar em forma rapidamente, o professor Alemão orienta que esta não é a melhor saída. O ideal, segundo ele, é fazer uma avaliação física e começar com exercícios leves, e dar o descanso necessário para o organismo. “Tem gente que chega acima do peso é quer perder tudo de uma vez só. Se inscreve em várias atividades e vem pra academia de manhã, à tarde e à noite. O ideal é fazer um condicionamento físico, não com objetivo de perder muitos quilos em um só mês. A saúde vem em primeiro lugar”, explicou.
Depois da musculação, outra atividade muito comum nesta época do ano é a caminhada. Agradável e gratuita, ela pode ser feita em qualquer lugar; na praia, na orla, mas, também deve-se tomar alguns cuidados básicos, como o horário e a vestimenta. O recomendado é de manhãzinha ou no fim dia, fugindo do sol forte. As roupas devem ser leves e o praticante não pode esquecer do tênis, para evitar lesões.
A turista de Pindamonhan-gaba, Gabriela Magalhães Borsatti, de 20 anos, sempre caminha quando vem à cidade.
“Adoro caminhar e fazer trilha. É bom porque no interior não tem uma vista tão linda como esta”, disse ela, enquanto caminhava na ciclovia da Praia Deserta, em São Sebastião, em direção ao centro da cidade, onde iria tomar um sorvete na Rua da Praia.
Patrícia Bellini, de 25 anos, de Ferraz de Vasconcelos/SP, acredita que faltam atividades recreativas e de entretenimento nas praias de São Sebastião nesta é poça do ano. “Falta incentivo e exercícios orientados com professores. Se tivesse algo aqui na praia (Praia Deserta) eu faria”, comentou a turista. (Fonte: Imprensa Livre)
 

Notícias de Caraguatatuba Topo

O Guaruçá Caraguatatuba


Tamoios oferece atrativos aos usuários
Turistas passam pela estrada sem perceber que viagem pode se transformar em uma excelente opção de passeio

Caraguatatuba - A rodovia dos Tamoios, que liga São José a Caraguatatuba, recebe tráfego intenso na temporada de verão, mas a maioria dos usuários desconhece os atrativos que a estrada oferece durante o percurso da viagem.
Os turistas trafegam pelos 83 quilômetros da via sem perceber que a viagem pode se transformar em um excelente passeio para toda a família, desde que não se tenha pressa para chegar ao litoral.
Além dos tradicionais pontos de parada para lanches e compras, como os restaurantes Vaca Preta, Fazendão e Comadre, entre outros, os usuários podem achar atrações interessantes em fábricas, pesqueiros e fazendas.
Uma boa opção é visitar a Usina da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), que tem viveiros com 7 espécies de peixe, 9 aves e 135 diferentes tipos de plantas da Mata Atlântica. O acesso é feito pelo km 38.
Outro local que merece uma parada é a Fábrica de Queijos Rosa. Trata-se de um dos mais tradicionais fabricantes de queijos da região. O acesso também fica no km 38 da rodovia.
CACHAÇA - No km 58 da Tamoios, pode-se chegar ao sítio J.J, onde é fabricada a cachaça Jotinha, uma das mais procuradas na região. O sítio fica aberto a visitação pública das 9h às 16h.
Além de conhecer o processo de fabricação da aguardente, os visitantes também podem adquirir o produto, vendido a R$ 5,50 o litro.
O Pesqueiro Mardizeiro, cujo acesso é feito a partir do km 30 da rodovia, oferece aos turistas a oportunidade de praticar uma pescaria no Rio Paraíba. O pesqueiro fica aberto das 7h às 19h e cobra R$ 5 por pessoa, independente da quantidade de lambaris, mandis e piabas capturadas.
CATAMARÃ - A Marina Tamoios, localizada na altura do km 50, oferece passeios de lancha e catamarã pela represa de Paraibuna. Os passeios duram entre duas e três horas. A marina fica aberta de quarta a domingo, das 8h às 17h.
Passar o dia todo aproveitando os atrativos oferecidos pela marina, entre eles, piscina, ofurô, saunas, salão de jogos, passeios a cavalo e de barco, custa R$ 35 por pessoa.
O sítio Recanto dos Pássaros, no km 35, aberto das 8h às 18h, diariamente, tem dois lagos para pesca, trilhas, passeio a cavalo e piscinas. Um almoço com direito a sobremesa e passeio pelo sítio custa R$ 15 por pessoa.
TRILHAS - No trevo de entrada do bairro do Pouso Alto, já próximo a chegada do trecho de serra da rodovia, o usuário terá acesso a Pousada Alto da Serra, que oferece, entre outras, banho de cachoeira, trilhas, restaurante e passeios de barco pela represa. (Fonte: ValeParaibano)

Martin de Sá ganha tenda com atividades

Caraguatatuba - A Associação dos Comerciantes e a Sociedade Amigos da Martin de Sá lançaram esta semana o projeto "Viva Verão em Caraguá". Segundo os organizadores, durante a temporada serão realizadas atividades esportivas, culturais e de educação ambiental em uma tenda instalada na praia. Um dos destaques é a exposição de animais marinhos, que permanecerá no local durante todo o projeto. Também estão previstos jogos interativos, sessões de ginástica, oficinas de reciclagem de lixo, de pintura e de artesanato com taboa, entre outras ações. (Fonte: ValeParaibano)

Ambulantes vão usar adesivos em Caraguá

Caraguatatuba - A Secretaria de Urbanismo de Caraguá vai implantar um adesivo para identificação dos ambulantes cadastrados na prefeitura para trabalhar durante o verão. O "selo" permitirá que os consumidores comprem produtos de vendedores que atendam aos padrões de qualidade e às normas da Vigilância Sanitária. Os adesivos deverão ser entregues na próxima semana aos ambulantes que já estão trabalhando. A prefeitura também pretende inibir a atuação de clandestinos nas praias. Atualmente, Caraguá tem mais de 300 ambulantes cadastrados.
(Fonte: ValeParaibano)

Casal de S. Sebastião é morto em Caraguá

Caraguatatuba - Um homem e uma mulher, moradores do bairro Canto dão Mar, em São Sebastião, foram assassinados ontem no bairro Perequê-Mirim, em Caraguá, na divisa entre as duas cidades. Segundo a polícia, os corpos foram encontardos às 7h na rua 25 de Março por moradores da comunidade. A polícia não havia encontrado testemunhas e não tinha pistas dos assassinos ou do motivo do crime até as 12h de ontem. Os dois foram executados com pelo menos quatro tiros de pistolas e revólveres cada um. Ela foi atingida nas costas, braço e pescoço. Ele na cabeça, tórax e nádegas. O nome das vítimas não foi informado pela Polícia Civil. (Fonte: ValeParaibano)

Caraguá Musica Festival leva 6 mil pessoas à Praça de Eventos
O Caraguá Music Festival abriu a temporada de Verão com o melhor do pop-rock brasileiro. O Cidade Negra, liderado por Tony Garrido, agitou a galera com os melhores sucessos da banda, levando 6 mil pessoas à Praça de Eventos

Caraguatatuba - A banda Cidade Negra abriu o Caraguá Music Festival, levando à Praça de Eventos um público de 6 mil pessoas. O evento, que promete trazer a cidade as melhores atrações musicais do momento, é organizado pela Friends Eventos, com o apoio da Prefeitura de Caraguatatuba, por meio da Secretaria de Turismo. Esta foi apenas a primeira atração deste festival, que termina somente no final de janeiro.
A programação musical do Caraguá Music Festival deverá agradar os mais variados gostos musicais, trazendo muito rock, axé, forró, reggae, pagode, samba, sertanejo, pop rock, funk, hip hop, e muito mais.
Ao som das melhores músicas que marcaram toda uma década, Tony Garrido e sua banda levaram o público ao delírio com hits como "O Erê", "A Estrada", e muitas outras canções, encerrando a maratona musical com uma homenagem a Renato Russo, com o som "Geração Coca-Cola". Em seguida, a Banda Bichos da Costeira deu continuidade à festa, permitindo ao público presente permanecer na Praça de Eventos e aproveitar o agito noturno que continuou até altas horas.
Mas a programação do Caraguá Music Festival, continua na Praça de Eventos.
Nesta sexta-feira 30 tem o melhor do axé music com a Banda Batom na Cueca, responsável por atrair milhares de pessoas na Praça de Eventos no final de 2004. A festa começa a partir das 23h. Compre seu ingresso antecipado no valor de R$ 10,00, levando 1kg de alimento não-perecível. Os ingressos podem ser adquiridos na Loja Cor do Mar(em frente à Setur), na Água do Mar, no Bar do Hélio e Vênus Depilação. Estudantes, apresentando a carteirinha, pagam 50% do valor normal do ingresso, que é R$ 20,00. Vale lembrar que no Ano Novo a Banda Fórum toca na Praça de Eventos com entrada franca! Participe!
Caraguá... Música é aqui! (Fonte: PMC)

Batom na Cueca leva o melhor do axé à Praça de Eventos nesta sexta-feira 30
Axé é o segundo ritmo do Caraguá Music Festival. O público poderá conferir de perto o som contagiante da banda Batom na Cueca, que tem um swing baiano dos melhores. É impossível ficar parado ao som desta galera, que no início deste ano veio pela primeira vez à cidade e levou milhares de pessoas à Praça de Eventos

Caraguatatuba - A boa pedida para esta sexta-feira, dia 30 de dezembro, com certeza é conferir a segunda atração do Caraguá Music Festival. O nome pode parecer esquisito, mas quem for com certeza não vai se arrepender.
A banda Batom na Cueca traz a Bahia à Caraguatatuba, com o melhor do axé e as mais pedidas dos trios elétricos do nordeste. Em 2005, o grupo contagiou a Praça de Eventos, atraindo milhares de pessoas com as melhores músicas baianas do momento. É a melhor oportunidade para quem quer dançar, deixando para trás todo o "mau agouro" de 2005, afinal, quem dança seus males espanta!
Conheça um pouco mais deste grupo... que de forró não tem absolutamente nada:
Fundado em 1996 em Brasília, o Batom na Cueca é formado por Mamê (vocalista), Xandoca (guitarra,violão e cavaquinho), e pelo trio: Adib, Maroca e Darlan (percussão geral).
O grupo conquistou seu público participando das principais micaretas do Brasil ao lado de artistas como Chiclete com Banana, Ivete Sangalo, Araketu, Babado Novo, Asa de Águia e Terra Samba... chegando a uma bem sucedida turnê de 3 meses por Portugal.
No carnaval 2005 o BATOM NA CUECA conquistou Salvador ao ser o primeiro grupo de Axé Music, formado fora do mercado Baiano, a puxar um bloco oficial no Circuito Barra / Ondina, o Bloco Gula. Batom na Cueca em Alto Mar: O grupo lançou em Abril de 2005, na capital Paulista, o seu 4º e mais novo CD: "Batom na Cueca em Alto Mar", gravado ao vivo, durante o Cruzeiro Universitário no navio Costa Tropical. O CD teve a produção do grupo e do produtor Robson Nonato, que já trabalhou com Chiclete com Banana, Babado Novo entre outros.
O repertório do novo CD é formado por músicas inéditas compostas pelo grupo, como a faixa de trabalho "Só dá Você no Coração", e regravações de sucessos como: "Amante Profissional" (Erva Doce), "Programa de Fim de Semana" (Bruno e Marrone), "Savassi" (Chiclete com Banana) e "Pra lá de Bragadá" (Asa de Águia).
Não esqueça de adquirir seu ingresso antecipado nos postos de venda: Loja Cor do Mar(em frente a Setur), Água do Mar, Vênus Depilação e Bar do Hélio. Levando 1kg de alimento não perecível, o valor do ingresso cai de R$ 20,00 para apenas R$ 10,00. Para os estudantes a promoção é a mesma: apresentando a carteirinha de estudante, o estudante paga meia-entrada. Não deixe de conferir e sinta-se desde já convidado a passar o Reveillon na Praça de Eventos, com entrada franca, ao som da Banda Fórum e Mara Amaral. Prestigie!
Caraguá... Música é Aqui. (Fonte: PMC)

Show do Cidade Negra reúne milhares na abertura do Caraguá Music Festival

Caraguatatuba - O primeiro show do Caraguá Music Festival, ocorrido na quinta-feira, fez a abertura com chave de ouro da temporada de música pela qual a cidade passará pelos próximos 30 dias. O grupo Cidade Negra reuniu cerca de sete mil pessoas na estrutura montada para receber shows de artistas locais e consagrados na música brasileira até o próximo dia 29 de janeiro.
O vocalista Tony Garrido, considerou bom o show realizado na cidade, que ele conta já conhecer há muito tempo. "Venho sempre a Caraguatatuba e cantar aqui é melhor ainda, pois o público sempre é muito carinhoso com a gente", comentou.
Com as músicas do disco que a banda está trabalhando há um ano e dois meses, o público local pôde cantar e dançar ao som de sucessos recentes e também mais antigos, como os que marcaram o início da carreira do Cidade Negra, que hoje tem mais de uma década de sucesso.
Para o guitarrista da banda, Da Gama, a atual turnê da banda reúne sucessos antigos que fizeram e ainda fazem a cabeça de gerações. Ele acredita que esse ato de 'refazer' um som é sempre bom.
"Nós damos um tempo numa determinada música, mesmo que faça sucesso, trabalhamos com algo novo e depois retomamos essa composição. Acho que isso reaproxima o músico da composição e o público à banda", apontou. Ele diz que a música sempre faz parte da história de alguém e por isso é importante fazer esse resgate.
O guitarrista considera fundamental apresentar algo que 'estoure' entre o público e acaba se tornando uma referencia para a pessoa.
Para 2006, o Cidade Negra já tem uma meta para cumprir logo nos primeiros meses: gravar um novo DVD. Esse trabalho ao vivo deverá incluir cinco composições novas e outras regravadas, que farão parte do repertório de shows da banda para os próximos dois anos.
O DVD será gravado no final de janeiro e o lançamento acontecerá em março. Em fevereiro, a banda terá uma trégua, onde os componentes terão férias. Conforme explicou Da Gama, é o momento para descansar e voltar ao trabalho com pique total em março.
A previsão do Cidade Negra é trabalhar durante dois anos com esse projeto do 'ao vivo', para então lançar um novo disco, com músicas inéditas.
Da Gama, que está na banda desde a criação, faz uma avaliação positiva da carreira. "Vejo nossa carreira com uma positividade imensa. Temos gerações diversas nos acompanhando e cada música que lançamos tem vida longa. Toca anos e faz uma nova geração. Esse é nosso grande prêmio", ressaltou.
O guitarrista também considera que é preciso atravessar barreiras para se manter muito tempo no mercado, acompanhando as novas tendências. Apesar disso, ele diz que o grupo jamais irá sair da sua 'espinha dorsal', que é o reggae.
De Caraguatatuba, os integrantes do grupo partiram para Itacaré, na Bahia, onde ficam até a virada do ano. Eles participarão do show da virada em Salvador, ao lado da cantora baiana Daniela Mercury. Na seqüência do Show do Cidade Negra na Praça de Eventos, o público pode conferir de perto o trabalho da banda Bicho da Costeira. (Fonte: Imprensa Livre)

Caraguá tem programação variada de shows em janeiro

Caraguatatuba - A Prefeitura de Caragua-tatuba, por meio da Secretaria Municipal de Turismo e em parceria com a Friends Eventos, continua com uma programação intensa em janeiro com o Caraguá Music Festival, agradando os mais variados gostos musicais na Praça de Eventos, durante toda a programação até o dia 28 de janeiro.
Após as apresentações de Cidade Negra, Batom na Cueca, Fórun e bandas regionais, a animação em Caraguá ficará por conta das bandas Planta e Raiz junto com Raízes Rasta, no dia 1º; Mika 7 e Amizade Verdadeira, no dia 2; Rasta Pé e Canela de Ema, no dia 3; Jeito Moleque e Maneirada, dia 4; Marcelo D 2 e Tolerância Zero, dia 5; Bocaloka e Ousadia de Viver, dia 6; Maurício Manieri e Banda Sofisma, dia 7; Felipe Dylon, dia 8.
Na semana seguinte, a partir do dia 10, a programação do Caraguá Music Festival continua, com shows variados que passam pelo rock, axé, forró, reggae, pagode, samba, sertanejo, pop rock, funk, hip hop.
A partir da segunda semana de janeiro, a Secretaria Municipal de Turismo promoverá na Praça de Eventos, às terças e quartas-feiras, shows de bandas regionais, com entrada franca.
Outra programação da Secretaria de Turismo de Caraguá terá início no dia 5 de janeiro: o Projeto Caraguá “DiverCidade”, que vai acontecer na Praça Ton Ferreira, na Avenida da Praia, em uma tenda coberta de mil metros², com atrações gratuitas.
O projeto envolve cerca de 15 pessoas e a parceria com o Unimódulo e Ceprolin, por meio de seus alunos de Turismo, Educação Física e Pedagogia, que atuarão como monitores das oficinas.
O “AnimAção”, outra atração do projeto, oferecerá atividades gratuitas ao público, como oficinas de pipa, argila, colagem e recreação infantil. O projeto todo será um espaço multicultural, com dança, teatro, coral, dança do ventre, jazz e blues; e acontece até o dia 29 de janeiro, das 17h00 às 23h00. (Fonte: Imprensa Livre)

 
Notícias de Ilhabela Topo

Vulcano Portal da Palmeira

Area de trilha requer guia para visitante

Ilhabela - As cachoeiras de Ilhabela encantam todo tipo de visitante. Elas podem ser curtidas em um programa em família ou por adeptos de esportes radicais, como o rapel.
O acesso às cachoeiras em regiões de trilha deve ser feito com a companhia de um guia, para evitar riscos.
Alguns itens são essenciais aos visitantes. O primeiro deles é o repelente, que pode ser muito útil desde o início do percurso, contra a ação dos borrachudos. É que esses insetos se proliferam em água limpa e transparente, caso das cachoeiras da ilha.
"Outra dica importante é que na realização de trilhas é necessário estar sempre calçado, pois existem animais peçonhentos nessas regiões", disse Rafael Oliveira Morais, diretor de operações turísticas da Secretaria Municipal de Turismo de Ilhabela.
Ele também alerta que visitantes devem trazer de volta todo o lixo que produzirem, nada deve ser deixado nas cachoeiras. "É preciso preservar toda essa beleza, por isso o lixo produzido deve ser levado de volta pelo visitante", afirmou Morais.
Mais Informações: Secretaria de Turismo Vila Telefone (12) 3896-3777, Associação de Hotéis de Ilhabela Barra Velha Telefone (12) 3895-1041 e Associação Comercial e Empresarial de Ilhabela Barra Velha (quiosque no trevo de entrada da cidade). (Fonte: ValeParaibano)

Uma cachoeira para cada dia do ano

Ilhabela é o paraíso das quedas d'água: são 365, que encantam todo tipo de turista, algumas fácil de chegar

Ilhabela - Se alguém resolvesse conhecer uma cachoeira de Ilhabela por dia, levaria o ano inteiro para satisfazer seu desejo --são 365 quedas d'água, que variam de tamanho e localização.
Elas atraem pessoas de todas as tribos e algumas desfrutam de fama de serem pontos de beleza rara do planeta, exemplo da Cachoeira da Laje, Três Tombos, Toca, entre outras. Não é preciso andar muito já que existem cachoeiras distantes apenas quatro quilômetros da balsa, com acesso para carros.
"Cachoeira é tudo de bom, muito natural, sem poluição. Vale a pena usufruir", afirma Hyrum Bernardo Fernandes Bahamondes, 30 anos, que mora em Ilhabela há 27 anos.
Para ele, o verão é a melhor época para conhecer esses locais, pois durante o inverno a água é muito fria. Bahamondes destaca a cachoeira Água Branca, que dá acesso a carros. No local é possível passear com toda a família.
Na Água Branca existem várias cachoeiras acessíveis à visitação e a trilha é bem marcada. A cachoeira fica no Parque Estadual e tem uma trilha de dois quilômetros.
O poço é de 200 metros e há uma torre feita como reservatório de pássaros. Além disso, há corrimão, degrau e monitores do parque para garantir mais segurança ao passeio. Ela é bastante frequentada, por turistas e moradores.
Outra cachoeira bem conhecida é a Pancada D'Agua, mais conhecida como Três Tombos. Nela são encontrados três poços diferentes. O primeiro é uma verdadeira piscina natural. A segunda, tem uma queda que é uma flor d' água em cima da pedra e na última, há uma ducha natural. O acesso à cachoeira Três Tombos é fácil pelo Sul da Ilha, por área de um antigo condomínio. A terceira queda da cachoeira é muito usada para rapel, principalmente para iniciantes, com 30 metros de corda.
Uma cachoeira que exige um pouco mais de trabalho para se chegar, é a Cachoeira do Veloso, no qual o visitante precisa percorrer uma trilha de um quilômetro. Ela também esta localizada no sul da ilha e recompensa o esforço: tem 50 metros de queda d'água.
Para quem prefere se aventurar ainda mais, uma boa opção é a cachoeira Bananal, que só pode ser feita com guia. Os interessados nesse roteiro e outros do gênero, devem procurar agências de turismo. Essa cachoeira fica numa vertente da trilha do Baipi.
Já a cachoeira da Laje, fica no extremo sul de Ilhabela, no início da estrada do Bonete, a 21 quilômetros da balsa. Para chegar a ela, ainda é necessário caminhar entre 30 e 40 minutos. Lá, aventureiros encontrarão um belo tobogã natural.
Outra cachoeira que pode ser vista nessa temporada, é a cachoeira do Gato, localizada a 40 metros da praia do Castelhanos. Ela requer o auxílio de um guia ou um morador experiente para ter acesso, mas quem chega vislumbra uma bela paisagem, pois a cachoeira tem 80 metros de queda d água, além de um poço próprio para o turista ficar embaixo da queda. Existem alguns passeios de jipe que incluem a visita na cachoeira do Gato no roteiro.
Bem frequentada, a Cachoeira da Toca está em uma propriedade particular e por isso é necessário pagar ingresso de R$ 5 para usufruir da estrutura, que inclui um tobogã natural. O acesso é bem fácil, a quatro quilômetros da balsa, sentido norte. (Fonte: ValeParaibano)

Comunidade reclama das péssimas condições de estrada

Ilhabela - Problema recorrente na Ilha, novamente a temporada de verão chegou e a bela estrada de Castelhanos está em péssimas condições de tráfego.
São 22 quilômetros de terra que hoje precisam de aproximadamente duas horas para serem percorridos.
Se a chuva deixar. E façanha esta reservada apenas aos veículos com tração nas quatro rodas, os chamados 4 x 4. Vale lembrar ainda que no Carnaval de 2003 muita gente ficou presa na estrada.
Ela é o único acesso terrestre para a costa leste da ilha - Praias de Castelhanos, Mansa, Vermelha e Figueira. Lá estão várias comunidades caiçaras que vivem semi-isoladas, com uma população estimada em 150 pessoas que, especialmente em dias de mar bravo, depende unicamente da estrada para compras, atendimento médico, atendimento de emergência, entre outros.
A estrada de Castelhanos é também a menina dos olhos do Ecoturismo, dos aficcio-nados por esportes de aventura e camping selvagem, jipeiros e surfistas. Dela praticamente sobrevivem as nove agências de turismo que trabalham com receptivo em Ilhabela. São cerca de 20 jipes por dia, com oito passageiros cada. Uma média de 160 pessoas que as agências enviam diariamente para passear em Castelhanos durante o verão. Tudo isto, sem falar dos veículos 4 x 4, acusados de “destruírem” a estrada em troca de emoção e brincadeira, e ainda dos turistas aventureiros.
No último feriado deste ano, Ilhabela recebeu 13 mil veículos.
Além disto, ela é também uma estrada-parque. Com tudo que isto tem de lindo – a floresta de Mata Atlântica ainda preservada, trilhas, cachoeiras, mirantes com paisagens maravilhosas e, com alguma sorte, o avistamento de animais silvestres.
Mas também com tudo que isto tem de complicado. Ao cortar o PEIB (Parque Estadual de Ilhabela), a estrada fica sujeita aos rigores da legislação de preservação ambiental.
Verba perdida - A Prefeitura de Ilhabela acaba de perder uma verba destinada à estrada-parque. O dinheiro estava disponível na Secretaria Estadual de Planejamento e acabou indo parar no município de Bananal.
“Quando soubemos que havia esta disponibilidade de recursos e fomos atrás, a verba já tinha sido destinada para Bananal”, conta a secretária de Meio Ambiente de Ilhabela, Maria Inês Fazzini.
Ela explica que esta teria sido uma oportunidade de rea-lizar um projeto de pere-nização da estrada. Outra possibilidade para isto foi a inclusão da estrada no programa “Melhores Caminhos”, da Secretaria Estadual de Agricultura. A Prefeitura fez a solicitação no início deste ano, mas esta é uma solução demorada.
“Além disto, outras propostas se sobrepuseram, de forma que o governo estadual considerou que o problema já estivesse resolvido. De qualquer forma, esta época não é boa para se fazer obras grandes na estrada e um projeto de perenização necessita primeiro da aprovação do Instituto Florestal (IF)”, diz Fazzini, acreditando que esta solução ainda pode se concretizar em 2006.
Ecoturismo - Outra possibilidade são os recursos oriundos do convênio BID (Banco Interame-icano de Desenvolvimento) e Governo Estadual, que serão aplicados no projeto “Desenvolvimento do Ecoturismo na Mata Atlântica” (mais informações no site www. ambiente.sp.gov.br).
O projeto prevê um investimento do BID de nove milhões de dólares, e a contra-partida do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA), de mais seis milhões. Serão 16 milhões de dólares a serem aplicados em seis parques estaduais paulistas, nos próximos quatro anos.
Ilhabela está incluída no projeto com duas obras: a restauração do prédio histórico da Cadeia e Fórum, no centro da cidade, que vai sediar o PEIB; e obras na estrada de Castelhanos. O que está previsto, no entanto, atende apenas a parte turística, como trilhas e implantação de mirantes, e não obras de engenharia.
“A estrada precisa também de projeto de drenagem, contenção de encostas, substituição de pontes, revestimento do piso em alguns trechos, além de manutenção permanente. Nós estamos tentando viabilizar estes recursos no âmbito da própria SEMA”, diz Marília Brito, diretora do PEIB.
Em sua opinião, entretanto, igualmente importante é o esforço que a comunidade deve realizar para chegar a um consenso em torno do que se quer para a estrada.
“Há um conflito muito grande hoje”, diz ela. “Os diversos setores da comunidade envolvidos desejam coisas diferentes para a estrada. Cada um tem seus interesses e sua visão – moradores, jipeiros, proprietários de terra, agências de turismo, etc. Uns querem que a estrada permaneça como está, outros a querem perfeita e asfaltada. Será necessário muito debate para se chegar a um consenso”.
Além disto, há também a visão do próprio IF, responsável pelo parque, e a necessidade de atender a legislação ambiental. Questões como revestimento do piso, largura da estrada e controle de uso terão que ser contempladas em qualquer projeto de perenização.
“É preciso manter o padrão atual da estrada no trecho em que ela corta o parque. Se as modificações forem muito grandes, será necessário elaborar um EIA-RIMA (estudo e relatório de impacto ambiental)”, explica Marilia Brito.
Mutirão emergencial - Motivo de muito empurra-empurra entre Prefeitura e a direção do PEIB no passado, hoje a estrada já é vista com outros olhos. A direção do parque continua afirmando que a manutenção não é de sua responsabilidade, mas sim da Prefeitura e do DER.
Mesmo assim, no verão passado, tomou a iniciativa e propôs uma força-tarefa para consertar a estrada.
“A estrada foi consertada, mas depois não houve manutenção”, diz a diretora do parque. “Na época foi colhido material para revestimento do piso, terra e saibro, dentro do próprio parque, mas não podemos mais permitir esta prática. Isto gera desbarranca-mentos e o impacto é muito grande. Além disto, a primeira chuva lava todo este material que vai parar nos corpos d’água, provocando asso-reamento. Este é um círculo vicioso, um processo que precisa ser brecado”.
“Falta decisão política para conseguir resolver a situação da estrada”, afirma Marcelo Batista de Oliveira, proprietário da agência de turismo Caiçara. Segundo suas estimativas, na última quinta-feira, antes mesmo do início da temporada, mais de cem pessoas foram enviadas para Castelhanos pelas agências.
Vice-coordenador do Conselho Consultivo do PEIB, ele diz que hoje a existência do Conselho ajuda a amenizar o antagonismo que sempre contrapôs prefeitura e parque na questão da estrada.
Além disto, o conselho é bem representativo, reúne-se com freqüência – a última reunião foi dia 14 de dezembro e a próxima será em fevereiro – e acaba funcionando como um fórum permanente de debates. Com 24 membros, ele tem representação de cinco comunidades tradicionais, sabs, entidades culturais, prefeitura e diversos órgãos governamentais.
“Nós vamos ter que fazer esta manutenção de emergência novamente”, afirma Marcelo, contando que a única coisa que está segurando este trabalho é a falta de material. “Precisamos de aproximadamente 200 m³ de pó de brita ou de cascalho, materiais que não encharcam”, diz ele.
Segundo a Prefeitura, a manutenção será feita com recursos próprios e em parceria com a comunidade. “A prefeitura prometeu manilhas, equipamentos (caminhão e trator) e mão de obra.
O parque vai ceder um funcionário para orientar os trabalhos. As agências vão entrar com os jipes para fazer o transporte do pessoal. Os moradores de Castelhanos vão ajudar também com mão de obra, e os bares lá da praia vão fornecer alimentação”, conta Marcelo. (Fonte: Imprensa Livre)

Moradores da Ilha de Vitória consomem água contaminada
Problema foi detectado pela Sabesp. Prefeitura quer melhorar situação sanitária da comunidade tradicional

Ilhabela - Ao menos 43 pessoas (muitas delas crianças) que residem na Ilha de Vitória, comunidade tradicional localizada a cerca de 43 quilômetros ao leste de Ilhabela, estão consumindo água contaminada por coliformes fecais.
A constatação foi feita pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), que realizou há cerca de dois meses análises de amostras cole-tadas pela Vigilância Sanitária do município nas nascentes daquela localidade.
O resultado é considerado “preocupante” pelo gerente de Controle Sanitário da Sabesp, engenheiro Antônio Dirceu Pigatto Azevedo. Para averiguar a situação, o secretário de Saúde de Ilhabela, Arquimedes Hyppolito, o diretor de Saúde, Márcio Tenório, além do gerente da Sabesp e de membros da Vigilância Sanitária, estiveram na Ilha de Vitória no último dia 15.
A comitiva entrevistou os moradores, anotou os principais problemas enfrentados pelas famílias, visitou todas as nascentes e reuniu os moradores para explicar a gravidade da situação. Após a constatação in loco dos problemas, a comitiva decidiu elaborar um projeto para expandir as nascentes, melhorar a questão sanitária e prestar um atendimento mais adequado aos moradores.
De acordo com Márcio Tenório, os problemas encontrados pelos técnicos serão informados ao Comus (Conselho Municipal de Saúde).
Ilhabela possui 15 comunidades tradicionais, localizadas em ilhas e na parte do arquipélago voltada para o Oceano Atlântico, que totalizam 673 pessoas.
O único meio de subsistência é a pesca. O acesso a essas comunidades geralmente é feito por meio de embarcações. A viagem de Ilhabela até a Ilha de Vitória dura aproximadamente uma hora e meia em uma lancha rápida e com condições de tempo e mar favoráveis.
“Níveis alarmantes” - A contaminação seria provocada pelos próprios moradores, que não teriam consciência dos procedimentos básicos de higiene. “Falta empenho dos próprios moradores”, diz Márcio Tenório. “Muitas dessas pessoas acabam defecando próximo às nascentes.
Com as chuvas, as fezes acabam atingindo as águas. Os níveis de coliformes fecais encontrados nas coletas são alarmantes”, declara o gerente de Controle Sanitário da Sabesp, Antônio Azevedo.
“Na ilha não há cachoeiras e a água é captada por mangueiras de borracha diretamente das nascentes, sem nenhum tratamento”, explica. As casas, em sua maioria feitas de pau-a-pique, não têm sanitários. Alguns ilhéus se queixaram de serem acometidos constantemente por febres e diarréias.
Durante a visita, um sapo morto foi encontrado na caixa d’água que abastece a Escola Municipal “Ilha de Vitória”, que atende a seis alunos de 1ª a 4ª séries. “Até mesmo as fezes de um passarinho podem contaminar a água em milhões de coliformes fecais”, explica Azevedo. Ele percebeu que as caixas d’água não estão acondicionadas de forma correta.
“A concentração de coliformes fecais muito elevada indica a necessidade de elaboração de um projeto para adotar técnicas para deixar a água potável”, explica o representante da Sabesp.
Após as inspeções, toda a comitiva se reuniu com os moradores na escola.
O engenheiro da Sabesp explicou que há a necessidade de se ferver a água antes de consumi-la e de lavar alimentos, principalmente ao manipularem o peixe, principal meio de subsistência daquela localidade.
“Não adianta remédios para eliminar a diarréia ou febre se os moradores continuarem a consumir água contaminada. O problema tem de ser combatido antes, com a água potável, de forma a evitar as doenças”, salientou.
Ele ressaltou ainda a importância dos moradores circularem pela ilha calçados. “Algumas bactérias chegam a resistir até um ano no solo. Com os pés descalços, os moradores podem ‘transportá-las’ até as nascentes, contaminando-as”, disse.
A reportagem, que acompanhou a visita dos técnicos, constatou que todas as crianças da ilha estavam brincando descalças, em meio a gatos, galinhas e cachorros. Adolescentes lavavam louças com a água contaminada. Uma moradora limpava peixes com a mesma água.
O diretor de Saúde, Márcio Tenório, disse que a Secretaria Municipal da Saúde irá distribuir hipoclorito de sódio aos moradores na próxima visita. “Vamos melhorar e expandir as benfeitorias já feitas na Ilha de Vitória”, anunciou. Também nascido em uma comunidade tradicional (Praia da Fome), ele disse que conhece de perto os problemas enfrentados pelos moradores.
Falta de médicos preocupa moradores - Os moradores da Ilha de Vitória aproveitaram a presença do secretário municipal da Saúde, Arquimedes Hyppo-lito, e do diretor de Saúde, Márcio Tenório, para reclamar sobre a ausência de médicos na localidade, durante uma reunião realizada na escola local, logo após as inspeções. “Faz cinco meses que não há atendimento médico por aqui”, disse a moradora Lídia Costa, de 23 anos, no dia da visita, em 15 de dezembro.
Ela nasceu na ilha e mora com o marido, Roberto Costa, um dos líderes da localidade, e com o filho Matheus, de 7 anos.
A dona-de-casa sai apenas três vezes por mês até Ilhabela para fazer compras e consultas médicas. Segundo ela, quando um morador adoece é necessário acionar o Yacht Club Ilhabela por rádio para que uma lancha possa remover o paciente.
“Isso quando as condições de tempo permitem”, ressalva. O atendimento médico é feito na escola.
O marido de Lídia, Roberto Costa, queixou-se com os técnicos que quando há atendimento médico, as aulas têm de ser interrompidas. “A sala de aula vira ambulatório e as mulheres ficam com vergonha de serem atendidas desta forma”, queixou-se Roberto. Ainda de acordo com ele, quando há o aviamento de receitas, não há remédios da rede básica de saúde de Ilhabela.
A Ilha de Vitória conta com energia solar, que atende somente a escola; e um gerador, capaz de produzir energia suficiente para o acionamento das lâmpadas das casas e aparelhos de TV. Há sinal de telefonia celular, que é gerada na cidade de Ubatuba.
O diretor de Saúde da Prefeitura de Ilhabela, Márcio Tenório, declarou que haverá atendimento mais adequado às comunidades tradicionais da cidade. Segundo ele, a falta de médicos nas comunidades tradicionais se deve às dificuldades de transporte e às condições de tempo.
O envio de equipes médicas é feito por embarcações particulares. “Nos últimos meses choveu muito na região, o que impossibilitou que a lancha trouxesse um médico”, explicou Tenório aos moradores. “O Yacht Club não autoriza a saída da embarcação se as condições de tempo são desfavoráveis”, acrescentou.
Ele declarou que o problema será resolvido com a implantação da “ambulancha”, uma lancha adaptada como ambulância, que proporcionará visitas mais constantes às comunidades. “Com a nova embarcação, teremos condições de efetuar o atendimento médico preventivo, veterinário, odontológico e de emergências”. A embarcação será adquirida pela Prefeitura de Ilhabela com verba cedida pelo Governo Federal e poderá ser utilizada também pelo Comus e pela Defesa Civil.
Com relação à falta de medicamentos, o diretor explicou aos ilhéus que a Secretaria da Saúde trabalha com estoque mínimo. Segundo ele, a rede municipal oferece todos os 40 medicamentos fornecidos pelo Estado, por meio do programa ‘Dose Certa’. “O que pode ter ocorrido é que as receitas poderiam ter medicamentos que não fazem parte dos 40 tipos fornecidos pelo Estado”.
Tenório disse ainda que irá adaptar uma sala da escola apenas para o atendimento médico. “Desta forma, as mulheres terão um atendimento mais reservado e as aulas não precisarão mais ser interrompidas”, explicou. De acordo com ele, a sala servirá como base de apoio e poderá ser utilizada também para a coleta de exames.
O diretor afirmou que a lancha é uma antiga reivindicação das comunidades tradicionais. “Trata-se de um projeto inédito no Estado de São Paulo. Lanchas deste tipo existem apenas nos Estados do Paraná, Pará e Rio de Janeiro”, observou. Ela deverá estar em funcionamento a partir de fevereiro.
Sem saber, moradores recebem ajuda de europeu apaixonado por Ilhabela - Distantes dezenas de quilômetros de Ilhabela e do continente, os moradores de comunidades tradicionais não imaginam que por trás de algumas benfeitorias que hoje eles usufruem, a ajuda vem de bem longe. É do município de Leverkusen, na Alemanha, que vem o “anjo da guarda” dessas famílias.
Fritz-Georg Meyer, de 61 anos, se sensibilizou com a situação das comunidades e, há alguns anos, vem auxiliando o Poder Público municipal (e até estadual) a amenizar o sofrimento dessas pessoas. Ele acompanha as visitas dos técnicos às ilhas e às comunidades tradicionais, sugere soluções e registra em fotos cada passo das pessoas diretamente ligadas às questões educacionais e de saúde daquelas famílias.
Na visita à Ilha de Vitória, no último dia 15 de dezembro, não foi diferente. Ele se responsabilizou pelo transporte de lancha até a localidade, o que possibilitou a visita do secretário e do diretor municipal da Saúde, de um técnico da estatal Sabesp e de membros da Vigilância Sanitária.
Apaixonado por Ilhabela desde 1973, quando pisou no arquipélago pela primeira vez, Fritz-Georg Meyer começou a se sensibilizar pelos problemas quando ficou sabendo das dificuldades de se socorrer um doente nas comunidades tradicionais. Uma adolescente havia passado mal. “Ela foi levada para a Ilhabela e tudo se resolveu”, recorda-se. Foi ele quem pagou os exames da garota que havia adoecido e de outras tantas pessoas que moram na Ilha de Vitória.
A partir daquela data, começou a contribuir com a Prefeitura. Recentemente ajudou a implantar um programa odontológico na praia de Cas-telhanos e, na Ilha de Vitória, comprou a antena e os rádios-comunicadores da escola há alguns anos, que hoje são importantes para o estabelecimento da comunicação entre a comunidade com o mundo afora.
Na comitiva que esteve na Ilha de Vitória, em 15 de dezembro, Fritz-Georg percebeu que algo deve ser feito para amenizar o problema de falta de saneamento. “Temos que fazer algo, melhorar a qualidade da água, qualquer coisa. As crianças têm direito à saúde e de crescer em um ambiente saudável”, afirmou à reportagem. Mas ele destacou a necessidade de haver uma contrapartida dos moradores. “Eles têm que colaborar, pois sem a ajuda deles não poderemos obter êxito nas ações que estamos planejando para essas famílias”, salientou.
“Sou leigo, mas gostaria de ajudar vocês”, disse o alemão aos moradores, durante a reunião. “A partir de agora, o pessoal (funcionários da Saúde) vai trabalhar para mudar”, disse.
Fritz-Georg diz que na Alemanha os políticos têm prazos para cumprir cronogramas. Ele disse que irá cobrar a elaboração de um relatório da visita a Ilha de Vitória e o projeto citado pelo diretor de Saúde, Márcio Tenório. Seu auxílio às comunidades é apoiado pela Prefeitura de Ilhabela.
“Deixei meu coração aqui” - Fritz-Georg Meyer chegou em Ilhabela em 1973. Em 1978 voltou para o seu país de origem para trabalhar na indústria química Bayer. Foi executivo da empresa. Decidiu retornar a Ilhabela e recusou ofertas milionárias para voltar a trabalhar na Alemanha. Uma de suas aventuras foi dar uma volta em Ilhabela à pé, façanha que lhe custou oito dias de caminhada.
Foi desta forma que conheceu pessoas. E também os problemas.
Ele acredita que apoiando os Poderes Públicos com seu dinheiro, as coisas “acontecem. Dando verba eles fazem”, resumiu. Fritz-Georg Meyer estima que investe cerca de R$ 10 mil por ano na melhoria das comunidades tradicionais de Ilhabela.
Solteiro e sem filhos, o alemão se queixa de ser confundido com candidato visando eleições futuras. “Muitas pessoas acreditam que tenho interesse político. Sou estrangeiro, não posso ser candidato a nada e nem votar.
Quero ajudar porque gosto de Ilhabela. Deixei meu coração aqui. Tive sorte (na vida), pois tenho boa saúde ao longo dos meus 61 anos e apenas gostaria de retribuir ajudando de alguma forma”, concluiu. (Fonte: Imprensa Livre)

 

Notícias de São Sebastião Topo

São Sebastião Superchic

Capitania intensifica blitze na temporada

São Sebastião - A Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião, responsável pela fiscalização do tráfego aquaviário nas praias e ilhas do Litoral Norte, encaminhou um documento às marinas e iates clubes da região, alertando-os sobre as necessidades do cumprimento das normas de navegação durante a temporada de verão.
O documento, assinado pelo delegado Luiz Fernando Pereira da Cruz, a Capitania pede aos proprietários maior atenção e respeito às normas, para que sejam evitados acidentes envolvendo banhistas ou barcos durante a temporada, quando aumenta o tráfego de embarcações próximo às praias.
Até o ano passado cerca de 15 mil embarcações estavam cadastradas na delegacia de São Sebastião.
Segundo a Capitania, entre os acidentes mais comuns no verão, está o abalroamento entre embarcações quando fundeadas irregularmente. Também são registradas muitas denúncias de abusos cometidos por condutores de jet sky.
No último dia 7, a Capitania iniciou a operação "Verão Seguro", intensificando a fiscalização nas praias e orientando as marinas e iates clubes sobre as normas que devem ser seguidas pelos usuários das embarcações. No verão passado, a operação usou 32 homens, quatro embarcações e cinco viaturas.
Nas blitzes, a Capitania checa documentação das embarcações, habilitação dos condutores e número de coletes salva-vidas a bordo. Barcos a remo ou a vela somente poderão trafegar a 100 metros da linha de arrebentação nas praias e as embarcações a motor, inclusive lanchas e jet ski, a 200 metros. O abastecimento de embarcações na areia da praia também é probido.
A Capitania alerta ainda que os pescadores não podem utilizar seus barcos para passeios com turistas, atividade ilegal que tem sido bastante comum na região. (Fonte: ValeParaibano)

Homenagens aos atletas

São Sebastião - Quatro funcionários da Prefeitura de São Sebastião foram homenageados ontem (29/12), em sessão solene na Câmara Municipal, pelos resultados obtidos na IV Olimpíadas dos Servidores. Leonardo Matsuhashi e Maria Cecília, ambos da Secretaria de Educação, Vânia Santos, da Secretaria da Fazenda, e Márcia Ferreira, da Secretaria de Administração. Além das várias medalhas obtidas nos jogos, os atletas receberam agora um certificado de honra ao mérito pelas conquistas. (Fonte: PMSS)

Prefeitura intensifica sistema de limpeza da cidade na temporada

São Sebastião - A Prefeitura de São Sebastião está se preparando para a temporada de verão. Uma das preocupações é em relação ao grande aumento na produção de lixo. De acordo com o assessor da Secretaria de Meio Ambiente (Seman), Teo Balieiro, o gerenciamento do lixo no Litoral Norte na temporada se torna extremamente complexo, uma vez que a população flutuante da região - turistas e proprietários de segunda residência - aumenta de cinco a seis vezes em relação à população fixa. "O litotral Norte tem aproximadamente 200 mil habitantes e os cerca de um milhão de turistas de férias, em sua maioria, desconhecem os sistemas municipais de coleta seletiva e a programação de coleta de lixo indiferenciado e a difícil disposição final em aterros sanitários ou lixões pela fragilidade ambiental da região. A tendência nessa época é a produção de resíduos aumentar, pois o consumo e diretamente a quantidade de embalagens aumentam, além dos resíduos gerados nas festas de final de ano", explica Balieiro.
De acordo com Seman, em São Sebastião, por exemplo, a quantidade de lixo coletada por dia normalmente gira em torno de 60 a 80 toneladas. "Só no dia 26 desse mês foram coletadas 200 toneladas e a partir do dia 30 a tendência é aumentar", conta Balieiro. A Costa Sul foi responsável por 115 toneladas e Centro e Costa Norte pelo restante.
Ele também destaca que a coleta seletiva também aumenta. "Os coletores da seletiva normalmente retiram 3 toneladas por dia fora de temporada. Nos últimos dias a média tem sido 10 toneladas".
Para dar conta do aumento do lixo na cidade, a Prefeitura de São Sebastião, aumentou a frota de caminhões para coleta indiferenciada de 7 para 16 e da coleta seletiva de 4 caminhões para 8. Além de aumentar também o contingente de trabalhadores - motoristas, coletores, varredores - de 177 para 230.
Mais de 30 famílias se beneficiam com a sucata proveniente da coleta seletiva que é descarregada na Coopersuss (Cooperativa de Sucata de São Sebastião) .
Já o lixo da coleta indiferenciada vai para uma estação de transbordo onde é compactado e depois transportado para Tremembé, no aterro Ônix-Sasa, por carretas. "Normalmente se operamos com duas, para a temporada estão utilizaremos cinco. Em São Sebastião não se dispõe ou enterra lixo no solo desde maio de 2004" afirma o assessor da Seman.
Além do aumento da infra-estrutura foi montada uma logística especial na varrição de rua, coleta, transporte e transbordo e, segundo Balieiro, para tudo isso dar certo é muito importante a colaboração da população. "Toda a operação ocorrerá durante 24 horas do dia. Há ruas onde o caminhão não consegue ter acesso entre 9 e 20 horas em função do excesso de carros. É importante estar atento aos lugares de estacionamento proibido", destaca. Ele pede ainda para que nestes casos as pessoas denunciem as irregularidades ao DETRAF (Deparatamento de Tráfego) pelo telefone (12) 3892-3945.
Recomendações
Para auxiliar no sistema de coleta e limpeza da ciadade, a Semam dá algumas dicas para os turistas e munícipes.
* Importante não colocar o lixo logo após a passagem do caminhão. Sugere-se depositar o lixo bem cedo ou à noite, sempre bem acondicionado;
* O ambulante com barraca de praia deve colocar seu lixo em local onde o caminhão tenha acesso;
* Diferenciar o saco da sucata com o do lixo comum indiferenciado;
* Não colocar restos de poda e de entulho na rua;
* Dúvidas ou reclamações: 3892 5150 ou 3892 1568
(Fonte: PMSS)

Escolinhas de Surfe são mais uma atração do verão em São Sebastião

São Sebastião - O verão em São Sebastião traz diversas opções para os turistas: praias, ecoturismo, história, gastronomia, cultura, artesanato e muito mais. No entanto, uma das opções que vêm atraindo um grande número de pessoas para a cidade é a prática de esportes radicais como o surfe.
Não se sabe ao certo a data exata em que este esporte começou a ser praticado na cidade, no entanto, contam os mais antigos, que ele teria sido trazido por turistas no começo da década 70. Apesar de sua história com o surfe ser razoavelmente recente, São Sebastião, logo que descoberta por estes forasteiros das ondas nunca mais saiu da rota destes obcecados pelo mar. Atualmente o esporte vem sendo tão difundido, que as Escolinhas que ensinam o surfe se tornaram a atração das praias sebastianenses.
A moda pegou e quem ainda não sabe o esporte corre contra o tempo e tenta aproveitar as férias e os finais de semana na praia para aprender a deslizar sobre as águas.
O segredo? Contam os instrutores que é não ter medo da água e estar preparado para desafiar as ondas. O preparo físico também ajuda, mas se você não está na sua melhor forma não desanime, qualquer um pode surfar, até mesmo aqueles que estão acima do peso ideal. A idade recomendada para iniciar no esporte é a partir dos quatro anos.
Segundo o instrutor da escolinha Filhos de Netuno, na praia de Cambury, Anselmo Teverão, não há limite de idade nem de condicionamento físico para se praticar o esporte. "Para estimular os iniciantes mostramos as fotos, por exemplo, de Alcino Pirata, que mesmo sem uma perna pratica o esporte. Para os que acham que já passaram do tempo, apresentamos fotos de Waldemir Pereira Costa, que aos 76 anos, quando estava prestes a se suicidar, subiu na prancha pela primeira e voltou a curtir a vida".
Antes de entrar no mar, os instrutores das escolinhas dão aulas teóricas que versam sobre postura, troca de posição na prancha o porquê de determinados movimentos e a necessidade de cuidados com o mar. Para intensificar os cuidados e preparar ainda mais o aluno, os instrutores dão alongamento e simulam na areia, o que os futuros surfistas farão na água.
Para o turista, Edgar Lagus, 42 anos, as escolinhas de surfe são uma forma de popularizar o esporte. "Faz tempo que tenho vontade, e hoje decidi vir ter uma aula de surfe e a escola me dá segurança para fazer algo que nunca tive coragem de fazer sozinho".
Lagus destaca que as aulas de surfe conscientizam do que se deve fazer ao entrar na água com a prancha e as técnicas necessárias para não se machucar.
Nesta época do ano, cada escolinha chega a atender em média 30 alunos por dia. O valor da hora/aula varia de R$ 25 a 30, de acordo com a idade do aluno.
Segurança e profissionalismo
Cresceu tanto o número de escolinhas nas praias sebastianenses que a cidade já criou a Lei Municipal 1755/2005, para regulamentá-las. O objetivo é garantir a qualidade dos serviços prestados e, principalmente, a segurança dos alunos. De acordo com a Lei, o instrutor autônomo ou a pessoa jurídica só poderá ministrar aulas se comprovar seu credenciamento junto ao Conselho de Educação Física do Estado de São Paulo (CREF); ter feito o curso de salvamento aquático e primeiros socorros de todos os instrutores e eventuais monitores; exigir dos alunos maiores de 18 anos, atestado médico específico para a prática do surfe e para os menores de 18, além do atestado, autorização expressa e por escrito do seu responsável.
O ideal também é que cada instrutor entre na água com no máximo dois adultos por vez. E se for uma criança, um ou dois instrutores devem acompanhá-la.
Investindo na segurança dos alunos as escolas investiram em uma novidade, as pranchas de borracha com quilhas flexíveis, que evitam acidentes ou machucados, comuns em quem usa uma prancha normal sem ter experiência. Para quem está começando o ideal são as pranchas chamadas de Long Board, que por serem maiores facilitam a flutuação e equilíbrio, permitindo que a pessoa fique em pé na prancha com mais facilidade.
Surfe solidário
Além de ensinar interessados, as escolinhas possuem projetos sociais em parceria com a Prefeitura de São Sebastião que ensinam o surfe durante o ano a crianças carentes do município.
Na praia da Baleia, a escolinha de surfe da Billabong, desenvolve durante o ano, em parceria com a Prefeitura, o projeto "Bom na Escola, Bom no Surfe" que ensina o esporte e incentiva as crianças a ter um bom desempenho escolar. Durante dois anos, com exceção de Ari Lobo, coordenador, os outros instrutores prestam o trabalho voluntariamente e começarão a receber salário no próximo ano devido a parceria com a Prefeitura.
Ainda na Baleia Wagner Pupo, atleta sebastianense profissional conhecido mundialmente ensina o que mais gosta de fazer. Pupo já ministrou aulas de surfe gratuitamente para a comunidade carente e pretende retomar seu trabalho no próximo ano.
A escolinha Filhos de Netuno possui um projeto Sócio-Ambiental com a Associação de Surfe de Cambury, onde cerca de 20 crianças de regiões carentes do bairro, aprendem a surfar gratuitamente todas as terças e quintas-feiras.
Quem ensina
Escolinha Filhos de Netuno - Cambury. (011) 9710-1247
Escolinha Wagner Pupo - Baleia. (012) 3865-2831 / 9715-7209
Escolinha da Billabong - Baleia. (012) 9772-4667 / (011) 9513-9833
Mais informações com a Secretaria Municipal de Esportes (SEESP) pelo telefone 3892-2062.
(Fonte: PMSS)

Verão: produção de lixo no município já é o triplo da baixa temporada

São Sebastião - Na verdade, a produção de lixo já cresceu mais que o triplo, passando das 60 toneladas/dia, produzidas até o início de dezembro, para 200 toneladas/dia.
Este número pode crescer ainda mais na passagem do ano e no carnaval, chegando a 240 ou 260 toneladas/dia, segundo o secretário municipal das Subprefeituras, José Carlos Moreno.
A coleta de sucata também cresceu na mesma proporção, aumentando de 3 para 10 a 12 toneladas/dia, apesar da maioria dos turistas não estar acostumado à esta prática de separação domiciliar de lixo e sucata.
"Nós estaremos durante toda a temporada de olho no fluxo de turistas para adequarmos o esquema de coleta, que será mantido até o carnaval. Se for necessário, contrataremos mais gente. O que não queremos é lixo nas praias e ruas", garante Moreno.
O secretário destacou ainda a questão das podas de jardins, entulhos e restos de construção, como um dos grandes problemas da limpeza pública.
"Pela nossa Lei Ambiental (848/92), a Prefeitura não tem responsabilidade com a coleta deste material. As podas leves, se bem ensacadas, ainda podem ser coletadas. Para o resto deste material - podas pesadas, árvores e entulho, entretanto, os moradores devem contratar caçambas", explica ele.
Coleta diária - Para enfrentar esta demanda, a Prefeitura implantou a coleta diária de lixo em todo o município, inclusive no domingo, reforçou as equipes e contratou mais equipamentos.
Todas as praias e bairros do município terão coleta de lixo diária. A coleta de sucata também será diária em toda a região central, entre Pontal da Cruz e Guaecá; e, na Costa Sul, nos bairros de Juquehy, Maresias, Boiçucanga e Vila Tropicanga.
A coleta, tanto de lixo quanto de sucata, também será diária nas marinas, supermercados e Dersa.
As principais praias terão varrição mecanizada uma vez por semana, e varrição ma-nual duas vezes por semana.
A empresa responsável está operando com 16 caminhões, quatro a mais que em novembro. As carretas que transportam o lixo para Tremembé passarão de três para seis carretas, cada uma delas com capacidade para 35 toneladas. O número de funcionários também aumentou com a contratação de mais 35 pessoas, totalizando 215 funcionários na limpeza pública.
No domingo, dia 1º de janeiro, as praias terão prioridade em razão da festa da virada. Nos principais pontos de concentração de pessoas na noite de Réveillon, a Prefeitura irá instalar contêineres para depósito de lixo.
Tráfego - Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, o Detraf (Departamento de Tráfego) irá reforçar a fiscalização nas principais ruas e avenidas da cidade. Duas equipes estarão divididas entre Costa Sul e Região Central/Costa Norte.
Agentes de trânsito também estarão atuando no moni-toramento da fila da balsa, em apoio às equipes da Dersa.
"Que todos respeitem as leis de trânsito para não causar prejuízos a ninguém e a si mesmo", ressalta o diretor de Trânsito, Márcio Nonato. Ele alerta para as principais infrações na temporada: motociclista sem capacete, uso de celular, falta de cinto de segurança e desrespeito nas travessias de pedestres.
É importante também estar atento aos lugares de estacionamento proibido. As irregularidades podem ser denunciadas ao Detraf pelo telefone (12) 3892-3945.
No atendimento à Saúde, tanto o Pronto-Socorro Central quanto o Pronto-Socorro de Boiçucanga estarão funcionando normalmente, 24 horas.
Alertas - Para facilitar o trabalho das equipes de limpeza pública, a Prefeitura pede aos moradores e turistas que respeitem o horário de colocar o lixo nas ruas.
Ele deve ser colocado em lixeiras, bem acondicionado para não sujar as ruas; e de manhã cedo, ou no período da noite. Não se deve colocar durante o dia, devido ao calor que pode provocar mau cheiro. Também as lixeiras públicas devem ser utilizadas apenas para o lixo embalado. Dúvidas ou reclamações: 3892 5150 ou 3892 1568
Outro problema é o esta-cionamento irregular de veículos nas ruas internas dos bairros, bloqueando a passagem dos caminhões coletores. Isto tem impedido a circulação em alguns bairros, obrigando os caminhões a coletarem apenas nas ruas principais.
Quanto ao abastecimento de água, a Sabesp alerta para o uso racional da água. Nesta época, as pessoas devem evitar lavar casas, ruas, calçadas e carros.
Também se deve evitar a rega de jardins no meio do dia, quando o calor é intenso e o índice de evaporação muito alto. Evitar ainda banho demorado, e crianças brincando com mangueiras. A empresa informa que haverá plantão no telefone 195. (Fonte: Imprensa Livre)

Balneário dos Trabalhadores em São Sebastião

São Sebastião - Augusto César, morador de São Sebas-tião, indignado com a situação da praia do Balneário dos Trabalhadores, na região central do município, enviou duas fotos para o jornal.
Habitual freqüentador do local, César reclama de ter que dividir espaço com os entulhos, em plena temporada. De acordo com a Prefeitura, o Bal-neário dos Trabalhadores, na Praia Grande, região central de São Sebastião, será transformado em um parque temático no ano que vem. Trata-se da obra do Centro de Esportes Radicais, que deverá ser iniciada apenas no mês de março de 2006. (Fonte: Imprensa Livre)

Fiscalização prepara ofensiva: demolições na temporada de verão

São Sebastião - O setor de fiscalização da Prefeitura de São Sebastião vai intensificar a ofensiva contra infratores que cometerem crimes ambientais, construções de novas obras irregulares e medição dos níveis de som em todos os bairros da cidade.
Para isso, a partir de 3 de janeiro, a Prefeitura estará com plantonistas atendendo pelo 0800-7700776, que receberá todas as denúncias de irregularidades apontadas no território municipal.
Segundo a chefe da fiscalização, Eloísa Conceição de Souza, 28 fiscais (ambientais e de obras) estarão fazendo blitzes nos bairros durante a semana e finais de semana, avaliando obras e, principalmente, os níveis de emissão de sons. A idéia também é realizar operações para coibir a circulação de cães nas praias. As denúncias, durante a semana, podem ser feitas pelos telefones (12) 3892-1526 e (12) 3892-1568.
A ofensiva já começou. Na última quinta-feira, 29, a Prefeitura de São Sebastião, através do Setor de Fiscalização, realizou a demolição de uma residência de aproximadamente 100 m² e dois pavimentos, construída na Estrada da Praia Brava, 160, em área de preservação permanente. Além disso, a construção não tinha os 30 metros de distância do curso d'água, exigida por lei ambiental, e se encontrava ainda na cota 68, considerada zona de proteção.
A obra vinha recebendo vistorias desde julho de 2005. Em 11 de novembro, a equipe da fiscalização efetuou embargo da obra. No dia 15 de dezembro, o proprietário recebeu auto de demolição e não cumpriu, e o que é pior, continuou construindo sem projeto aprovado.
 (Fonte: Imprensa Livre)

Funcionário público salva duas mulheres de afogamento em Juquehy

São Sebastião - Na praia de Juquehy, ontem por volta das 15h00, o funcionário público Ricardo Oliveira Faustino participou de um salvamento de duas mulheres.
Faustino e mais três turistas salvaram mãe e filha de se afogarem. "Elas caíram em um buraco na praia e foram arrastadas pela correnteza", contou Oliveira.
Segundo ele, a cada 600 metros havia um salva-vidas na praia.
"Logo depois que as tiramos da água, o guarda-vidas apareceu. Mas felizmente foi só um susto", contou Faustino.
O comandante de Prontidão do Serviço de Salvamar, Giovani Assis, disse que a praia de Juquehy conta com seis guarda-vidas, mas não é uma das mais perigosas.
"As mais perigosas são Maresias e depois Cambury. Por causa da arrebentação, corrente de retorno e as condições do mar", disse Assis.
Ao todo, segundo Assis, 60 guarda-vidas entre temporários e efetivos estão atuando na temporada em oito praias de São Sebastião: Guaecá, Maresias, Boiçucanga, Cambury, Baleia, Juquehy, Juréia e Engenho.
O comandante disse que somente na sexta-feira tinha feito seis salvamentos em Maresias. "Nós realizamos um trabalho preventivo, tentamos tirar as pessoas da água com o apito. Se as seis não tivessem sido salvas, poderiam estar mortas", contou. (Fonte: Imprensa Livre)

Prefeitura leva atrações para os bairros durante a temporada

São Sebastião - Com o intuito de dar acesso a todos os moradores e turistas durante o período de férias, a Sectur (Secretaria de Cultura e Turismo) vai realizar uma série de atividades de lazer e entretenimento durante janeiro e fevereiro em vários bairro da cidade.
Segundo o diretor de cultura Glaivison Gaspar, essa programação foi idealizada pensando principalmente nos moradores de bairros da Costa Sul e Norte, que muitas vezes não têm acesso às atividades realizadas no Centro. Para promover essas ações, a Sectur está tendo apoio do Fundo Social de Solidariedade e da Seduc (Secretaria de Educação).
Um dos principais atrativos são espetáculos infantis de renome, que terão sessões em todas as regiões da cidade.
Na primeira semana de janeiro acontece no Canto do Mar e Enseada, a apresentação das seguintes peças:
O show do lobo, Magia da lua e, Menino Maluquinho. Já na última semana do mês, haverá apresentações em Boiçucanga, das peças A bela adormecida, “Dum, o pequeno aprendiz”, além do trabalho realizado pelo mágico e ilusionista Ed (que já se apresentou no Faustão).
Entre os dias 1º e 15 de janeiro, o público da Costa Sul poderá conferir de perto a feira do livro, que será realizada na Praça Pôr do Sol, com muitas obras a preço de custo. Nela haverá um espaço de leitura voltado para as crianças.
A Sectur também vai realizar algumas exposições. Uma delas já foi aberta no recém inaugurado Espaço Cultural Cambury. Os moradores e turistas também podem visitar a exposição “Reciclar é preciso”, no piso superior do Teatro Municipal. Na sede da Sectur, é possível ver Nhanem Bae, do Sandro Justo.
Ainda em relação a artes, será realizada em janeiro a Praça das Telas e o Arte na Rua, que são parcerias da prefeitura com a associação de artistas plásticos de São Sebastião. A Rua da Praia e a Praça do Coreto receberão obras em exposição e também a será fixado um painel cultural no obelisco da Rua da Praia, onde será possível conferir toda a programação da cidade.
As artes cênicas terão dois momentos no Teatro Municipal durante a temporada. O primeiro momento é a semana de teatro infantil, que ocorrerá de 3 a 7 de janeiro, sempre às 18h00. Todos os espetáculos serão apresentados em sessão única com ingressos a R$ 5. Entre as peças que serão apresentadas, estão “Chapeuzinho Vermelho”, “O show do lobo”, “Magia da lua”, “Lenda do Quebra Nozes” e o “Menino Maluquinho”.
O segundo momento serão os espetáculos adultos. Um diferencial esse ano é que todos as peças, tanto adultos, quanto infantis, terão a condição de fazer um trabalho social. Alguns grupos optaram por adaptar para apresentação na Costa Norte e Sul, enquanto outros forneceram entradas para que o Fundo Social destine à entidades do município. “Essa proposta teve como objetivo pensar nas crianças que não têm como sair do seu bairro nas férias”, destacou.
As apresentações adultas vão acontecer entre os dias 10 e 15 de janeiro. O público poderá conferir “O defunto”, “Édipo Rei”, “A noite das não dormidas”. No dia 13, é a vez do público conferir Musical 3 do Rio. No dia seguinte, haverá a apresentação da comédia inconformada “A carta de 1 pirata”. Dia 15 a peça em cartaz será Maria Peregrina. Essas apresentações serão realizadas às 20h30.
O Gess vai apresentar “Um toque de Brasil”, no dia 19 a partir das 21h00. Já no dia seguinte, haverá o Recital de Humor de Sérgio Rabello e no dia 26, “A bela adormecida”.
O público poderá conferir “Dum, o pequeno aprendiz”, no dia 27, às 18h00. Nos dias 28 e 29 é a vez da peça “Como enlouquecer você mesmo”.
A festa de São Sebastião vai dar oportunidade dos artistas locais mostrarem o que sabem, a partir do dia 9.
Shows em São Sebastião - Depois da apresentação do Negritude Junior, conti-nuam as apresentações de artistas renomados em São Sebastião. Para a virada do ano neste sábado, a Prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, programou o show da banda de axé Kriar, diretamente da Bahia, às 23h00, na Rua da Praia. No domingo, 1º de janeiro, a atração é o forro do grupo Kaiapó. Já no dia 6 de janeiro, a cidade abre sua tradicional Festa do Padroeiro.
A programação de shows será a seguinte: Fundo de Quintal (7/1), Marjorie Estiano (13/1), Nei Matogrosso (14/1), Planta e Raiz (19/1), Cheiro de Amor (20/1), Zélia Duncan (21/1) e Gabriel O Pensador (28/1). Todos os shows estão marcados para 23h00, na Rua da Praia.
(Fonte: Imprensa Livre)
 

Notícias de Ubatuba Topo

Restaurante Solar das Águas Cantantes Posto Ipiranga


 

6 praias de Ubatuba cobram estacionamento

Ubatuba - Os visitantes de seis praias de Ubatuba estão tendo que pagar pelo estacionamento. A Comtur (Companhia de Turismo de Ubatuba) voltou a realizar a cobrança --suspensa desde abril-- em locais definidos como área azul. As praias atingidas são a Domingas Dias, Félix, Lagoinha, Maranduba, Praia Grande e Tenório. Para estacionar nesses locais, das 7h às 17h, o motorista terá que desembolsar R$ 3,50. As seis praias possuem, juntas, 8.450 vagas, que serão monitoradas por 33 funcionários. Mas não adianta fugir: nos locais não abrangidos pela área azul, guardadores autorizados e uniformizados pela associação da categoria estarão atuando. (Fonte: ValeParaibano)

Associação faz protesto em Ubatuba

Ubatuba - A Apauba (Associaçã o Protetora dos Animais de Ubatuba) realizará no próximo dia 7 um ato público para cobrar apoio da prefeitura.
Segundo a vice-presidente da entidade, Evely Reyes, a Apaúba tem um convênio com a prefeitura para recolhimento e castração de animais abandonados, porém os R$ 10 mil repassados mensalmente seriam insuficientes para os trabalhos. Ela disse que a Apauba já castrou 4.000 animais na cidade.
"Não temos veículo para transporte dos animais, nem telefone e funcionários suficientes para atender a demanda", disse Evely.
Ela também pede melhoria do canil mantido pela entidade, que estaria superlotado. "Alojamos mais de 200 animais e não temos recursos para fazer as reformas necessárias", afirmou.
O secretário de Saúde de Ubatuba, Marcos da Silveira Franco, disse que a prefeitura tem respeitado o convênio firmado com a Apauba e está fazendo a reforma e ampliação do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). (Fonte: ValeParaibano)

Ubatuba poderá revelar talentos através do Projeto São Paulo Skate

Ubatuba - Ubatuba foi uma das dez cidades do Estado de São Paulo a ser contemplada com o Projeto São Paulo do Skate. A implantação ainda não tem data confirmada, mas deverá ser para breve, já que foi aprovado e só aguarda liberação de verbas pelo Governo do Estado para o início dos trabalhos.
Desenvolvido pela coordenadoria de Programas para a Juventude, da Secretaria Estadual da Juventude, Esporte e Lazer, o projeto tem como objetivo o atendimento social de jovens com idades entre 15 e 18 anos na introdução da prática esportiva do skate.
O projeto ainda quer contribuir para a integração e combater a exclusão social e violência urbana dando oportunidade para o jovem se desenvolver social e profissionalmente, valorizando a prática do esporte.
O programa de aprendizado terá a duração de oito meses e tem como lema ensinar ao jovem "aprender a ser, aprender a aprender e aprender a conviver".
Cada turma do "Projeto São Paulo do Skate" será formada por 20 alunos, atingindo um total de 160 atendidos durante a duração do programa e ao final serão formados quatro jovens capacitadores e multiplicadores em setores profissionais ligados ao skate, em especial nas atividades de web design, fotografia e iniciação ao esporte profissional.
Serão oferecidos para o desenvolvimento do projeto oito skates, vinte jogos de equipamento de segurança (cotoveleiras, joelheiras e capacetes), uniformes para os alunos e monitores. A Secretaria de Esporte e Lazer de Ubatuba deverá arcar com o reforço alimentar, logística e seleção dos alunos e o custeio de um coordenador de atividades.
A pista - A pista de skate leva o nome dos caiçaras João Serpa Filho (Fifo) e Alfredo Vieira e foi inaugurada em 9 de julho de 2002. Os dois homenageados foram pescadores e proprietários de ranchos onde foi construída a pista, que tem 43 metros de comprimento e 35 m de largura, com vários tipos de peças para movimentos internos. (Fonte: Imprensa Livre)

Polícia apreende aparelhos eletrônicos e cerca de R$ 900,00 com três ciclistas

Ubatuba - Três ciclistas e um menor foram presos na noite de quinta-feira em flagrante por furto a uma residência no bairro do Tenório.
A Força Tática de Ubatuba, em patrulhamento pela Rodovia Oswaldo Cruz, próximo ao bairro jardim Carolina, suspeitou de três rapazes de bicicletas. Ao abordá-los F.A.S., de 22 anos, tinha passagem por furto e B.V.R.M., de 19 anos sem passagem e mais um menor.
Com eles foram encontrados seis relógios, dois celulares, um par de tênis e dois rádios de comunicação, R$ 814,00 em dinheiro e US$ 1,00.
Eles confessaram o furto e levaram os PMs até a residência que haviam furtado. As vítimas, que estavam na praia, reconheceram os produtos como sendo delas.
Diante dos fatos foi dada voz de prisão a eles e conduzidos ao DP, B.V.R.M e F.A.S. foram recolhidos à cadeia pública e o menor foi liberado para o responsável. (Fonte: Imprensa Livre)

Ilha Anchieta limita número de visitantes

Ubatuba - Uma portaria do Instituto Florestal, publicada no último dia 22, limitou o número de visitantes ao Parque Estadual de Ilha Anchieta em 1.020 pessoas por dia. A portaria também estabelece que cada escuna só poderá fazer uma viagem por dia até a ilha.
No verão passado, mais de duas mil pessoas chegaram a visitar Ilha Anchieta no mesmo dia, levadas por mais de uma dezena de escunas que operam a partir do píer do Saco da Ribeira, num dos roteiros turísticos mais procurados de Ubatuba. Algumas destas escunas, que possuem capacidade variando entre 65 a 130 pessoas em cada embarcação, chegam a fazer até três viagens por dia.
“Esta limitação tem por objetivo evitar impactos negativos, pois Ilha Anchieta é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, que abriga características ambientais de grande relevância sob o ponto de vista da biodiversidade”, explica a Diretora do Parque, engenheira agrônoma Viviane Buchianeri.
O Plano de Manejo do Parque estabelece que os serviços de barco serão oferecidos através de concessões, atividades que são autorizadas e regulamentadas pelo Instituto Florestal.
Segundo Viviane Buchianere, um monitora-mento realizado durante o período de dezembro de 2003 a dezembro de 2005, constatou que as embarcações que fazem o transporte de turistas para Ilha Anchieta estavam levando para o parque um número de visitantes muito superior aos limites aceitáveis de manutenção de um meio ambiente ecologicamente equilibrado, conforme disposto no artigo 192 da Constituição do Estado de São Paulo.
“Duas mil pessoas na ilha é uma sobrecarga muito grande. Nossa infra-estrutura é pequena e não suporta isto. Temos poucos banheiros, as fossas não dão conta, o lençol freático é aflorante e já termos água contaminada com coliformes fecais”, diz a Diretora do Parque. “Era necessário estabelecer normas que assegurassem o desenvolvimento do turismo sustentado, conciliando com os interesses da preservação ambiental”.
O impacto da visitação pública no Parque Estadual da Ilha Anchieta é tema recorrente no Conselho Consultivo do Parque. Ele motivou inclusive a criação de uma Câmara Técnica exclusiva sobre assunto.
“A definição deste número de visitantes é resultado de um estudo sobre a capacidade de carga do Parque. Ele comprova a necessidade desta limitação. Esta tem sido uma discussão importante dentro do Conselho”, diz Juliana Bussolotti, coordenadora da Câmara Técnica.
Escuneiros - Responsáveis pelo transporte dos visitantes, os escuneiros estão representados no Conselho Consultivo do Parque. Uma das empresas mais antigas operando na área é a Mikonos Turismo, que possui quatro escunas, três delas operando na Ilha Anchieta há mais de oito anos. Com capacidade para levar até 285 turistas em cada viagem, ela cobra R$ 17,00 por pessoa.
“A cada ano enfrentamos mais empecilhos para trabalhar na Ilha Anchieta. Esta portaria é uma decisão pessoal contra nós, os escuneiros”, diz Alexandre Antonakis, um dos proprietários da empresa.
“A ilha fica praticamente abandonada durante onze meses do ano. Janeiro é a única época que tem movimento. O mês é responsável por 50% do faturamento anual do comércio no município, segundo dados da Secretaria Municipal de Turismo”, afirma ele.
Antonakis reclama ainda da proibição de comercializar produtos na ilha, onde não existem lanchonetes ou restaurantes. Ele também considera injusta a falta de fiscalização sobre as demais lanchas e veleiros que aportam em qualquer lugar da ilha sem pagar o ingresso de R$ 2,00.
Ecologia e História - Segunda maior ilha do Litoral Paulista, Ilha Anchieta tem toda sua área – 828 hectares, abrangidos pelo Parque Estadual. Seu acesso principal é pela Enseada das Palmas, que dista 4,3 milhas náuticas (8 Km) a partir do Saco da Ribeira, localizado na Rodovia Rio-Santos (SP - 55) entre as Praias do Lázaro e Perequê-Mirim.
O parque possui 17 km de entorno, sendo 80% composto por costões rochosos, cercados de águas transparentes que formam um ambiente convidativo ao mergulho. Existem ainda sete praias de águas calmas e límpidas, propícias ao banho. Cinco delas na Enseada das Palmas, mais a Praia do Sul, acessível por trilha que cruza a Mata Atlântica; e a Praia do Leste, que tem acesso apenas por barco.
Além de seu valor natural, Ilha Anchieta tem um importante patrimônio histórico-cultural representado pelas ruínas da Colônia Correcional do Porto das Palmas, cujo projeto é do Arquiteto Ramos de Azevedo e começou a funcionar em 1907. Posteriormente foi transformado em presídio político (1930 a 1933), voltando a receber presos comuns até 1955. Em 1952, ocorreu a maior rebelião da época, que resultou em sua desativação.
Atualmente, a parte frontal do presídio está reformada e abriga a administração do Parque, sala de exposição, auditório, ambulatório e sanitários públicos.
As antigas celas, hoje em ruínas, têm acesso restrito e já possui projeto de recuperação para a implantação de atividades culturais e educativas. Essas instalações podem ser visitadas com acompanhamento de guias. (Fonte: Imprensa Livre)

Semana de 30/12/2005 a 05/01/2006

CINE PORTO (Ubatuba)
fone :3833-2066 ( 012)

"O Galinho Chicken little"
ás 15:00 - 16:30hs

"King Kong"
ás 18:00 - 21:20hs. Lançamento Mundial
Obs: dia 31/12 não havera a sessão das 21:20 - Dia 1 iniciaremos as 16:30

CINE PASSEIO (Ubatuba)
fone : 3832-2843 ( 012 )

"As crônicas de Nárnia: O Leão a Feiticeira eo Guarda Roupa.
ás 14:00 - 19:10hs.

"Harry Potter e o cálice de fogo"
ás 16:30 - 21:40hs.
Obs: dia 31/12 não havera a sessão das 21:40 - Dia primeiro iniciaremos ás 16:30


cineporto@hotmail.com

 

Ação Litoral
 

 
Poesia Topo

O sonho do avô de Cunhambebe
Quinhentos anos atrás,
Em uma roda de conversas,
O avô de Cunhambebe
Contou que sonhou
Que avistou uma horda
De animais barulhentos
E fumacentos
Que descia serra abaixo
Qual correição de quem-quem
Espantando os bichos
Desandando o cauim
Azedando o leite
Sujando o rio
E empatando o churrasco
De índio carijó.
- Meu avô tá com febre,
Foi só o que respondeu
O malcriado Cunhambebe.

Mudança de foco
Se todo caiçara pudesse
Ser pescador embarcado
E à terra retornasse
A cada quinzena
Novo homem renasceria
E o coração palpitaria
Pelos olhos reconhecidos
À visão da Ilha Vitória
Entre líquidos montes e vales
Do mais duro oceano
Antecipando poucas milhas além
A Vila da Exaltação à Santa Cruz
Do Salvador de Ubatuba, amém.


 

Félix Cabral
Ubatuba, SP
 

Carta do Leitor
As mensagens, fotos e opiniões  publicadas neste boletim são de inteira responsabilidade de suas fontes e autores,
não expressando necessariamente a opinião deste informativo. O envio de qualquer material para nosso e-mail
será considerado como autorizado a sua publicação e assumida a total responsabilidade pelo seu conteúdo.
As mensagens deverão conter nome completo, RG, endereço, telefone de contato e um e-mail válido.
Reservamos o direito de não publicar cartas que não contenham a devida  identificação do autor.
Topo


Finalmente estamos de volta - Se você tem algum interesse ou expectativa de uma nova realidade cultural em Ubatuba no ano de 2006, por gentileza, ligue para mim no(12) 9144-8374 ou envie e-mail para jorgesinglee@yahoo.com.br. Vamos conversar assim que o ano iniciar. Venho desenvolvendo um projeto para a consolidação do TEATRO DE ANIMAÇÃO em nossa cidade há quase três anos. Muitos passos já foram dados, porém, há muito a ser feito. Não existe em Ubatuba uma Cia. de Animação que
possa realmente oferecer espetáculos de alto nível e com possibilidades para segmentos diferentes como Meio Ambiente, Educação, Assistência Social e Turismo. Tenho realizado boas oficinas com alunos da rede municipal de ensino e apresentado shows em eventos particulares. Só que Ubatuba pode muito mais, pode dar um salto no quesito entretenimento. É meu sonho e desejo que tenhamos por aqui um TEATRO e uma CIA. PERMANENTE DE ANIMAÇÃO. Sozinho será difícil
fazer qualquer projeto. Não estou conversando somente com artistas formados e especializados, gostaria de fazer contato principalmente com quem não tem
experiência alguma, mas que goste do tema e queira desenvolver habilidades na área do teatro de animação. Se você é uma pessoa que encontra no brinquedo lúdico e na imaginação motivos para enriquecer vidas, é você quem eu procuro. Não se trata de emprego, mas do início de um movimento para consolidação de um nicho de mercado. Há possibilidades de termos em nossa cidade se não o maior, um dos maiores núcleos de técnicos e engenheiros da animação para o teatro e outras mídias. A Animação é hoje objeto de estudo em vídeo, dvd, cinema, tv, teatro, vídeo games... Meu projeto inicia-se com a ANIMAÇÃO DE BONECOS, que
exige um processo mais simples de produção, contando basicamente com elementos teatrais. Muitos de vocês conhecem os desenhos animados tridimensionais (3D) e conhecem também os Muppets. As mídias estão cada vez mais unidas e misturadas. Mesmo que Ubatuba fique somente com a especialização da animação de bonecos, já é um grande passo e um avanço para uma cidade sem propostas culturais consistentes. Tudo o que representa cultura hoje em nossa cidade pode ser adaptado ä mídia teatral com bonecos e passar a ter um veículo de difusão totalmente aceito pelo públicos interno (cidadãos de Ubatuba) e externo (turistas). Sei que sou um visionário e um idealista, mas acredito no potencial de nossa gente. Nessas andanças pelas escolas de nossa cidade tenho podido
constatar quantos talentos estão lá, esperando apenas uma oportunidade de mostrar seus potenciais. Se você quer ao menos me ouvir falar sobre o TEATRO DE
ANIMAÇÃO DE BONECOS, faça contato. Não há ainda um local determinado para um encontro. Minha idéia é receber as ligações, fazer um cadastro dos interessados em conversar sobre o assunto e, posteriormente, agendar uma data.
Forte abraço a todos.

Jorge Lee
Comunicólogo,
Consultor de Planejamento de Vida,
Entusiasmo e Motivação

Revisar conceitos - Andando por aqui, pois por aí, o trânsito não deixa, não é preciso ir ,além de onde a vista alcança, para enxergar e, claramente, perceber de que é preciso rever conceitos de uso e, de ocupação, se tivermos qualquer objetivo, sério, de preservação ambiental. Peço, aos amigos que não se distraiam com o colorido e, atinem pelo uso transloucado do nosso "verde". Do desrespeito ao comum, ao arremesso de lixo nas costeiras, passando pela coleta de "mudinhas" de bromélias e parasitas vem o extermínio sistemático, até, das sementes de cracas e, mariscos. São claros e reluzentes sinais do que pretendem alguns destes visitantes que estão por aí. Alguns, de centenas de milhares, são muitos! É preciso rever conceitos. É preciso estabelecer posturas. É preciso despertar de sonhos poéticos de preservação e, conviver com a dura realidade. Para preservar será preciso, muito mais do que esta legislação, apenas restritiva e, inócua, nos resultados, feita para poucos cumprirem.

Ronaldo Dias
Ubatuba, SP

 

Foto do Dia Topo

Para participar desta seção basta enviar as fotos com crédito do autor e legenda, no tamanho mínimo
de 1024 x 768 pixels com resolução de 72dpi para fotododia@litoralvirtual.com.br.  O envio da foto caracteriza autorizada a sua publicação, assumindo o autor total responsabilidade pela publicação da mesma.

Ubatuba

Reveillon - Juliano Gregori

Reveillon
©Juliano Gregori


Envie sua foto!

Para instalar a foto como papel de parede (wallpaper)
Clique na foto acima. Após carregar a foto ampliada, clique com o botão direito do mouse sobre a imagem e escolha "Definir como papel de parede" ou "Definir como fundo de tela". Para ajustar a imagem em tela cheia, clique em qualquer lugar da área de trabalho com o botão direito do mouse, escolha "Propriedades" / "Fundo de Tela" ou "Papel de Parede" / "Ampliar".

Arquivos:  Foto Saudade  -  Foto do Dia

 Faça seu comentário, crítica, opinião ou sugestão no Litoral Virtual:
Clique Aqui


As notícias, fotos e cartas publicadas neste boletim são de inteira responsabilidade de suas fontes e autores,
não expressando necessariamente a opinião deste informativo. O envio de qualquer material para nosso e-mail
será considerado como autorizado a sua publicação e assumida a total responsabilidade pelo seu conteúdo.
As cartas devem conter nome completo, RG, endereço, telefone de contato e um e-mail válido.
Reservamos o direito de não publicar cartas que não contenham a devida  identificação do autor.

Editor Chefe: Emilio Campi
Atualização: Juliano Gregori

GRÁTIS!!
Receba as Últimas Notícias do Litoral em seu e-mail:

Quero receber GRATUITAMENTE o boletim Últimas Notícias do Litoral:

e-mail:
Cidade:



Obs.: Você poderá cancelar o recebimento das notícias a qualquer momento.

 

Conheça as cidades do Litoral Norte Paulista:

Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

Litoral Virtual
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet
Sugestões, críticas e informações, entre em contato:
info@litoralvirtual.com.br

©1995/2001 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor