Artigos Anteriores

Ronaldo Dias

Minha terra tem palmeiras...

Tudo está mudando. Estou procurando e não acho! Procuro pelo PATRIOTISMO.
Quem viu? Quem tem? Quem ouviu falar? Onde ele está? Com quem ele está? Onde foi parar o nosso patriotismo?
Lembro-me, como em um filme, dos desfiles de 7 de setembro. No colégio, a preparação do desfile, os longos intermináveis ensaios dos passos e da afinação da fanfarra eram um ritual envolvente. No dia do desfile, o coração palpitava e o corpo todo era tomado de emoção. Tinha a sensação de que ali, devidamente uniformizados, transpirávamos patriotismo. As fisionomias das arquibancadas também não mostravam outra coisa. O Hino, a Bandeira o som dos metais, não raro levava até mesmo as lágrimas. Nas capitais, pela tv, assistíamos multidões acompanhando as comemorações do dia da pátria. Era o período VERDE OLIVA e me orgulho de ter vivido nele.

Hoje, não tenho mais, e também não conheço, nenhum estímulo ao amor à Pátria. O Que é então uma Pátria, senão um povo? Junto com esse “despatriotismo”, podemos perceber o descontrole das escalas de valores morais e sociais. O respeito, a educação, a moral, a gentileza, o espírito comunitário, enfim, todos os princípios parecem que ao longo do tempo foram, como a moeda, perdendo seu valor. Uma Hiperinflação do desvio de comportamento social. As pessoas, de modo geral, ficaram mais toscas, agressivas, individualistas, seguidoras incondicionais da “Lei de Gerson”.

Com 21 anos, na ESG (Escola Superior de Guerra) bem me lembro de alguns princípios ditos (quem sabe exagerados para época) de Segurança Nacional. A formação do caráter era uma, dentre tantas tônicas a serem implementadas na formação intelectual da população. As ações utilizavam todos os meios possíveis. A família, a escola, os logradouros, prédios de serviços públicos, todos os meios de comunicação, em todos os níveis municipais, estaduais e federais. A exaltação à Pátria estava e cabia em todos lugares. Até mesmo, nos (antigos) discursos políticos. Quem sabe, estou saudosista de mais? Não!

Quem teve a oportunidade de assistir um 4 de julho nos E.U.A pode confirmar que patriotismo, não é coisa do passado. Junto com ele acho que perdemos outras coisas muito importantes. Nosso conformismo expresso no dia a dia, travestido de paciência, nos leva a aceitar como normal, compreensível e tolerável, até mesmo coisas simples (simples?) como a fila nos caixas dos bancos e nas suas máquinas eletrônicas (que substituíram os funcionários) a nos dizer que a senha é inválida, que o sistema está fora do ar, para digitarmos o maldito e esquecido número do CPF ou mesmo para procurar a agência mais próxima.

Aceitamos a prepotência de algumas autoridades e de suas ações, aceitamos o descaso de alguns funcionários públicos, aceitamos leis e normas contraditórias que atendem apenas os interesses de alguns, aceitamos ouvir que não sabemos votar, quando o sistema não nos permite escolha a não ser esse ou aquele. E muito mais! Por exemplo, qual será nossas opções para votar em Presidente nas próximas eleições? Será, que essa democracia não nos permitirá um nome novo? Será que dentre quase 2000.000.000 de brasileiros teremos que escolher entre (sempre) os mesmos? Não há ninguém mais que seja capaz? Não há abertura política dentro dos partidos para conduzir um novo nome? Ou nos partidos não há nada de novo e ninguém novo. De novo? Não formaram e não prepararam jovens políticos? Ou os jovens, mais espertos, passam longe do jargão: POLÍTICO? Quais os exemplos que nossos jovens tem assistido nos noticiários? Está nos faltando opções para Presidentes? Senadores? Deputados? Juizes? Delegados? Promotores? Os poderes são nosso alicerce. Ao povo esta faltando todos os pés do tripé: Saúde. Segurança. Educação.

A nova economia esta deixando faltar feijão nas panelas; o que em um país com tanta agricultura como o nosso é no mínimo, vergonhoso. Será que não saímos do compasso? Será que estamos arrumando tantas outras definições apócrifas para liberdade? Será que estamos tão “globalizados” que vamos lembrar apenas do verde–amarelo nos jogos da (péssima) seleção de futebol? Patriotismo. Onde posso encontrá-lo? Estou com muita saudades!

Ubatuba, 08/11/2001

Ronaldo Dias

Artigos Anteriores

Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba
Conheça as cidades do Litoral Norte:
Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba
Home Litoral Virtual - Home Page
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet

info@litoralvirtual.com.br
©1995/2010 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor

Sites do grupo: Litoral Virtual - Jornal Maranduba - PanoTour - Caraguá - Maranduba - Maré Legal - Truckmodelismo Brasil - ECampi