Artigos Anteriores

Ronaldo Dias

Terra e Mar

Diferente do Estado de São Paulo (e olhem que o governador é da região), o Rio de Janeiro continua a passos largos no desenvolvimento do Turismo. Logo na divisa, a nossa vizinha Paraty, abandonada por muitos anos, começa a apresentar fortes sinais de revitalização. Pode-se claramente perceber que o crescimento dos meios de hospedagem e demais serviços e infraestrutura ligadas ao turismo se justificam pelas melhoras substancias nas taxas de ocupação.

São levas e levas de turistas espalhados pelo centro histórico. No mar, ah. No mar... De Paraty até o Porto Real Resort, são mais 180 quilômetros por uma estrada totalmente recuperada de qualidade irrepreensível. O resultado, muito em breve, com certeza no próximo verão será a expansão do bom turismo já praticado na região.

Pode-se constatar, inúmeras marinas, hotéis e Resorts de alta qualidade, tanto nas instalações quando nos serviços. A opção, tanto na orla quanto nas ilhas, pelo turismo e pela ocupação náutica é latente. Apenas uma, das centenas de marinas, pode abrigar todas as nossas embarcações do Saco da Ribeira. Inacreditável! O número de empregos criados e a utilização de mão de obra qualificada são invejáveis.

Algum prejuízo à paisagem? Sim! Ao meio ambiente? Também! Mas nada que não possa e vem sendo corrigido. A separação física entre as áreas destinadas a receber o turismo e a população fixa é a ocupação da orla pelos primeiros e os morros (desordenadamente) pela segunda. Falta de espaço físico ou quem sabe de um planejamento adequado? Esta é a maior, a mais gritante e irreparável cicatriz na paisagem.

O que mais impressiona, para quem esta acostumada às inúmeras restrições ambientais de ocupação da orla, são as grandes obras náuticas (devidamente planejadas e dimensionadas) sem perda da qualidade das águas, da paisagem e do meio ambiente. Uma verdadeira utilização e ocupação racional do homem. Nada mais natural.

A conclusão é que enquanto optamos pelos “predinhos” malajambrados, e pelas altas doses de restrições ambientais eles optaram pelos empreendimentos náuticos com restrições ambientais negociadas caso a caso. O resultado está lá para quem quiser ver. O que é irreversível é que este progresso turístico vem veloz por uma estrada recuperada, bem sinalizada e segura em direção a nossa divisa. Pasmem, com passarelas para pedestres e tudo o mais.

O progresso é inevitável. O crescimento populacional muito mais que o progresso. Ainda temos uma vocação. Temos vizinhos (do PT) que “acertaram” e para acertar cometeram erros. Não é difícil copiar acertos evitando os erros. Temos muitas semelhanças. Boas e más. A ocupação do pé da serra já é forte sinal de “Angranização” dos morros’. A nossa melhor saída? Várias entradas pelo mar. Antes que sejamos atropelados, repito, é fundamental planejar. Terra e mar.

 
Ubatuba, 25/04/2002

Ronaldo Dias

Artigos Anteriores

Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba
Conheça as cidades do Litoral Norte:
Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba
Home Litoral Virtual - Home Page
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet

info@litoralvirtual.com.br
©1995/2010 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor

Sites do grupo: Litoral Virtual - Jornal Maranduba - PanoTour - Caraguá - Maranduba - Maré Legal - Truckmodelismo Brasil - ECampi