Reflexões para uma vida melhor
 
Arquivo

Margareth Bravo
Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

O Mistério da Origem dos Anjos Maus

“Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor” (Ezequiel 28:17).

Todos os anjos foram criados puros, perfeitos, cheios de bondade e amor. Amor este que os moviam a deleitarem-se em adorar a Deus, Seu criador, e realizar a Sua vontade. Tinham prazer em obedecer a lei de Deus e executar as suas ordens. Mas foi neste estado de pureza que o mal originou-se com Lúcifer - aquele que havia sido perfeito em todos os seus caminhos (ver Ezequiel 28:15).

Não há como explicar o pecado, pois que não havia razão alguma para a sua existência. Tentar explica-lo é querer arranjar uma razão para ele, e isto seria justifica-lo. Sua origem é um mistério e assim permanecerá, porque não há como explica-lo.

Surge, porém, indagações como: Criou Deus o mal? Se não criou, não sabia Ele que isto aconteceria? Foi Deus pego de surpresa?

Deus não criou o mal, fez apenas o bem, porque Ele é a própria fonte do bem. Nada é desconhecido para Deus, e por isso Ele nunca é pego de surpresa. Ele conhece o futuro e possuía conhecimento dos eventos futuros, mesmo antes de criar os mundos. Tudo o que Deus faz é perfeito, e por isso, não precisa de remodelação diante das circunstâncias; não precisa fazer arranjos para ajeitar isso ou aquilo; Ele não fez adaptações quando o mal surgiu.

Lúcifer foi criado nobre e belo; foi colocado em posição superior à dos outros anjos, de modo que era muito honrado entre eles. Todos os anjos do Céu o admiravam pela beleza, esplendor e inteligência. Todavia, não foi colocado numa redoma, fora da possibilidade de fazer o mal. Se decidisse pelo caminho errado, poderia escolher faze-lo e perverter seus dons. Poderia ter se firmado na verdade, ser amado e honrado por toda a hoste Angélica. Contudo, aos poucos ele começou a condescender com o desejo de exaltação própria; a procurar a sua própria honra e a usar a sua inteligência para atrair a atenção para si mesmo. Toda honra e glória pertence somente a Deus, e Lúcifer considerou-a como pertencendo a si próprio.

Começou, então uma guerra de argumentos no Céu. Jesus e seus anjos estiveram a lutar com Lúcifer e seus aliados, para que ele voltasse atrás em sua infeliz decisão. Ele mesmo não fazia idéia das verdadeiras conseqüências de seus atos. Mas a inveja, o ciúme e o orgulho o impediram que a justiça e a lealdade prevalecessem. Lúcifer tornou-se Satanás, que quer dizer inimigo de Deus. Foi expulso do Céu e com ele caiu a 3º parte dos anjos. (ver Apocalipse 12: 7 a 9 e Isaias 14: 12-14).

A rebelião de Lúcifer se desenvolveu de forma sigilosa, a princípio, lenta mas progressivamente, até tornar-se aberta e violenta. A ocupação de Cristo nas Cortes celestiais, foi a de convencer Satanás de seu terrível erro, até que o maligno e seus simpatizantes revelaram abertamente a sua rebelião contra o próprio Deus.

Sendo Deus livre, não poderia ter criado seres para serem meros robôs para executar as Suas ordens. A liberdade de escolha é um dom maravilhoso, que Deus deu às Suas criaturas. Infelizmente Lúcifer usou mal a liberdade que possuía, arrastou com ele muitos anjos e também levou o homem a pecar contra o Seu Criador.

Mesmo conhecendo o futuro, Deus não deixou de executar Seus planos criativos. Ele povoou o Céu com os anjos, a Terra com o homem e os outros mundos com seus habitantes, os quais não temos conhecimento, pois pouca coisa a Bíblia revela a respeito deles. Se deus deixasse de executar Seus planos por causa do que poderia acontecer com a liberdade dada à Suas criaturas, Ele seria um Deus limitado e medroso. Que Deus seria este? Simplesmente não seria Deus, não é mesmo? Que bom que podemos louva-Lo e agradece-Lo por Ele ser o “EU SOU” - o Deus de amor e misericórdia que já tinha a solução para o problema do pecado, caso ele viesse a ocorrer. E bem sabemos que o Homem pecou contra Deus quando deu ouvidos à voz do enganador, desobedecendo às Suas ordens.

E qual foi a solução para problema do pecado? O plano da Redenção - que no Antigo Testamento era simbolizado pelo cordeiro que era morto no lugar do pecador, através do ritual do Santuário. Aquele cordeiro sem mancha e sem defeito simbolizava o “verdadeiro Cordeiro que tira o pecado do mundo” (ver S.João 1:29 e 36); o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (ver Apocalipse 13:8); o Cordeiro digno de receber toda honra e glória pelo sacrifício na Cruz do Calvário, para redimir o homem da dura e triste condição em que se meteu (ver Apocalipse 5:12); o Cordeiro que está hoje em Seu trono aguardando o tempo de voltar à Terra para buscar aqueles que n’Ele crêem e esperam (ver Apocalipse 22:1 e 3).

É dever de todos buscar a verdade para não ser enganado pelo astuto inimigo. Deus tomou todas as providências necessárias para a salvação do homem da condição de pecadores. Ao nosso alcance está a Palavra de Deus e cabe a nós estuda-la para a devida compreensão da verdade. Por isso, seremos indesculpáveis se não assumirmos a responsabilidade de buscar a verdade.

Margareth Bravo

  Artigos Anteriores

Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba
Conheça as cidades do Litoral Norte:
Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba
Home Litoral Virtual - Home Page
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet

info@litoralvirtual.com.br
©1995/2010 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor

Sites do grupo: Litoral Virtual - Jornal Maranduba - PanoTour - Caraguá - Maranduba - Maré Legal - Truckmodelismo Brasil - ECampi